Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Para despertar a reflexão sobre a importância da preservação dos recursos naturais e da biodiversidade, a ONU instituiu, em 1972, a data de 5 de junho como o Dia Mundial do Meio Ambiente.

Mais de cinquenta anos depois, o cuidado com o meio ambiente deixou de ser uma mera preocupação para se tornar uma obrigação de todos – principalmente das empresas.

Não por acaso, surgiu o ESG (sigla em inglês para Meio Ambiente, Social e Governança). Hoje, as organizações têm sido cada vez mais demandadas pelos clientes, acionistas e demais públicos de relacionamento para estarem comprometidas com uma atuação sustentável e responsável.

O GPA, dono das marcas Pão de Açúcar e Extra e presente em diferentes cidades do Brasil com mais de 700 lojas, já tem um histórico de pioneirismo nesse tema. Foi, por exemplo, o primeiro varejista a incentivar a reciclagem por parte de seus clientes com a coleta de resíduos recicláveis nas estações das lojas do Pão de Açúcar.

Além disso, sempre estimulou o consumo de produtos orgânicos com gôndolas específicas e descontos voltados para incentivar a compra desses itens.

Mas a companhia, como parte de uma cadeia extensa e que engloba milhares de fornecedores, tem uma preocupação além do consumidor.

Por isso, o GPA está comprometido com o desenvolvimento de uma cadeia de valor: todos os elos da produção e distribuição de alimentos precisam estar unidos para garantir a sustentabilidade dos negócios.

Além de bom preço e produtos de qualidade, a companhia também estimula o combate ao desmatamento, o uso responsável da biodiversidade e o respeito aos direitos humanos.

Entre os exemplos dessa atuação, o GPA vem trabalhando nos últimos cinco anos na disseminação e engajamento das melhores práticas relacionadas ao bem-estar animal na produção de ovos, carne suína, carne bovina e frangos de corte.

Esse trabalho é feito a partir de políticas e processos de homologação, além do monitoramento dos fornecedores em linha com as melhores práticas e legislações vigentes.

Combate às mudanças climáticas

O aquecimento global é uma das grandes preocupações mundiais.

Como parte de uma grande operação para abastecer as casas de milhares de famílias brasileiras, o GPA monitora as emissões dos chamados escopos 1, 2 e 3, que tratam do resultado direto das operações da empresa e das emissões indiretas (tanto as provenientes de energia elétrica adquirida pela companhia quanto as relacionadas à cadeia de valor).

Com esses dados em mãos, o GPA busca soluções mais limpas, seguras e eficientes para reduzir o uso e as emissões de gases poluentes, o consumo de recursos naturais e o desperdício, fomentando uma economia de baixo carbono.

Essas ações integram as decisões estratégicas do GPA e a redução das emissões é parte da meta da remuneração variável da liderança e cargos elegíveis da companhia.

O trabalho realizado até o momento já rendeu frutos, como o atingimento da meta de redução de 38% das emissões de escopos 1 e 2 antes do prazo estipulado, que era o ano de 2030.

Como forma de renovar e avançar nesse compromisso, foi estabelecido um novo marco: 50% de redução das emissões de escopos 1 e 2 até 2025 (tomando 2015 como o ano-base).

Para atingir esse objetivo, a companhia tem atuado em diferentes frentes: a redução do uso de gases refrigerantes com a troca de equipamentos em loja, a busca por fontes energéticas renováveis, aumento da eficiência logística e a redução do descarte de resíduos em aterros sanitários.

Os esforços do GPA foram reconhecidos com a nota A – no ranking do Carbon Disclousure Project (CDP) Climate Change, uma das principais iniciativas mundiais no monitoramento do enfrentamento das mudanças climáticas. O GPA foi a empresa varejista mais bem colocada no segmento alimentar na América do Sul.

Diversidade e inclusão

Cuidar do meio ambiente é também dedicar-se às pessoas e a companhia promove a diversidade e a inclusão por meio de cinco pilares prioritários: equidade racial e de gêneros, promoção aos direitos LGBTQIA+, diversidade etária e inclusão e desenvolvimento de pessoas com deficiência.

O pilar de equidade de gêneros ganhou destaque nos últimos anos com o estabelecimento da meta da presença de 40% de mulheres na liderança até 2025. No ano passado, a partir de uma série de iniciativas realizadas pela companhia, esse objetivo foi alcançado antes do prazo e, para evoluir ainda mais nesse tema, o GPA determinou uma nova meta: 50% de mulheres na liderança até 2025.

Entre os projetos realizados para esse atingimento estão eventos comemorativos voltados para as colaboradoras, conteúdos de letramento na universidade corporativa e, em especial, os programas de desenvolvimento da liderança feminina.

Esses programas englobam diferentes estágios, voltados para diretoras, líderes e não líderes, promovendo o desenvolvimento de competências e estimulando o empoderamento feminino.

Essas são algumas das iniciativas do GPA na agenda ESG, que está integrada ao dia a dia do negócio. Para promover a transparência dessa atuação, a companhia publica o Relatório Anual e de Sustentabilidade, que engloba os projetos desenvolvidos ao longo do período, seus desafios e compromissos.

Clique aqui para ver o relatório de 2023.

Fonte: Brazil Journal

https://sbvc.com.br/gpa-esg-como-estrategia-de-negocio/

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 17

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

© 2024   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço