Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Responsáveis por fábrica de confecções não apareceram mais no local para dar satisfações aos empregados.

Responsáveis não apareceram mais no local para dar satisfações aos empregados  (Foto: Andriano Zeni/Rádio Difusora)

Cerca de 30 funcionários deram de cara com a porta da empresa fechada na manhã de ontem ao chegar para trabalhar. A Ciclone Indústria de Confecção Ltda. exercia suas atividades no município de São Jorge D’Oeste até esta segunda-feira, quando os responsáveis não apareceram mais no local para dar satisfações. O barracão onde a empresa funcionava fica próximo ao trevo de acesso a cidade e foi inaugurado em 2006. Desde então, outras empresas também tiveram passagem pelo local.

Desde os materiais utilizados para a confecção das peças, até mesmo o maquinário, tudo ficou no local. Mas a questão principal é: como ficarão os funcionários? Sobre o assunto, a presidente do Sindicato nas Indústria e do Vestuário, Eloir Aparecida de Oliveira, falou à Rádio Difusora que tudo será feito e, dentro da parte legal, haverá o fechamento da empresa, com o acerto de contas com os trabalhadores. Além disso, será preciso devolver o barracão à administração municipal de São Jorge D’Oeste para que ela possa ceder o comodato a outras empresas.

Atualmente trabalhavam no local 17 funcionários registrados e outros 16 sem o registro. “Isso caracteriza o abando de atividades de empresa, não deram explicação a ninguém”, diz Eloir.

Segundo informações extraoficiais, a última vez que o gerente da empresa, Ciclone Nelson dos Santos, apareceu na fábrica foi no dia 12 de agosto de 2013, na parte da tarde. Ele teria falado aos empregados que não pagaria ninguém, pois ele não conseguiu trocar o cheque, e que eles poderiam até atear fogo no local, pois ele estava abrindo falência.

http://www.diariodosudoeste.com.br/noticias/regiao/8,35446,27,08,em...

Exibições: 3138

Responder esta

Respostas a este tópico

como microempresaria, fico imaginando o desespero de um dono de empresa para chegar neste ponto, quando unta ministerio do trabalho, receita estadual e federal e tudo o mais, um empresario sozinho a unica saida que encontra e esta, fechar tudo e sumir, e o que tem hora que da vontade principalmente quando voce ver uma materia jornalistica com uma ministra liberando 9 milhoes para tres grifes, onde uma delas e de garoto de 23 anos que apareceu porque tem uma mae jornalista e se diz estilista assim como o pai, imagine que uma empresa desta se salavria 200 mil de investimento bem feito, em mercado por exemplo, que este pais nao tem mais nada no mercado nacional, da muita do e revolta quando vejo isto e lembro dos quase 9 milhoes.



EDILBERTO PEREIRA LIMA disse:

Infelizmente não há como mudar, os próprios partidos são quadrilhas formadas, funciona de pai pra filho, é assim que se formam os partidos, é mais fácil existir um partido político chamado PCC, do que nós formarmos um partido leal e justo, o que chamaríamos de sociedade é o caos está se criando, voto não muda se não muda os partidos.

Luiz Eduardo Mello disse:

Todo Pais civilizado muda pelo VOTO.

Qualquer partido politico que esta' no poder foi pela maioria dos votos que conseguiu isso.

Se obtiveram esses avais e' porque o Povo quiz que fosse assim.

Caso forem bons se reelegem se ruins temos a chance de tira-los de la' nao votando mais neles.

Eu sei que e' repetir a mesma tecla mas e' a verdade.

Os novos que escolhermos podem modificar qualquer decisao errada ou injustamente tomada. 

Depende de nossa capacidade de decidirmos o que e' melhor para o Brasil.

Nao adianta chorar o leite derramado.O negocio certo e' nao derrubar o leite.

 


infelizmente num pais de analfabeto uteis como o nosso o ano que vem estara todo mundo votando em safado junior, pilantra filho, 171 neto, bandido sobrinho e por ai vai, porque quem elege esta canalha nao somo nos, sao a nossa clase pobre que se vende por uma cesta basica ou 10 reais

Nao e' facil os colaboradores assumirem uma fabrica.

Qualquer empresa precisa de investimento...responsavel tecnico...credito...trabalho de 12mese/ano...12 ou mais horas diarias...pagar em dia salarios e obrigacoes tributarias(multa por atrazo de tributos e' de 8,50%)...vendas...compras...pecas de reposicao...logistica...

Dificil..........

Nosso Pais e' muito injusto e com anuencia nossa por sermos pessimos eleitores...talves os piores do mundo civilizado...aonde a grana;o egoismo;o individualismo;a falta de uniao....................................

Porisso que falo e reafirmo que a nossa salvacao esta' no bem votar...

Nao deveriamos ficar falando mais desses problemas diarios e falarmos do futuro de mudancas que quermos e esperamos.

Partido e' como time de futebol que para ser bom precisa que coloquem bons jogadores la'.

O Sao Paulo...o Palmeiras...o Corinthians...todos tem muitos anos de vida mas trocam constantemente seus jogadores para ter titulos.

Nossos partido sao assim tambem.Se colocarmos maus la' teremos maus resultados.

Tudo depende de nos.Nos e' quem escolhemos nosso futuro.Ninguem diferente de nos.

Se choramos as desgracas e' porque nao tivemos competencia ao votar.

Chorar por isso e' simbolo de fraquesa.

Voçes  virão que ate agora todos estão preocupado com a politica e não com os funcionarios e nem com o pobre dono da empresa se recizar não sei ainda como ajudar mais pode contar tenho muitos contatos ok .

RUBENS MECANICO

Joao Burim disse:

O sindicato ou os funcionarios, por iniciativa propria, podem tocar a fabrica no sistema de cooperativa. Conversem com clientes e fornecedores e vão em frente. Sorte a todos.

Prezado RUBENS

Temos que resolver o Brasil como um todo e somente por intermedio de uma boa politica podemos fazer isso.

Que adianta nos atermos hoje somente em uma situacao?

Amanha virao outras e mais outras com os mesmos problemas cujos problemas esta' na nossa geral incompetencia de escolhermos nosso futuro!!!!!!!

vergonha................

Só uma coisinha... no texto: "o gerente da empresa, Ciclone Nelson dos Santos," a vírgula não seira depois de Ciclone?

  Émuito triste ver a situação dos empregados assim como mais uma que se vai!!!

 

Dayse Levy disse:

  É muito triste ver a situação dos empregados assim como mais uma empresa que se vai!!!

Eu produzi muito tecido e não tive condições de continuar fabricando.

Realmente é uma situação dificil porque parece que foi sem aviso.

Hoje muitas grifes mandam fazer sua produção em paises com mão de obra escrava e com subsidio de impostos locais.

São em  paises que nao são filiados OMT.

Não sei se para bancar essas operações pessoal vai pegar dinheiro em bancos de formento.É uma duvida que fica a esclarecer.

Quem fica com o mico ao fechar uma empresa é o Pais que perde empregos...arrecadação...consumo...o coringa fica lá fora com os Paises que aceitam essa injusta maneira de produzir e com aqueles que protagonizam isso.

Um dia o Céu cai na nossa cabeça e o onus será de todos...

Luiz Eduardo 

E um sonho montar uma confecção.e depois a  vem a realidade  nua crua..............................................................

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço