Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

PASTELARIA DO CHARLÃO X LOGÍSTICA

A Pastelaria do Charlão entende de Logística como ninguém. Sempre que vou buscar umas dessas delícias para comer em casa fico admirado pela complexa operação que acontece simultaneamente.

Enquanto aguardo lá fora devido ao grande problema de espaço que ele tem, agravado pelo entra e sai de clientes, fico observando o caminhão de entrega de materiais primas (massas de pastel, frios, pães para lanches, sorvetes, refrigerantes) executando a logística inbound da pastelaria. Há um gerente de Logística conferindo a carga (o que julguei ser a mãe do Charlão). Enquanto os clientes estão fazendo pedidos ao gerente de produção, o próprio gerente dá um simples giro de 180º e está de frente para a chapa onde hambúrgueres estão soltando a gordura e fazendo aquele barulhinho (o mesmo que faz quando se abre uma latinha de cerveja: ttttsssss). A sua direita está o tacho de óleo quente para fritar pastéis e logo abaixo um gabinete refrigerado com os pastéis preparados conforme a demanda que ele sabe em sua planilha Excel que fica dentro do seu cérebro sobre o que vende mais em que dia e qual é a quantidade, bem como os picos de venda em determinados horários conforme o horário de ônibus no ponto que fica em frente a sua pastelaria.

Parece uma confusão danada, mas é bem assim que a Logística dele funciona e que muitas organizações não conseguem executar. Ao girar do balcão de atendimento para a chapa quente e o taxo de óleo, vejo um exemplo fantástico de Lean Manufacturing (tudo ao alcance das mãos). Uma simples abertura de portas e lá está o pastel no sabor, na quantidade, no tamanho padrão e no tempo mínimo que o cliente quer e está disposto a pagar. Ahhh… mas ele não é uma indústria que tem setup! Engane-se você que não percebeu a abertura de troca de óleo, bastando-se colocar um tambor ao lado do tacho e o óleo cai por gravidade no tambor (aproveitamento dos recursos disponíveis como gravidade são alternativas excelentes para a geração de energia).

O cliente sai satisfeito, pega seu ônibus de barriga cheia, cheirando à gordura, mas feliz pelo bom atendimento e ainda diz: “Eita pastel gostoso!”.

Finanças recebe à vista. Aquele que tem boa frequência e fidelidade costuma ter carteira de créditos para pagar por semana/mês. Você fica sabendo das novidades da cidade e ainda sai com a fome saciada.

É a logística que sempre existiu vista de ângulos diferentes: e quando peço alguma ação simultânea no meu almoxarifado ainda dizem: “Ele pensa que aqui é pastelaria”. Penso sim que deveria ser, infelizmente ainda não temos toda a versatilidade das pastelarias, mas ainda vamos aprender com eles.

FONTE: | ogerente.com.br|

Escrito por: Adão Delforno

Exibições: 157

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Comentário de maria graciete correia em 19 julho 2010 às 12:22
MUITO INTERESSANTE, GOSTEI E APRENDÍ MUITO COM ESTE CONTEUDO, OBRIGADA, GRACIETE

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço