Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

208 Trabalhadores São Demitidos de Tecelagem em São Manuel, SP

Empresa entrou com pedido de recuperação judicial.
Esta foi a terceira demissão em massa em menos de um ano.

Mais de 200 trabalhadores foram demitidos em uma tecelagem em São Manuel, no interior de São Paulo, nesta quinta-feira (05). A empresa entrou com pedido de recuperação judicial na Justiça.

A empresa foi comprada em 2009 por um grupo empresarial de Itatiba. Na época eram quase mil funcionários. Esta já é terceira demissão seguida em menos de um ano. Só restaram 380 empregados. Na filial de São Manuel havia uma fiação e a uma malharia, fechada no mês passado.

A empresa enfrenta dificuldade financeira e entrou na Justiça com pedido de recuperação judicial, que não ainda não foi analisado. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Têxtil do estado de São Paulo esteve em São Manuel nesta quinta e conversou com a equipe de reportagem pelo telefone:

“A primeira proposta da empresa era de pagar a verba rescisória dos funcionários demitidos em 24 parcelas, mas depois de uma reunião entre trabalhadores, sindicato e diretores da indústria, foi feito um acordo e o pagamento será feito em 12 meses”, explicou.

O acordo não agradou a todos os trabalhadores demitidos. Cléia Mirândola trabalhou na fiação por 18 anos e não está satisfeita. Segundo os trabalhadores, a previsão é que a empresa feche até março. Aline Fernanda Policarpo tem um filho de dois anos e está sem saber o que fazer para conseguir sustentá-lo.

A direção da tecelagem em São Manuel não quis se manifestar sobre as demissões e nem sobre o que teria provocado a crise financeira. Na verdade, a indústria têxtil e também a de confecção enfrentam a concorrência desleal dos produtos chineses.

O Ministério da Fazenda estuda medidas para reduzir a entrada destes produtos, como o aumento de impostos sobre produtos importados. No estado de São Paulo, o governo prorrogou decreto que reduz a alíquota do ICMS para o setor.

Fonte:|http://g1.globo.com/sao-paulo/bauru-marilia/noticia/2012/01/208-tra...

Exibições: 1250

Responder esta

Respostas a este tópico

Poxa. Francesco: Saistes na hora certa!

 

Essa ainda esta negociando o pagamento da verba rescisória parcelada, algumas nem isso vão conseguir fazer se o mercado não melhorar. Cade esse governo que acarrecada 1 trilhão!!! Pra onde vai esse dinheiro? Porque meu carro tem seguro senão roubam, minha casa tem seguro senão roubam, eu tenho plano médico de saúde porque não quero morrer no corredor de um hospital, minha faculdade e meu MBA eu que paguei... onde entrou o Governo???? Ah! nem pra ajudar as empresas a terem competitividade esse país presta... que é manter nossos empregos para continuarmos dando dinheiro para eles...

Bom dia

Essa Empresa de Sao Manuel é Malhas Elizabeth, do mesmo Grupo Franco Matos (Empresa Já Em Recuperaçao Judicial )

Mais uma e virão muitas outras, enquanto não mudar nossa tributação e CLT de Vargas, não seremos competitivos ou pressionarmos uma taxação aos importados ou nossa realidade será de mandar matéria prima e receber manufaturados, nossos sindicatos são omissos ficam mais interessados em reter contribuição dos empregados para suas regalias  do que pressionar seu grande aliado o governo a barrar as importações,  na  industria de confecção e mil vezes importar do que produzir aqui e só trocar a etiqueta. Aqui a Mao de obra e mais cara de uma roupa casual de que comprar uma peça na Europa Ou America .

Pra frete Brasil

Cara Mariana,

O governo, em todas as suas esferas, é apenas um sócio indigesto e compulsório de todas as empresas (e porque não da maioria das pessoas físicas), que aparece frequentemente somente para recolher o seu polpudo "pró-labore" em forma de pesadíssimos impostos. Para ele não importa se você tem lucro ou prejuízo, se seu fluxo de caixa pode pagar imediatamente ou não; sua parte tem que ser reservada e rapidamente recolhida.

Qual é a contrapartida de todo esse "pró-labore"??? Bom, você já respondeu. Se quisermos alguma coisa com um mínimo de dignidade temos que pagar à parte.

Como diz a tragicomédia: "Brasileiro é tão bonzinho!!!"

Brasileiro sofre muito, mas prefere ficar quietinho em casa esperando que alguns deem a cara a tapa para amenizar seu sofrimento.

A maioria terceiriza sua própria vida aos outros por pura preguiça.

É triste mas real. Fica cada vez mais claro que, ou nos unamos, ou passaremos a assistir passivamente a esse tipo de notícia com maior frequência doravante. É como se eu morresse um pouquinho a cada vez que vejo uma empresa de nossa cadeia definhando.

Inevitável ou evitável??? Só a disposição por união e atuação responderá.



Mariana Beggi disse:

Essa ainda esta negociando o pagamento da verba rescisória parcelada, algumas nem isso vão conseguir fazer se o mercado não melhorar. Cade esse governo que acarrecada 1 trilhão!!! Pra onde vai esse dinheiro? Porque meu carro tem seguro senão roubam, minha casa tem seguro senão roubam, eu tenho plano médico de saúde porque não quero morrer no corredor de um hospital, minha faculdade e meu MBA eu que paguei... onde entrou o Governo???? Ah! nem pra ajudar as empresas a terem competitividade esse país presta... que é manter nossos empregos para continuarmos dando dinheiro para eles...

Esta situação é a muito triste pois não podemos deixar de lembrar que todas estas empresas que aparentemente estão
em dificuldade financeira tem origem no Grupo Vicunha,é uma pena.
Acho que diante destes fatos só podemos rezar.

Pessoal...ficar só escrevendo reclamando do governo não resolve nada. Alguém aqui tem a coragem de peitar o governo? Alguém aqui já se prontificou em ir a Brasília reivindicar algo? O povo é muito desorganizado.... Mariana...por que você não faz sua inscrição no Prouni? O governo tá fazendo inscrição para bolsistas no exterior, por que você não tenta? www.cienciasemfronteiras.gov.br dá uma olhadinha neste site.


Estranho,não conheço a são manuel,sou montador têxtil

Sou técnico têxtil e trabalho em uma empresa têxtil em Suzano desde 2002. Aqui a situação está sendo muito pior do que essa empresa em São Manuel no interior do estado.

Em novembro de 2010, houve a 1ª demissão em massa, 400 funcionários foram dispensados. Em março de 2011, houve a 2ª demissão, mais 500 funcionários foram dispensados.

Desde então, tecelagem com mais de 300 teares está totalmente parada e fiação rings, desde setor de abridor e batedor até as conicaleiras, também totalmente parados.

Após essas demissões a empresa também entrou em recuperação judicial, válido por seis meses. Em meados de Dezembro de 2011, a empresa fez uma proposta para os 900 ex- funcionários. A proposta da empresa foi de pagar apenas 50% da recisão, desde que pelo menos metade das pessoas aceitassem. Isso ocorreu, porém a empresa pagou apenas 40% do valor desse acordo, ficando o 60% restante para Janeiro ou Fevereiro de 2012, após uma assembléia com os ex-funcionários e credores.

Se esse acordo for aceito, a empresa entrará com um novo pedido de recuperação judicial por mais alguns meses. Mas caso contrário, os credores poderão pedir a falência da empresa e sendo assim serão mais 230 pessoas desempregadas.

O clima na empresa é de incerteza e muita preocupação. O presidente da empresa está vendendo a maioria das máquinas da fiação e tecelagem e após os prédios estarem desocupados estará alugando-os para outros segmentos da indústria.

Se alguém souber de uma vaga de técnico têxtil, por favor avise.

 

 

Olá, sou técnico têxtil. Qual é o tipo de máquina têxtil que você monta?

Paulo Sérgio Soares Fontes disse:

Estranho,não conheço a são manuel,sou montador têxtil

A tecelagem pertencia ao grupo Vicunha e também tem fábricas em Minas Gerais. Foi comprada em 2009 pelo grupo Franco Matos, com sede em Itatiba (SP). A empresa, que fechou a malharia de São Manuel no fim de 2011, estaria com dificuldades financeiras por causa da concorrência das confecções chinesas.

Valdo Silva disse:

Olá, sou técnico têxtil. Qual é o tipo de máquina têxtil que você monta?

Paulo Sérgio Soares Fontes disse:

Estranho,não conheço a são manuel,sou montador têxtil

Que situação. Conheço algumas pessoas em São Manuel.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço