Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Israel chama Brasil de “anão diplomático”. E está certo!

Direto da Rua Judaica:

O Brasil, nesta quinta-feira, retirou seu embaixador em Israel para consultas em protesto contra a operação da IDF na Faixa de Gaza. Uma declaração emitida em nota pelo Ministério das Relações Exteriores brasileiro disse que o Brasil considera a “escalada de violência entre Israel e Palestina” como inaceitável. “Nós condenamos fortemente o uso desproporcionado da força por parte de Israel na Faixa de Gaza.”

O Ministério das Relações Exteriores de Israel imediatamente reagiu ao ato brasileiro. “Esta é uma demonstração lamentável porque o Brasil, um gigante econômico e cultural, continua a ser um “anão diplomático”, disse o porta-voz do Ministério do Exterior, Yigal Palmor.

Palmor acrescentou: “O relativismo moral por trás deste movimento faz do Brasil um parceiro diplomático irrelevante, aquele que cria problemas em vez de contribuir para soluções.” 

O ministério israelense está certo! O Brasil, sob o comando do PT, virou mesmo um “anão diplomático”. O Itamaraty virou um braço ideológico do partido, sempre do lado errado nas disputas internacionais. Os exemplos são infindáveis e preencheriam um livro todo (que, aliás, deveria ser escrito por algum diplomata corajoso).

Quando o avião comercial da Malásia caiu com quase 300 pessoas na fronteira da Ucrânia, a presidente Dilma logo repetiu a tese esdrúxula de que o alvo poderia ser o próprio Putin, sendo que a comunidade internacional levantava sérias suspeitas de que o líder russo era justamente quem estava por trás do ataque, treinando e armando os separatistas ucranianos na região. Essa foi apenas a bola fora mais recente. A lista é longa.

O governo brasileiro se aproximou nos últimos anos do que há de pior na geopolítica mundial. Virou aliado de ditadores africanos, de líderes islâmicos extremistas, ofereceu apoio incondicional ao regime cubano assassino, tomou o partido de Chávez e depois Maduro na Venezuela, apoiou e abrigou em nossa embaixada Manuel Zelaya em Honduras, deposto constitucionalmente em seu país, intrometeu-se em questões internas do Paraguai, agindo contra o Congresso do país, protagonizou o vergonhoso episódio com Roger Molina, que foi mantido prisioneiro em nossa embaixada boliviana por mais de um ano, etc.

Como eu disse, a lista não teria fim, mas o leitor já entendeu o ponto. O nosso governo, quando se trata de política externa, é tão incompetente e ideológico como nas questões internas. O estrago tem sido enorme. Ninguém sério nos leva mais a sério. O Brasil virou piada de salão, um país que emite opinião apenas para defender a escória internacional.

A última nota emitida sobre o conflito em Gaza não menciona uma única vez os mísseis lançados pelos terroristas do Hamas. O tom é totalmente contra Israel, como se fosse um país invasor e colonizador, sem motivo algum para entrar em Gaza e perseguir os membros do Hamas.

O nosso governo condena o “uso de força desproporcional”, mas não tem opinião sobre a “moral desproporcional” entre um governo que tenta defender o próprio povo e um grupo terrorista que usa o seu, incluindo crianças, como escudo humano.

Ironicamente, a nota contra Israel vem em um momento em que os próprios países árabes da região, especialmente o governo do Egito, estão mais silenciosos e tolerantes com os avanços israelenses, pois repudiam as práticas do Hamas e sua aliança com a Irmandade Muçulmana.

Ninguém pode ficar feliz com a tragédia humanitária dos palestinos. Mas somente alguém muito parcial apontaria o dedo apenas para Israel, sem levar em conta o que faz o Hamas. Essa foi a postura de nosso governo. Um “anão diplomático”.

Rodrigo Constantino

Exibições: 123

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Comentário de petrúcio josé rodrigues em 25 julho 2014 às 15:51

romildo leite,

acho até que "anão diplomático" foi muito pouco.

dona dilma e seus assessores, deveriam se preocuparem, e, por suas barbas de molho com o tráfico,

onde as felicíssimas comunidades: (manguinho, viigal, rocinha, alemão e outras) matam muito mais PESSOAS INOCENTES, que a guerra citada, quando a qual gerou este desconforto (dos anões).

este pessoal que quer aparecer internacionalmente, deveriam tomar vergonha na cara e verificar que em termos sociais, SOMOS PAIS DO 10º MUNDO.

PORQUE NÃO DEIXAR DE GASTAR DINHEIRO NOS CABRESTOS ELEITOREIROS(BOLSAS DA VIDA), E PARTIR PARA ALGO SÉRIO HONESTOS E QUE POSSA SER ACEITO POR TODOS OS BRASILEIROS.

FICO ENVERGONHADO COM A VAIDADE DA MADAME E SUA EQUIPE.

Comentário de Romildo de Paula Leite em 25 julho 2014 às 15:27

“O relativismo moral por trás deste movimento faz do Brasil um parceiro diplomático irrelevante, aquele que cria problemas em vez de contribuir para soluções.”

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço