Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

147 anos do jeans: Uma história feita de cases de superação nos negócios

O jeans nasceu como solução para um desafio de mercado quando o empresário alemão Levi Strauss não conseguiu mais espaço para vender seu produto – que até então era o tecido denim e o transformou em produto. Uma pequena tiragem experimental para atender às demandas por roupas resistentes para os mineradores, já provou para o mundo a principal lei que rege o sucesso dos negócios: olhe para as dores do seu público-alvo.

Nesta quarta-feira, 20 de maio, o jeans está comemorando seus 147 anos somando um legado repleto de cases e situações inspiradoras para nos encorajar – principalmente frente ao contexto imposto pela atual pandemia da Covid-19.

O ideal de sempre atentar para as necessidades das pessoas, independente de status, gênero ou classe social, continuou o acompanhando ao longo desta trajetória de quase um século e meio do jeanswear. Se sua primeira investida como produto foi para atender a necessidade dos mineradores, ele também atendeu aos chamados por igualdade, necessidade, proteção, conforte e sustentabilidade eu se sucederam ao longo dos anos.

O jeans também foi pioneiro em vencer dificuldades através da “collab” (colaboração). Livre de prepotências ou vaidades, quando em 1872, Levi ouviu do alfaiate Jacob Davis o relato de um problema de rasgos nos bolsos, a reação foi uma união em prol de um salto na qualidade do produto. E foi assim que nasceu o rebite.

Levi Strauss

Quem trabalha e ama este segmento sabe que ele passou por diversos momentos decisivos em sua trajetória. Com seu apelo durável, o jeans passou a se tornar uma necessidade para outros tipos de trabalhadores. Por ser tão solícito às demandas das pessoas em geral, acabou se tornando desejo – especialmente quando passou a vestir as mulheres e tomou a capa da Vogue.

Mais uma lição de mercado: nem sempre um produto se torna desejo por ser um ideal de beleza. Ele pode se tornar um ideal de beleza, justamente por provocar nas pessoas um sentimento de retribuição, pelo sua capacidade de servir e atender as necessidades reais, não as ideais.

A história do jeans ainda é longa. Quando a rebeldia precisou de uma “cara”, ele foi a escolha de James Jean e dos cinemas. Quando questionou suas próprias alquimias, buscou soluções biodegradáveis para beneficiar-se. Quando veio para o Brasil e vestiu a jovem guarda, assumiu uma versão brasileira alegre e relaxada.

E tem mais: quando o consumidor cansou do seu visual azul, nos anos 90, multiplicou-se em versões coloridas. Quando o conforto impôs barreiras para sua expansão, passou a incorporar o elastano.

Assim que a fragilidade do nosso planeta se esboçou, mudou seus hábitos e tem empenhado esforços para se tornar mais sustentável. Nesta crise que estamos vivendo, não temos dúvida de que o jeans novamente será um case bem sucedido de superação e promoverá a inspiração para toda cadeia têxtil.

Feliz aniversário, jeans!

Fonte: Vivian David | Fotos: Reprodução

Por: Equipe Guia JeansWear

https://guiajeanswear.com.br/noticias/147-anos-do-jeans-uma-histori...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 392

Responder esta

Respostas a este tópico

Conheço essa história, pois li bastante sobre ela. Além de ser formado Técnico Têxtil, em 1981, quando a Paraguaçu Têxtil virou toda sua produção para o Jeans Índigo Blue, à época da montagem da máquina, fiz um treinamento em tingimento,  na BASF, em São Paulo, onde me foi dado conhecer sua história.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço