Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Escolhido "mensageiro" de sua tribo, índio brasileiro aprende inglês em Nova York ( a gente somos inuteo)

Escolhido "mensageiro" de sua tribo, índio Indio brasileiro aprende inglês em Nova York
18/03/201308h37
Comunicar erro Imprimir

Ampliar

Escolhido "mensageiro" de sua tribo, índio brasileiro aprende inglês em Nova York 6 fotos

1 / 6
O ativista, líder indígena e cineasta Nilson Tuwe Huni Kui, 29, está vivendo, por nove meses, um cotidiano muito distinto da sua realidade, na cidade de Nova York. Ele vem do povo indígena Kaxinawá, também conhecido como Huni Kiu, de uma aldeia na região amazônica do Acre, com apenas 600 habitantes. Fascinado por tecnologia e por imagens, o jovem líder indígena está na metrópole americana para aprender inglês Ilya Shnitser/BBC

Um ativista, líder indígena e cineasta está vivendo, por nove meses, um cotidiano muito distinto da sua realidade cotidiana - na cidade de Nova York.

Nilson Tuwe Huni Kui, de 29 anos, vem povo indígena Kaxinawá, também conhecido como Huni Kiu, de uma aldeia na região amazônica do Acre com apenas apenas 600 pessoas.

"Cheguei à cidade de Nova York diretamente da Floresta Amazônica ocidental brasileira. É uma viagem muito longa, chega primeiro sua matéria, você chega fisicamente supercansado. De um tempo que vai chegando seu espírito. Porque você vem muito rápido de avião, então seu espírito chega depois'', comenta.

Para chegar à aldeia de Nilson, é preciso realizar uma viagem de barco de cinco dias a partir da cidade mais próxima.

O jovem líder indígena está na metrópole americana para aprender inglês, e conta que o processo de adaptação tem sido complicado.

Choque

''Ao chegar aqui foi um choque, foi uma impressão muito forte. Primeiro, é uma cidade muito grande, com muita gente, de várias partes do mundo, que que falam línguas diferentes, que tem uma culinária diferente e, aqui, o clima é muito frio'', descreve.

Mas, a despeito das dificuldades iniciais, ele preza a experiência e o aprendizado.

''Eu sou filho de uma grande liderança, o meu pai é como se fosse o Obama lá da minha terra. Eu fui educado e escolhido como uma jovem liderança de meu povo, para ser um mensageiro. O meu sonho era poder aprender o inglês, divulgar a cultura do meu povo, conseguir mais parcerias.''

Ele se diz fascinado pela tecnologia e por imagens. ''Eu adoro a tecnologia e adoro trabalhar com filmagem. Através da tecnologia, você pode conhecer o mundo e pode fazer o mundo conhecer melhor o seu mundo. Eu gostaria muito, futuramente, de ser um profissional, na área do audiovisual, para ajudar o meu povo.''

Atualmente, ele prepara um documentário sobre tribos isoladas.

Exibições: 105

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço