Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Fios de Viscose: Possível Aumento da Alíquota de Importação Pode Levar à Perda de Competitividade e Desemprego no País

Estudo preparado pela consultoria internacional Uno Trade Strategy Advisors alerta que o possível aumento na alíquota de importação de fios de viscose (Tarifa Externa Comum) -dos atuais 18% para 25% - pleiteado por fabricantes nacionais de fios tende a prejudicar as malharias e o varejo, em função da perda de competitividade dos artigos que levam estes insumos. A ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil) teve acesso ao estudo e demonstra preocupação com eventuais medidas de proteção à indústria, neste caso, os fabricantes nacionais de fios de viscose.

Fios de viscose: possível aumento da alíquota de importação pode levar à perda de competitividade e desemprego no País

A ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil) teve acesso ao estudo e demonstra preocupação com eventuais medidas de proteção à indústria, neste caso, os fabricantes nacionais de fios de viscose. "O impacto que as medidas de proteção trarão ao mercado consumidor deve ser avaliado", diz a associação em nota.A produção desse insumo ainda é pequena no Brasil , o que torna as malharias dependentes do fio importado para a produção da malha de viscose. De cada 100 mil toneladas de fios consumidos no Brasil , apenas 20 mil são de origem nacional, informa a consultoria.

Tornar o imposto de importação de fios de viscose mais caro também pode gerar desemprego, uma vez que favorecerá a importação da malha pronta em detrimento da produção nacional. A produção de fios de viscose no país emprega aproximadamente 2 mil pessoas, distribuídas em 10 empresas, das quais 3 com grande representatividade. Já o número de empregos gerados pela produção de malharias e tecidos planos de viscose no País é de aproximadamente 122 mil.

A última vez que o imposto de importação de fios de viscose sofreu reajuste foi em janeiro de 2010, quando passou da alíquota de 14% para 18%. "Tal medida não resultou em diminuição substancial da importação de fios de viscose", afirmam os analistas. O estudo mostra ainda que a média mensal de importação dos fios de viscose vem diminuindo nos últimos anos: 9,9 mil toneladas em 1999; 9 mil toneladas em 2010; e 8,5 mil toneladas em 2011.

No varejo de vestuário, as peças confeccionadas em viscose sempre atraíram a atenção dos consumidores. De acordo com o estudo, "as malharias brasileiras necessitam de grandes lotes, com fios de qualidade, constância de suprimento e compromisso de entrega na data acordada, o que a indústria nacional não tem capacidade de atender". O volume e os preços dos fios de viscose têm se mostrado estáveis nos últimos anos, o que não justifica o aumento da tarifa de importação, de acordo com a análise divulgada pela ABVTEX.

Fonte:|http://www.ecofinancas.com/noticias/fios-viscose-possivel-aumento-a...

 

Exibições: 1190

Responder esta

Respostas a este tópico

Possível aumento???

>> O aumento já esta valendo desde segunda-feira (01/10)!!! E já causou perda de competitividade...
LAMENTÁVEL!!!! Fora isso qualquer processo para importar este fio só a LI demora 60 dd...

 

Hoje o fio subiu 7% e em média passou para R$13,50! Já o tecido importado está em R$21,00! Isso é pra enterrar de vez o coitado do indústrial têxtil brasileiro...

 

PARABÉNS AOS GRANDES AUTORES DESTA MUDANÇA!!!

 

NÃO EXISTE PERDA DE COMPETITIVIDADE... ENGRAÇADO!! QUANDO AS INDUSTRIAS BRASILEIRAS  SE "FERRAM" NINGUEM FALA ABSOLUTAMENTE NADA, DEIXA CORRER!!! ANOS E ANOS LEVANDO PREJUIZOS E FECHANDO FABRICAS E MAIS FABRICAS.

AGORA O GOVERNO FAZ UMA JUSTA AÇÃO QUE É REPUDIADA POR MEIA DUZIA DE IMPORTADORES INDIGNADOS,HORA ESSA CADE O BOM SENSO COMUM!??!!!???!!!???!?!?!?!? TODOS OS PAISES FAZEM ISSO COM A INDUSTRIA DELES E NÓS OS BANANAS DEIXAMOS ELES ENTRAR E SAIR COMO BEM QUEREM......... PORFAVOR!!!!!!!

A única consequência disso é a redução do lucro do grande varejo, que é o grande responsável pela desestruturação de nossa cadeia, importando grande parte da confecção pronta de fora.

Nossa industria já foi auto suficiente em fios de viscose , mas com a concorrência desleal , deixou de fazer o fio de viscose , bem como PV , poliester fiado e outros , e consequentemente as fiações diminuirão , sucatearão máquinas e demitirão , e em alguns casos fecharão ou estão em recuperação judicial.

Hoje realmente já não conseguimos mais suprir o mercado de fios, graças à importação desenfreada a preços subsidiados pelos governos de origem, e a nossa política lenta em proteger a industria nacional, permitindo a farra dos portos em alguns estados que conhecemos bem.

Agora a partir de janeiro teremos grandes mudanças para os importadores dai a choradeira pelos seus lucros menores , agora não lembro nenhuma choradeira deles pelos empregos perdidos na industria têxtil por causa dos  produtos importados.

Bom agora o jogo ta mudando em favor de quem realmente gera empregos e riqueza que é a industria nacional como um todo.

Muito bem Sérgio, concordo em gênero, número e grau com suas observações.

Boa tarde Senhores e Senhoras.

Trabalho com vendas de fios Importados e nacionais, tenho otimos clientes que consomem viscose nacional e importada.

Hoje a principal fabricante de viscose OE do Brasil não consegue atender a demanda de um cliente meu, que consome em media 200 toneladas mês.

Hoje as magazines e distribuidores de malhas não aceitam nem sequer R$ 0,10 de aumento nos produtos.

As malharias estão quase trabalhando no limite de obter algum lucro.

Muitos falam que eles lucram barbaridade, mas isso não é realidade, devido as malhas e produtos acabados importados, as malharias foram obrigado a reduzir drasticamente a margem de lucro.

Não podendo esquecer quão oneroso são os impostos.

Se o governo quer defender os produtores  brasileiros, tem que fazer um levantamento para saber se o produto nacional consegue abastecer o mercado.

O governo deveria taxar as malhas e produdos acabados que vem de fora, porque hoje as malharias brasileiras tem condições de abastecer o mercado nacional, e para que possamos ter preços menores, a matematica é simples, reduzir a carga tributaria que os nossos governetes estão colocando em nossas goelas abaixo.

CHEGA DE IMPOSTOS.

Precisamos de empregos e rendas, vamos defender o produtor interno sim, mas com sabedoria.

Como eu disse anteriormente, se os produtores nacionais suplisse a demanda eu estava de acordo.

Basta ver o que fizeram com o algodão penteado, as importações diminuiram e as fiações nacionais não conseguem suplir a demanda.

O Sr . Fabricio informou que a LI demora 60 dias, o meu cliente está esperando mais do que isso e até agora não obteve sucesso na liberação da LI.

LASTIMAVEL O QUE ESTÃO FAZENDO COM O PRODUTOR BRASILEIRO.

Porque não pedem para que a fibra tambem tenha aumento de impostos, ai eu queria ver.

Att,

Roberto Oliveira

Eu te respondo sua pergunta Roberto!

Pq no Ramo Têxtil cada um defende o seu... Não temos força...

Quem vc acha que fez o lobby para colocar imposto no fio??? Pq não entrou antes imposto na confecção e no tecido....

Tem gente que fala que tem que taxar o fio! Taxar a materia prima! e vamos produzir com que??? com VENTO??? Não temos capacidade para atender o mercado nacional e isso é grave.... é uma realidade....

Bem Fabricio,

Se eu der nomes aos bois, poderei ser processado, mas quem é a maior produtora de fios de Viscose do Brasil.

Como eu informei anteriormente, essa empresa não consegue suprir nem um terço da demanda desse tipo de fios no Brasil,

A pouco tempo atrás, ela estava vendendo fio com preço de mais de R$ 2,00 que o importado, e o seu presidente não sabia disso.

Depois de informado ele informou que iria ver isso, porque com o preço praticado estava impossivel se manter no mercado.

Pergunto, o pessoal não sabe qual o preço que a concorrência está praticando, hoje o preço que eles estão cobrando e menor que o importado, mas a diferença não é mais tão gritante.

Na verdade fiz a pergunta já sabendo a resposta...

QUE FAAAAAAAASE!!!!

Bom

Não posso acreditar que uma Empresa no mercado de tal porte não saiba preços de concorrencia importada ou nao, deve ser algum engano na informação. Trabalho em uma Empresa que tem fio de viscose, não é a maior mas é significativo, e diariamente estamos sendo informados de preços de viscose mercado interno, importado e importadoras. Mas, neste País 2 + 2 nunca é 4. Pois, agora que temos uma pequena rentabilidade na venda do produto, cria-se esta situação de falta do produto ou importação mais cara e necessária para suprir o consumo. O ideal seria um equíbrio entre um e outro. Mas, parece que os problemas comerciais têxteis são infinitos e nunca se quer aproximam do que seria pelo menos razoável.

Boa tarde Sr. Jose Luiz,

 

A pouco mais de 4 meses essa fabricande de fios estava vendendo a viscose OE a R$ 9,80kg para 90 dias enquando o fio importado estavamos vendendo a R$ 11,90, o meu cliente comprava dela em torno de 100 toneladas  e outras 100 de fios importados, e sempre atrasavam a entrega, depois de uma conversa com o presidente da empresa, passou a cobra R$ 11,40.

Por isso que eu disse que o preço deve acompanhar o mercado.

Mais uma vez digo, que o governo não deve taxar matéria primas e sim produtos acabados, porque em produdos acabados, como malhas e peças prontas, somos autosuficientes, mas em fios, não temos produção para atender a demanda.

Temos que comparar os custos totais para produzir tecidos com Viscose Nacional e Importada.
Observando:
-Produtividade no tecimento;
-Nivel de 2º Qualidade
-Consumo de corantes,curva de montagem,agua etc,
-Reprocesso de Tingimento
-Perda de Massa durante o tingimento,
-Nivel de 2º Qualidade apos tingimento.

Apos esta analise poderemos de fato ter parametros para avaliar estes produtos.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço