Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Indústria Têxtil Americana revive trabalhando sem luz acesa

Indústria Têxtil Americana  revive  trabalhando sem luz acesa

Na reportagem  “Textile Technology Center receives $150,000 from state –  , revela-se  a recuperação da  indústria têxtil  (IT)  nos  Estados a Unidosa  “More than 46,000 North Carolina residents worked in textiles last year, making it the second largest manufacturing sector — behind only wood. Sen. Kathy Harrington, R-Gaston was one of the Senate’s chief budget writers, who helped push through the money for the Textile Technology Center. She said the money will help the industry state wide in training workers. - See more at: http://www.innovationintextiles.com/research-development-education/textile-technology-center-receives-150000-from-state/?utm_source=news_alerts&utm_medium=email&utm_campaign=news_alerts#sthash.62TqViHi.dpuf”. Como foi informado  a  IT na  Carolina  do Norte  hoje emprega 46000  trabalhadores , sendo o segundo empregador  no estados , atrás  apenas  da  indústria da madeira.  A IT recupera-se  também de uma imagem  ruim devido a  sua imagem de indústria que  demitiu muita gente nos anos  90. As novas indústrias são limpíssimas, altamente automatizadas, e os salários  são relativamente  altos.

Na reportagem do  NYT  “U.S. Textile Plants Return, With Floors Largely Empty of People  “ , disponível em http://www.nytimes.com/2013/09/20/business/us-textile-factories-ret...; “ , revela-se um panorama  mais completo  da recuperação.  nos anos 90  as fabricas das  Carolinas migraram para  Cina,  Índia, e México, entre outros países.  Parkdale Mills, a maior  compradora de  algodão  cru reabriu em 2010.  segundo a reportagem é  mais barato agora  comprar . Alto índice de automação  reduzem o impacto do  custo mais alto do trabalhador local. Diz o entrevistado  Mr  Winthrop,  “‘From the cotton in the ground to the finished product, this is going to be all American-made,’ ” he said. “It wasn’t some patriotic quest.”   A exportação  americana  cresceu  37%  desde  até  2012 desde  três  anos  atrás.  Além  de custo  e outros benefícios criou-se  nos  EUA um orgulho de consumir produtos feitos no  País.  68%  dos participantes em um pesquisa  revelaram que eles  comprariam produtos  feitos no    País mesmo que  custassem mais caro. Creio que essa pergunta nunca  foi feita  aos  brasileiros. Veja a  Parkdale: a fábrica produz  2.5 de libras  de  fio por semana com  140 trabalhadores . Em 1980, este mesmo nível de produção  necessitava de  2,000 pessoas.  Sugiro que leiam o  artigo no original. Apesar  do  custo mais   alto na manufatura , a redução no número de trabalhadores para produzir determinado artigo,  não impede o retorno da IT nos  EUA, sendo que o custo é mais influenciado pelo custo da  energia.  Vejam as  figuras no site  da reportagem.

 

 

Edison

Exibições: 737

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Comentário de EDISON BITTENCOURT em 21 agosto 2014 às 9:38

O  custo de um  "hoodie" ( moleton com capuz)  foi decomposto em partes no  artigo do NYT:

Nos  EUA, :

Em dólares

                                    Ásia             EUA

Tecido                           18,40          17,40

Implementos                  2,30              3,20

Mão de Obra                  5,50               17,00

Taxas                             3,50                zero

Expedição                       1,70                0,50

Total                               31,40              38,10

Embora mais caro nos  EUA,  os Americanos estão preferindo comprar o que é  produzido lá. O desenvolvimento  dos produtos é mais ágil  que  na  Ásia.  Há outras vantagens.  

Digamos que o  consumidor  compre  2  moletons por  ano. Gastaria cerca de  14  dólares a mais. O que é isso  para um Americano ?  Nada.  Nós pagamos  aqui pelo menos  2  vezes  por um carro  comparando com o preço em vários paises, e continuamos  comprando. O que acontece  aqui é que os  empresários  têxteis aceitam qualquer coisa  que  lhes  enfiem pela guela. O governo protege  a  indústria automotiva  que possui um poderoso labby. Outrossm especulo que  muitos e muitos  empresários  estão satisfeitos  com a presente situação. Outros simplesmente fecham suas  fábricas.De 89 em diante há uma clara e  criminosa ação para inviabilizar  a manufatura no  Brasil  como resultado da adoção de políticas econômicas ditadas pelos  paises  hoje  ricos

Comentário de Joao Burim em 21 agosto 2014 às 8:27

Os produtos brasileiros, embora às vezes mais caros, tem boa qualidade. Produtos chineses e outros asiáticos são péssimos.

Comentário de EDISON BITTENCOURT em 20 agosto 2014 às 10:31

Perdão pelos  erros  no titulo

INDÚSTRIA TÊXTIL AMERICANA REVIVE TRABALHANDO EM LUZ ACESA

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço