Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Por Eduardo Vilas Bôas
Professor de Moda do Senac SP

Para determinar o preço de venda, você deve pensar no processo que vamos explicar a seguir. Primeiro, você precisa obter o custo total de cada modelo a ser produzido, o que se consegue por meio da Ficha de Custo. Em seguida, deve obter o Markup a ser adicionado sobre o custo do produto, para se efetuar o cálculo de preço de venda. Por fim, você terá que comparar o preço final com a concorrência e fazer ajustes necessários.
    
O Markup, então, é o “número mágico” que deve garantir um preço final de venda suficientemente alto para pagar todas as despesas da empresa – e ainda sobrar o lucro – e suficientemente baixo para ser competitivo e interessante para o consumidor.

Para chegarmos ao número do Markup ideal devemos conhecer todos os custos e despesas necessários à operacionalização da venda, bem como o valor do lucro esperado. O Markup, por regra, é composto de três elementos: Custos Variáveis, Custos Fixos e Lucro.

Custo Variável de Produção refere-se às despesas que incidem diretamente sobre o preço de venda do produto, como impostos sobre vendas (ICMS, PIS, COFINS), comissões de representantes comerciais, frete e despesas com marketing. Podem ainda incidir taxas como royalty ou variações de tributação, conforme o regime tributário adotado, como o Simples Nacional. 

Os Custos Fixos são custos e despesas que teoricamente não dependem do volume das vendas ou da produção, tais como salários, pró-labore, encargos, água, luz, aluguel, telefone, internet, IPTU, IPVA, seguros, terceiros, como limpeza e contabilidade, ou seja, vendendo mais ou menos, esses valores não se alteram ou alteram de forma pouco significativa. 

Já o lucro é o que sobra das vendas, menos o custo da mercadoria, menos as despesas variáveis e as fixas, inclusive o pró-labore, que é o salário dos sócios. Logo, lucro não é salário. O lucro destina-se a remunerar o capital investido na empresa. É desejável que esse capital seja remunerado no mínimo por volta de 2% a 4% ao mês para o varejo de moda e que seja, durante os dois primeiros anos, reinvestido na própria empresa. 

Assim, entendemos que Markup é um número em porcentagem sobre o faturamento. Esse número será a margem financeira disponível, após ser coberto o custo do produto, da qual devem sair os valores para pagar despesas fixas, variáveis e o lucro, conforme a evidencia a tabela a seguir.


Existem dois tipos de Markup. Temos a Margem Bruta ou Margem de Contribuição, que é referenciada pelo preço de venda, isto é, um percentual do preço final. E a Margem de Markup ou Markup que é referenciada pelo custo do produto, ou seja, um percentual sobre o custo das mercadorias. 

As duas formas são utilizadas pelo mercado e, por isso, é importante evidenciar qual método é utilizado, pois ambas refletem valores percentuais diferentes. 

Por exemplo, na situação hipotética dada na empresa acima, a soma – em percentual – dos três elementos que compõe o Markup é de 52,75%. Para calcular a Margem de Markup usamos a fórmula a seguir que vai nos retornar um número (2,1164), o qual deve ser multiplicado no preço de custo de cada mercadoria para se obter o preço de venda ao consumidor. 

Já a Margem Bruta é calculada pela fórmula que apresentamos na sequência. Note que os 52,75% são utilizados, na forma decimal, e o preço de venda já é sabido, afinal é só multiplicar 2,1164 pelo custo do produto, que nesse exemplo é de R$25,00. A Margem Bruta, então, demonstra qual o valor deve ser acrescido sobre o custo do produto para pagar toda a operacionalização da empresa. 

Resumindo, para essa empresa, com uma Margem Bruta de 52,75% (soma dos Custos Fixos, Variáveis e Lucro em percentual) um produto com custo de R$25,00 deve ser vendido a R$52,91, ou seja, ele carrega uma carga de R$27,91, que serão utilizados para contribuir no pagamento da operacionalização da empresa. 

Mas que tipo de implicação existe se um varejista utilizar apenas a Margem de Markup? Pode-se pensar que a margem efetiva do produto é igual ao Markup, o que não é verdade, já que não temos 111,64% de gordura para conceder descontos.

Por Eduardo Vilas Bôas
Professor de Moda do Senac SP

Exibições: 1706

Responder esta

Respostas a este tópico

[PDF]COMO ELABORAR O PREÇO DE VENDA - CDL Paulista

de OP DE VENDA - ‎Artigos relacionados
5ª Etapa – Fatores a serem analisados na formação do preço de venda......................... 6ª .... como elemento facilitador do processo de aprendizagem. Esperamos que .... do por anúncios feitos por lojistas e fabricantes. Isso quer ... varejistas, as condições de pagamentos (cheques pré-datados, cartões de crédito e de débito ...

[PDF]Formação de preço de venda no comércio varejista: um ...

anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/download/1889/1889
despesas para formação dos preços, e coloca que, ?como não há na prática, ...processo de formação do preço de venda das mercadorias destinadas à ... James (apud Morgado, 1977) sugere uma formatação para o comércio varejista segundo o tipo ... No varejo lojista, o formato combina aspectos ligados à estrutura.

Data Custos

Engenharia de custos e técnicas de formatação de preços são ferramentas cada ... que explica que o primeiro passo a ser dado pelo varejista na formação de seus ... dentro do processo é imprescindível na prática de preços justos e corretos.



Joao Carlos Loureiro disse:

Bom dia Romildo,

Parabens pela materia..

Para a formação de preços da industria esta tudo muito claro.

No entanto, os pequenos e muitos medios lojista enfrentam serios problemas na formação de precos de varejo.

Poucos sabem calcular o Custo Contábil para equalizar as diferenças de ICMS e ai, aplicam markup de 2,0 sobre o preço de compra da mercadoria, incluindo ICMS e criando distorções na precificação dos produtos.

Seria interessante formatar matéria para explicar o processo de formação de preços de varejo para lojistas.

Abraços,

Joao Carlos

Prezado Romildo,

Excelente informação! Foi muito útil pra mim, pois para aprender sobre esse assunto tem Institutos de Moda que cobram o preço de um curso de dois dias. hehehe

Valeu!

Abraços

Como pode tanta informação errada em um único artigo. Custo variável é o custo de produção (matéria prima mais mão de obra) que variam de acordo com a quantidade produzida ou vendida. Custo fixo, a explicação está mais ou menos correta. Mark up, é uma série de índices que incidem sobre o preço de venda, onde a margem de lucro desejada é apenas um deles, o restante são despesas que não são da empresa, mas é ela quem recebe, tipo tributos, royalt e comissões sobre a venda. Atenção pessoas que estão utilizando a informação, o resultado final, NÃO ESTÁ ERRADO, porém, a tipificação das despesas e custos, pode conduzi-los a decisões errôneas e comprometer sua empresa.


Resumindo, para essa empresa, com uma Margem Bruta de 52,75% (soma dos Custos Fixos, Variáveis e Lucro em percentual) um produto com custo de R$25,00 deve ser vendido a R$52,91, ou seja, ele carrega uma carga de R$27,91, que serão utilizados para contribuir no pagamento da operacionalização da empresa.
Tadeu Bastos Gonçalves disse:

Como pode tanta informação errada em um único artigo. Custo variável é o custo de produção (matéria prima mais mão de obra) que variam de acordo com a quantidade produzida ou vendida. Custo fixo, a explicação está mais ou menos correta. Mark up, é uma série de índices que incidem sobre o preço de venda, onde a margem de lucro desejada é apenas um deles, o restante são despesas que não são da empresa, mas é ela quem recebe, tipo tributos, royalt e comissões sobre a venda. Atenção pessoas que estão utilizando a informação, o resultado final, NÃO ESTÁ ERRADO, porém, a tipificação das despesas e custos, pode conduzi-los a decisões errôneas e comprometer sua empresa.

O que são custos variáveis

Os custos variáveis, por sua vez, estão diretamente ligados à produção da empresa, sofrendo alterações de um período para outro. O melhor exemplo deste tipo de custo vem das matérias-primas: quanto mais se produz, mais material é utilizado e, portanto, maior é o gasto. Ainda que o volume de produção permaneça estável por algum tempo, o custo com esses materiais não será enquadrado como fixo, pelo simples fato de não deixar de estar atrelado à produção.

Outros exemplos de custos variáveis são a mão-de-obra direta, comissões e fretes de venda e insumos diretos.

A Energia Elétrica, embora costumeiramente seja classificada como um custo variável, faz parte de um grupo de gastos que se enquadra nas duas categorias: há a parte variável, que diz respeito à energia consumida na produção, mas há também a parte fixa, relacionada aos setores administrativos da empresa.

- See more at: http://blog.luz.vc/o-que-e/diferenca-entre-custos-fixos-e-variaveis...
Tadeu Bastos Gonçalves disse:

Como pode tanta informação errada em um único artigo. Custo variável é o custo de produção (matéria prima mais mão de obra) que variam de acordo com a quantidade produzida ou vendida. Custo fixo, a explicação está mais ou menos correta. Mark up, é uma série de índices que incidem sobre o preço de venda, onde a margem de lucro desejada é apenas um deles, o restante são despesas que não são da empresa, mas é ela quem recebe, tipo tributos, royalt e comissões sobre a venda. Atenção pessoas que estão utilizando a informação, o resultado final, NÃO ESTÁ ERRADO, porém, a tipificação das despesas e custos, pode conduzi-los a decisões errôneas e comprometer sua empresa.

Sem mais comentários

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço