Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano X

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano X

Sam de Mattos
  • Masculino
  • Moore, SC
  • Estados Unidos
Compartilhar

Amigos de Sam de Mattos

  • Edvaldo
  • Carlos
  • Álvaro Luiz Palhares Diniz
  • Sandra maria de l paoliello
  • sivaram
  • Alexandre Baptista Alves
  • Olmedo Humberto Arciniegas Cuell
  • alfredo cardoso Neto
  • Francisco Sergio M de L Meireles
  • MILTON SCORZA
  • Jocelaine Miguel
  • SERGIO MASCARENHAS MARTINS DA CO
  • Olmedo Humberto Arciniegas Cuell
  • Paula Puebla
  • Anita Lima

Discussões de Sam de Mattos

Busco Muratas

Started 18 Jan, 2013 0 Respostas

10 a 30:  MURATAS MODELO MJS 802 HR. Gentileza observarem que somente HR serao consideradas.10 to 30 ea: Muratas MJS 802 HR. Please note that they are HR. Only HR will be considered.Obrigado /…Continuar

Busco Teares Sulzer

Iniciou esta discussão. Última resposta de sivaram 7 Mar, 2013. 7 Respostas

PROCURO TEARES SULZER USADOS A PROJETIL DE QUALQUER ANO OU LARGURA.Continuar

Wanted For American Firm

Started 13 Jul, 2011 0 Respostas

 An American firm, working with DENIM (South East of USA)             NEEDS:1- Weaving Manager2-Spinning Manager3- Finishing and dyeing Manager. Emails and résumés to Sam de Mattos, Jr…Continuar

Tags: AVAILABLE, JOB

MEDIDAS DAS CORREIAS TANGENCIAIS

Started 21 Fev, 2011 0 Respostas

Las medidas son:Largo cerrado  43,1 MetrosAncho  30 mmEspesor  2 mmContinuar

 

Página de Sam de Mattos

Últimas atividades

Sam de Mattos comentou a postagem no blog COTEMINAS - Revista Veja -edição 2117 de Textile Industry
"Fake News: Nos EUA produção pífia e decadente. Creio que nem mais existe esse Grupo Springs."
2 Dez

Informações do Perfil

EMPRESA QUE TRABALHA
ATKINS - MAQUINARIA TEXTEIS USA
ÁREA DE ATUACAO
Diretor de Vendas: Nossa firma familiar e lider mundial em vendas de maquinas textil. Temos 36 anos de experiencia e 22 de vendas ao Brasil. Nos conheca melhor no www.atkinsmachinery.com e fale comigo no sam.de.mattos (SKYPE), ou escreva para samdem@aol.com ou sdemattos@atkinsmachinery.com.
Nos encontre na REVISTA TEXTIL. Pergunte por nos aos melhores fabricantes texteis do Brasil - sao nossos clientes.
Abracao a todos,
Sam de Mattos, Jr.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

FUMACEH FASHION - Rs Rs Rs

FUMACE FASHION: Oi Queridos:

A ideia do Linho de Maconha me parece fantástica. Desde os anos oitentas os tênis feitos com esta fibra são popularíssimos nos EUA e Europa. Muito antes disto o cannabis era plantado na índia, Paquistão, Oriente Médio e no Nordeste do Brasil, onde que se faziam sacos com a fibra. E um tipo de linhão, que juntado a outras fibras (linho incluso) da um efeito lindo ao tecido, e muito subsídios criativos a indústria de cortinas, estofados etc.

Ha anos o pessoal tenta  criar uma substancial diferença entre os primos irmãos, a Cannabis Sativa, ou o popular fumo, jereré, grass, weed, etc., este mais potente e mais indicado a ser usados para dar "tapas no macaco", como se falava nos setenta. Já a cannabis Ruderallis, é a prima irmã menos forte. Mas sem duvida nenhuma, com persistência e um cachimbão tipo o da paz, a pajelança, o "tapa no macaco" TAMBEM será atingida. Só estou falando isso “na bucha” para acabar com o barato de ficar falando este assunto em código do Leonardo da Vince e a boca pequena – e por quem não entende do riscado.  Ou para gente do tipo do Presidente Clinton: Jurou de mão na bíblia, que tinha experimentado com um fininho de Cannabis em Londres quando moleque e meio Hippie. ‘Tava de cara cheia de vinho, ouvia Janis Joplin e Jimmy Hendrix, curtia o maior barato e rolava o “magro” de cá para lá na boca, MAS NÃO TRAGOU!. Rs, Rs, Rs! Seria mais fácil o trouxa mentir dizendo que era de Cannabis Ruderallis. He he he .

Dai, baseado nos princípios da Tradicional Família Mineira, como ex-aluno da Escola de Minas de Ouro preto, e ex-Puro da Republica Pureza, o que diria quanto à plantação destas ervas para a produção de fibras? SUPER VALIDO: Uma vez que haja um bom controle para que se evite a garotada enchendo a moringa de fumacê, o cânhamo, de qualquer tipo, é uma fibra viável, aliviará o escarces do algodão, e abrira um mercado muito grande com a garotada do mundo inteiro, especialmente se nas etiquetas das roupas de cânhamo estiver como símbolo a famosa folhinha deste lindo arbusto; também o marketing do produto deve estar ligado a ecologia, ao verde ao Green. E com um bom slogan, sugiro algo assim: “Go Green, Go Grass, Go Amazon Grass! Produto do Brasil! Ou, “Va Verde, Va de Folhas, de Folhas da Amazônia! Importante: Amazônia deve sempre ser citada, ate em palitos de Poliéster!

PS-Ponhamos perto da dita etiqueta, em vários idiomas, um aviso à molecada: “ESTE PRODUTO NÃO E FUMAVEL!”.

Fotos de Sam de Mattos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Blog de Sam de Mattos

HA QUARTRO ANOS ATRAS... Quem estava certo?

Postado em 26 janeiro 2017 às 10:22 1 Comentar

Comentário de Sam de Mattos em 6 maio 2013 às 11:23
Excluir comentário

 

Não creio que a família Batista da Silva deve ser…

Continuar

O Mau Humor na Indústria Textil

Postado em 19 fevereiro 2016 às 17:40 9 Comentários

Li, minutos atrás, um texto que denota que a indústria textil sofre em consequência de nosso mau humor.

Se eu hoje, não tivesse de um “saco de filó”, confesso, ele explodiria.

A crise econômica na indústria brasileira é fato de corrente de um desgoverno cínico e manipulador e Latrocrata.

Ela foi prevista, todos os indicadores econômicos apontavam a isso.

Inúmeros textos sobre essa previsão foram escritos, há mais de cinco anos.

Também foi mostrado o que aconteceria…

Continuar

A morte de uma naҫão

Postado em 23 julho 2015 às 15:00 2 Comentários

Eu não sou um cientista social, tampouco creio que a nosso chamado modelo de “democracia” é a melhor do universo e mais: DEMOCRACIA no sentido Socrático é Platonismo, é um modelo ideal, um paradigma de imaginação, é Poliana, porem funciona como um alvo almejado, algo a ser buscado.

O Sistema de independência de poderes, eu creio ser o melhor modelo que podemos escolher no momento.

Ele consiste de dividir os Poder em tres segmentos, de tal modo que um…

Continuar

A lei, a impunidade e as suas consequencias...

Postado em 7 março 2015 às 20:30 0 Comentários

A LEI É PARA TODOS – mas, no Brasil, a impunidade é para muitos: Muitos privilegiados”, nepotistas, déspotas, poderosos, políticos e coligados ao poder.

SdM

No Crime do Petrolão, já sabemos qual será o resultado de todo o teatro Advocatício e Jurídico que será pasto ao palco: Acontecera como no Mensalão, ou como no Escândalo de Carlinhos Cachoeira, como no de Rosemary Maranhão, como o que aconteceu ao Vaccari, ao Jesuíno, ao Zé Dirceu, e tantos outros: Resultara em nada ou…

Continuar

Caixa de Recados (30 comentários)

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano X para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano X

Às 15:21 em 7 março 2013, petrúcio josé rodrigues disse...

Sam de Mattos,

sua  ausencia  foi sentida.

seus  comentários são preciosos.  conviver neste  espaço contigo é  alvissareiro.

boa tade,

petrucio jose  rodrigues

Às 11:26 em 8 fevereiro 2013, alfredo cardoso Neto disse...

Como fui inocente, agora. Deveria saber que outras fontes não lhe escaparia ,ainda bem que posso contar com sua proximidade, pois sempre estarei abastecido de conhecimento.Um grande abraço - alfredo

Só para os intimos - é Fredão, Alfredinho que me lembro, só minha mãe e voce.Fico feliz.

Às 10:45 em 8 fevereiro 2013, alfredo cardoso Neto disse...

Sam esqueci, se necessitar, meu mail - acn@okko.com.br

Às 10:43 em 8 fevereiro 2013, alfredo cardoso Neto disse...

Sam, aqui o Alfredo. Recebi de um amigo do RJ, hoje,  um site da "avaaz.org", que gostaria que voce entrasse para tambem apor sua assinatura, pois o mesmo pretende derrubar a eleição mais hipocrita e imoral do congresso nacional - Sr.Renan Calheiros para presidente da casa. As postagens já estão acima de 850mil, faltam 400mil para o 1,5% dos eleitores nascionais e poderemos derrubar esta súcia do poder, mais uma vez. E olhe que eles insistem?!?!

Às 22:31 em 2 janeiro 2013, petrúcio josé rodrigues disse...

SAM DE MATTOS,

CONHECES MUITO SOBRE A HISTÓRIA DOS  POVOS. SOBRE A HISTÓRIA DOS GRANDES REIS QUE GOVERNARAM GRANDES IMPÉRIOS.

POR ISTO, EXEMPLIFICAMOS  SALOMÃO, REI SOBRE ISRAEL POR MUITOS E MUITOS ANOS.

TIDO COMO HOMEM SÁBIO,  CAPAZ DE  DISCERNIR E  EXECUTAR GRANDES PROJETOS.

SALOMÃO EM SEU REINADO, USAVA DE GRANDE HOMENS COM EXPERIÊNCIAS PROFUNDAS.

ELES FORMAVAM O CONSELHO DOS ANCIÃOS, CUJA RESPONSABILIDADE ERAM AUXILIAR O MANDATÁRIO A DISCERNIR A "MELHOR DECISÃO A SER TOMADA". TODOS OS HOMENS, MULHERES E JOVENS, SE ACONSELHAVAM DELES,PARA TOMADA DE POSIÇÕES.

SEI CARISSIMO SAM DE MATTOS ("ESPANADOR DE ASTROS"), QUE O know how, aponta para sucessão de erros acumulandos, resultando pois na melhor forma de  fazer as coisas.

NESTA EXPERIÊNCIA QUE ME ESTRIBO, CONSIDERANDO QUE TENS UM GRANDE CONHECIMENTO QUE NÃO PODEMOS DEIXAR DE CONSIDERAR.

USE SEU GRANDE CONHECIMENTO, E AJUDE-NOS A VENCER A CRISE EXISTENTE, COM A FALTA  DE EQULIBRIO, AOS HOMENS (COMANDANTES).

O BRASIL ANSEIA POR ISTO. PRECISAMOS VENCER A CRISE DA MENTIRA, DOS  DESRESPEITOS, DA INSENSATEZ E DA IMORALIDADE, TÃO COMUM HOJE NO NOSSO MEIO.

ESTAREI LIGADO NO SEU CONECIMENTO, PORQUE, SEI QUE ÉS UM HOMEM SENSATO E DETENTOR DE UMA FORMA DE VIDA EQUILIBRADA E PRODUTIVA.

BOA NOTE COMPANHEIRO,

basileiro SOFREDOR   (petrúcio josé rodrigues)

Às 16:28 em 1 janeiro 2013, petrúcio josé rodrigues disse...

QUE TODOS OS DIAS DE 2013 TE SEJAM MAGNIFICOS.

RECONHEÇO QUE ÉS EXTREMAMENTE CONHECEDOR DAS COISAS. É POSSIVEL, QUE  VENHAMOS NOS ENCONTRAR CONTINUADAMENTE AQUI NAS  PÁGINAS, POR CONSEGUINTE,  IREI APRENDENDO MAIS COM O COMPANHEIRO.

FELIZ 2013, CARISSIMO SAN DE MATTOS. 

Às 10:59 em 31 dezembro 2012, petrúcio josé rodrigues disse...

companheiro Sam de Mattos,

feliz último dia do ano HISTÓRICO de  2012.

porém, rogo a  Deus que te  seja muitíssimo benéfico e bem melhor, esse novo ano de (2013).

muito bom haver  conhecido sua forma  franca e  racional de  dizer  as coisas.

conte  comigo em 2013,

petrúcio josé  rodrigues e  familia

Às 23:17 em 15 abril 2012, Silvia Martinewski de Mattos disse...

Ah, using Silvia's machine. Y como anda EL Morfador de Insectos:

Às 23:13 em 15 abril 2012, Silvia Martinewski de Mattos disse...

Paula

Via email I will send you a great opportunity of work with a prime Brazilian Company. Over email, soon.

In BR and with a bad cold!

Às 14:03 em 15 abril 2012, Paula Puebla disse...

Sam, ya en Buenos Aires, keeping up with all the assignments we talked about. This is my first time in the blog, trying to get used to it.

Un gran abrazo,

Paula

 

Twitter Tracker (Personal)

 
 
 

© 2017   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço