Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Caro Erivaldo,
Parabéns pela iniciativa.
Do tópico no qual quero inserir uma provocação aos empresários que nos lerem.
Sabemos que, mesmo antes da crise aguda que vivemos, a indústria têxtil portuguesa, salvo raras e honrosas excepções já vinha passando por dificuldades.
Temos técnicos, maquinário, conhecimento do mercado e dos canais de distribuição e uma história de raça que tanto nos orgulha. Mas o que está acontecendo então?
Que tal começar a ver novas alternativas?
Que tal começar a pesquisar sobre um mercado interno com 150 milhões de consumidores e líder no seu bloco econômico.
Um dos maiores produtores de Algodão do mundo e está apenas no inicio desta cultura. Com mão de obra disponível e Instituições para capacitá-la de acordo com os requerimentos da indústria.
Com incentivos econômicos, fiscais e financiamentos.
Que permite a importação de maquinário usado e ainda tem uma relação privilegiada com o mundo.
Não é o Shangri-lá mas é próximo.
- O Brasil, mais particularmente o interior da Bahia tem isso tudo e mais.
Mas e os problemas que temos escutado com os brasileiros?...
Sim tem problemas.
Sendo que na sua grande maioria se devem á grande dificuldade que os nossos compatriotas têm de entender que a divergência de processos, a cultura social e profissional do mercado brasileiro criam dificuldades de relacionamento e concretização de negócios levando o Empreendedor bem intencionado ao desestímulo em curto espaço de tempo, se não tiver o apoio de especialistas, mas para isso estamos aqui para ajudar!
Como disse no inicio é uma provocação, um desafio mas como diz o provérbio:
- “QUEM FAZ O QUE SEMPRE FEZ, TERÁ O QUE SEMPRE TEVE”!

Exibições: 151

Responder esta

Respostas a este tópico

Sr Walter, apesar de não ser empresário gostei da provocação. Acho que todos os membros devem entrar na roda de discussão, pois não é um único segmento que irá mudar o cenário atual.
A primeira pergunta a ser respondida deve ser esta:
O que o sr tem feito para alterar esta realidade?
Ricardo Vieira de Almeida disse:
Sr Walter, apesar de não ser empresário gostei da provocação. Acho que todos os membros devem entrar na roda de discussão, pois não é um único segmento que irá mudar o cenário atual.
A primeira pergunta a ser respondida deve ser esta:
O que o sr tem feito para alterar esta realidade?
Caro Ricardo, (a informalidade facilita o relacionamento)

Para não encher algumas paginas com a resposta que me pede, sugiro ver meu site e meu blog (no final) se ainda não for suficiente posso então fazer uma longa lista que inclui a diretoria da Câmara Portuguesa de Comercio no Brasil - Bahia, pelo trabalho realizado em pról da interação empresarial Portugal - Brasil a indicação ao Prémio Empreendedorismo Inovador da Diáspora Portuguesa da presidencia da republica, etc.
Somente este ano estive em Portugal 72 dias em 56 reuniões com 72 empresários...

www.ibconsult.com.br e http://wmontalvao.blogspot.com/

Vamos continuar a conversar ...

Walter Montalvão
Sua pertinente colocação relativa ás taxas e impostos é um dos fatores determinante para as dificuldades que o Brasil tem de exportar, mas pode incluir também a infra estrutura logística e a burocracia como problemas, que este país ainda não conseguiu superar.
Mas é o tamanho do mercado interno?
E a facilidade preferencial de acesso ao MERCOSUL?
E as todas as outras facilidades que aponto no comentário inicial?
Os 25 anos de Brasil atuando na área comercial, me convenceram que aqui é e será a grande saída para uma boa parcela dos empresários portugueses a curto e médio prazo.
Mas para isso precisam estar despidos de preconceitos e apoiados por quem lhes possa mostrar a realidade local e apontar os melhores caminhos.
Este próximo final de semana a Câmara Portuguesa de Comercio do Brasil-Bahia onde sou diretor, está fazendo o III Seminário de Oportunidades de Negócios Portugal – Bahia e entre os mais de 80 empresários, está vindo o Presidente da ATP a quem convidei para conhecer a região onde mais se produz algodão de qualidade no Brasil e que ainda não tem uma única indústria na área têxtil e conhecer também alguns portugueses FELIZES nesse mercado.
Já que gosto de provocar, aqui vai mais uma...Talvez a sua marca possa iniciar na Bahia, ganhar o Brasil...capitalizar e depois expandir para a Europa


Joaquim Pedro Monção disse:
Boa Tarde
Sendo eu português e vivendo em Portugal, tenho imensa pena que a gente não consiga fazer mais negócios com a industria têxtil brasileira. A sobre carga de taxas e impostos de importação faz com que os artigos têxteis brasileiros cheguem a Portugal com preços muito elevados e fora do preço de mercado. Estou neste momento a criar uma marca de roupa e apesar de alguns esforços em trabalhar ou representar marcas brasileiras, é muito difícil. Será que no futuro o Brasil vai mudar algo para que seja possível haver mais negócios Portugal/Brasil? É que eu adoraria trabalhar com artigos brasileiros?

Abraço e parabéns a esta iniciativa

Joaquim Pedro
concordo plenamente com voce. Eu como empresario brasileiro vejo a crise como oportunidade para se ganhar dinheiro buscando as necessidades das pessoas nesta época dificil ,e proporcionando a elas uma nova chance (real) para se ganhar dinheiro. Trabalho com máquinas texteis para enrolamento de linhas para costura (conicaleiras) e fabricava somente máquinas grandes para atender grandes industrias , hoje faço máquinas atá de 01 fuso ,para atender pequenos fabricantes de linhas para costura.
Temos que mudar ,inovar o mercado , e principalmente pulverizar mais nossa produção ,atingindo mais pessoas e gerando mais lucros,para nós e nossos clientes.
Caro Abel,
Obrigado pelo suporte.
O que procuro ao participar destes foruns é gerar discussões principalmente entre os empresários meus conterrâneos e através destas poder mostra-lhes o quanto tem a ganhar ao ajudar um país como o Brasil a crescer. Trazendo seu now how e a inegável força de vencer que nos é característica (alguns dirão teimosia e casmurrice) aliando á também inegável capacidade dos brasileiros em aprender, fazer, ensinar e promover relacionamentos, só poderemos juntos crescer economicamente e promover o desenvolvimento social no mundo. Afinal é nele que vivemos.
Sempre lembro uma frase que estava na parede de todas as salas de venda da Xerox onde trabalhei 11 anos: - “A palavra crise em chinês é a combinação dos ideogramas RISCO e OPORTUNIDADE”.

Á vossa disposição para ajudar a ganhar dinheiro.

Walter Montalvão
abel de fatima silva disse:
concordo plenamente com voce. Eu como empresario brasileiro vejo a crise como oportunidade para se ganhar dinheiro buscando as necessidades das pessoas nesta época dificil ,e proporcionando a elas uma nova chance (real) para se ganhar dinheiro. Trabalho com máquinas texteis para enrolamento de linhas para costura (conicaleiras) e fabricava somente máquinas grandes para atender grandes industrias , hoje faço máquinas atá de 01 fuso ,para atender pequenos fabricantes de linhas para costura.
Temos que mudar ,inovar o mercado , e principalmente pulverizar mais nossa produção ,atingindo mais pessoas e gerando mais lucros,para nós e nossos clientes.

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço