Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Falta d'água paralisa fábricas e ameaça crescimento da economia de São Paulo (Rhodia já desativou 4 de suas 22 unidades em Paulinia)

A Solvay interrompeu a produção em algumas unidades no Brasil em meio à falta de água, expandindo a lista de empresas afetadas pela pior seca em São Paulo das últimas oito décadas.

A Rhodia, empresa química pertencente à Solvay, desativou quatro das 22 unidades de produção na fábrica de Paulínia, no Estado de São Paulo, porque o rio de onde a empresa coleta água está secando, disse Roberto Custódio, porta-voz da empresa, ontem, por telefone.

A companhia está fazendo uma manutenção não programada nas unidades até que o fornecimento de água se normalize.

Cortes no fornecimento ameaçam crescimento do Estado
De restaurantes a fábricas, as empresas de São Paulo estão enfrentando cortes no fornecimento, o que ameaça o crescimento econômico no Estado responsável por um terço do Produto Interno Bruto do Brasil.

A Fibria Celulose está trabalhando em um plano de contingência para o caso de ter sua água cortada e a associação da indústria açucareira Unica alertou as usinas a adotarem um plano B. A Abit, que representa o setor têxtil, disse que seus membros já estão vivendo uma escassez.

"Dada a representatividade que São Paulo tem na economia, qualquer coisa que acontece no Estado afeta o PIB nacional", disse Leonardo Dutra, diretor de consultoria em sustentabilidade da Ernst Young. "Sem dúvida a falta de água pode prejudicar a recuperação econômica do país".

A economia do Brasil caiu em recessão de janeiro a junho pela primeira vez desde 2009. Com 40 milhões de habitantes espalhados por 250 mil quilômetros quadrados, o Estado de São Paulo é geograficamente maior do que o Reino Unido.

Setenta das 645 cidades do Estado já estão enfrentando escassez de água e 38 começaram a racionar, informou o jornal "O Estado de S. Paulo" neste mês.

Produtoras têxteis sentem efeitos; usinas 'têm folego'
Metade das produtoras têxteis do Brasil está no Estado de São Paulo e muitas dessas empresas foram atingidas por uma falta de água que está dificultando o processo de coloração e outras operações, disse Rafael Cervone Netto, presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil, conhecida como Abit.

O diretor-executivo da Fibria, Marcelo Castelli, disse em uma teleconferência de lucros nesta semana que a empresa está desenvolvendo um plano de contingência para redução da água "se necessário". A assessoria de imprensa da Fibria preferiu não fornecer mais detalhes.

A produção de açúcar e etanol não foi afetada até o momento porque as usinas normalmente ficam perto de grandes fontes de água e têm barragens para manter reservatórios de água, disse André Elia Neto, consultor ambiental e de recursos hídricos da União da Indústria de Cana de Açúcar, a Unica. O Brasil é o maior produtor e exportador de açúcar do mundo.

"As reservas estão acabando, mas ainda têm fôlego", afirmou Neto. "Para o ano que vem, estamos preocupados, pois poderemos ter problemas".

Podia ser pior
A indústria do Estado de São Paulo não está trabalhando com capacidade plena, o que reduz o impacto da escassez de água na produção, segundo Nelson Pereira dos Reis, diretor titular do Departamento de Meio Ambiente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, a Fiesp.

"Se a indústria estivesse trabalhando em plena capacidade, teríamos problemas muito maiores", disse ele.

Altos custos para as empresas
A indústria e as companhias fornecedoras de água também estão enfrentando custos crescentes à medida que a crise da água piora. As empresas precisam comprar mais água de fornecedores distantes e estão gastando mais para purificar a pouca água que conseguem das atuais reservas, disse Ademar Ribeiro Romeiro, professor da Unicamp.

"As vazões dos rios diminuíram drasticamente, porém os esgotos continuam sendo lançados nas mesmas quantidades", afirmou Dalto Favero Brochi, diretor-geral da Agência Reguladora PCJ. "A qualidade dos rios em São Paulo piorou muito e algumas cidades interromperam parcialmente suas captações".

Com cinco complexos industriais, a presença da Rhodia no Brasil está em grande parte no Estado de São Paulo.

Esta não é a primeira vez que a empresa paralisou a produção em Paulínia. Uma unidade foi forçada a parar em fevereiro devido à escassez de água. Isso aumentou o estoque nos últimos meses, quando o fornecimento de água não era um problema, e a empresa vem importando produtos de unidades de outros países, de forma que as entregas aos clientes não serão interrompidas, disse Custódio.

"O custo deste tipo de situação é importante", disse ele.

Fonte: http://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2014/10/24/falta-dagu...
Por Vanessa Dezim

Exibições: 487

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Comentário de enio candido em 3 novembro 2014 às 9:47

se verificarmos são 11 estados que estao com falta de agua

Parana, Sao Paulo, Minas Gerais, Bahia, Alagoas,Pernambuco, Paraiba,Rio Grande do Norte, Ceará, Piaui e Rondonia. será que todos são governados pelo PSDB? ou é o clima a derrubada de mata auxiliar que esta causando. não sei porque o Povo esta nessa discussao de sudeste norte nordeste, somos todos Brasileiros se bem que uns 30% sao omissos.

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/02/1412768-racionamento... ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.

Comentário de Hilario Aleixo Munhoz em 28 outubro 2014 às 1:56

quem quiser saber o porque estamos questionando , basta olhar as fontes que citei anteriormente e verificar que estados são concedentes de recursos e quais são recebedores de recursos; e vão entender porque estamos nos danando nessa história, como disse a Sra. Francisca

Comentário de Hilario Aleixo Munhoz em 28 outubro 2014 às 1:50

Peguei alguns dados e gostaria que alguém me ajudasse a entender, os números e os fatos que envolvem essa discussão; peguei os dados ao acaso:


Arrecadação  IRPF à Receita Federal : de São Paulo : R$ 10 118 370 163;da Paraíba: R$ 218 292 073;


Arrecadação de IRPJ à Receita Federal : de São Paulo: R$ 52 531 974 084; da Paraíba: 339 837 319;

Arrecadação de Cofins à Receita Federal : de São Paulo R$ 79 194 398 267; da Paraíba: 686 457 463;


Arrecadação Total com receita Previdenciária ou Adm por terceiros à Receita Federal:


                              de São Paulo: R$ 455 978 453 549;  da Paraíba : R$ 5 095 930 64

Repasse do Governo Federal aos estados :


                        de São Paulo: R$ 32 795 493 197 (conferi duas vezes); da Paraíba: R$ 9 073 820 101


Saldo dos recursos:  São Paulo concede R$ 423 182 960 352; Paraíba recebe R$ 3 977 889 455


(e ainda falam que devíamos investir mais na captação de águas, quem são esses? deixem o $ por aqui que a gente pode fazer mais)


As fontes consultadas em 28/10/2014:


http://www.receita.fazenda.gov.br/Historico/Arrecadacao/PorEstado/2...


http://www.portaltransparencia.gov.br/PortalTransparenciaListaUFs.a...

Comentário de Hilario Aleixo Munhoz em 26 outubro 2014 às 22:57

Realmente , quem está se danando nessa história é o Sudeste...que tal vocês do nordeste declarem independência?  Ajudaria bastante a resolver nossos problemas.

Comentário de Hilario Aleixo Munhoz em 26 outubro 2014 às 22:53

Porque estamos com baixo crescimento econômico e inflação alta?

Não é por causa da política estatal...não...a culpa é da economia global...

Por analogia, porque os petistas não aceitam que a falta de água também é um problema global e que não foi gerado pelo PSDB?

Olhe, no passado o Lula dizia que o FHC trocava votos por cestas básicas e vale leite...dizia que era uma estratégia de dominação...

Agora isso mudou de nome: Chama de desenvolvimento e política social....

A história felizmente não pode ser reescrita....

E note: O Foro São Paulo é quem governa as decisões estatais na América Latina, e os interesses desse fórum passam pela caminhada política do PT , gerada por afeições de conceitos da esquerda Chavista.

Aliás, assim como Lula se acha um Deus, Chávez também se achava, até que morreu e seu sucessor o vê retornando em passarinhos e árvores...Isso é o que o PT e o Foro São Paulo admira e quer ser quando crescer....

Se essa é a visão do pessoal do nordeste, que defende e vota nesse governo, triste realidade vista a partir do estômago...que se vangloria de ter renda superior a 60 dólares por mês (afinal alegam que tiraram o povo da miséria, utilizando esse parâmetro estatístico da ONU) ou então falam em baixo desemprego quando esse apenas reflete a procura por vagas e não o crescimento da atividade econômica.

Distribuir renda sem que o PIB cresça só é possível através de concessões, impostos, venda de ativos futuros... o que pode favorecer um discurso populista, mas nunca um desenvolvimento econômico.

Veja os EUA, possui 40% da riqueza concentrada em 1% da população, nem por isso é um país classificado como nível ruim de vida. Então distribuir renda não significa obrigatoriamente desenvolvimento econômico....

Bem mas sei que irão radicalizar e ver uma realidade difusa... normal...como já se disse, as vezes me sinto jogando xadrez com um pombo... ele esparrama as peças , suja o tabuleiro e ainda sai com peito estufado achando que ganhou o jogo...

Mas o tempo de deixar que o partido petista fale o que quiser sem ter um contraponto chegou ao fim.... ao longo dos últimos 12 anos não evoluíram democraticamente... o tempo de ficar quieto por ser politicamente correto só gerou o crescimento da ignorância daqueles que pela ausência do debate de ideias não conseguiram ir além do prato de comida.

Chegou a hora , ou fazemos oposição ao ideário distorcido e lúdico do socialismo chavista, ao Foro São Paulo, ou veremos este país entregue a um grupo que busca o poder sem escrúpulos; que apoiado em políticas populistas julga que terá respaldo popular para cercear a liberdade de imprensa e o livre pensamento; que usa políticas sociais para embasar sua política de poder e não para o bem de um povo.

Podem espalhar as peças e sujar o tabuleiro...

Comentário de josé tavares da silva em 26 outubro 2014 às 1:00

   Tá falando bobeira...

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço