Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Grife italiana pede desculpas após acusações de racismo em coleção de homenageia o Brasil

A Marni foi criticada na sua mais recente campanha. Entenda o caso aqui.


Polêmica no mundo da moda. Recentemente a poderosa grife italiana Marni lançou sua nova campanha em homenagem ao Brasil e ao movimento tropicalista. A ideia era linda! As imagens pretendiam celebrar o povo, a cultura e a diversidade do nosso país, mas ao contrário acabou sendo um verdadeiro mergulho em ideais racistas e que traziam inclusive uma abordagem que poderia ser diretamente relacionada com a época da escravidão. Após diversas acusações e a retirada das imagens das redes sociais, a marca lançou um comunicado com um pedido de desculpas.

1596140431139776 115880856 1177167282662498 3305149712648652615 n resultado

Fotografada pelo brasileiro Edgar Azevedo e dirigida por Giovanni Bianco, as imagens traziam uma série de estereótipos racistas. Em uma das fotos era possível ver um negro usando correntes próximas aos pés, que se assemelhavam com as algemas que eram usadas durante o período de escravatura. 

 

Junto a isso, o Diet Prada chegou à conclusão de que os acessórios mostrados nas fotos como chapéus de palha e colares de Bayong não estavam presentes em sua coleção original. Mas, qual seria o motivo para isso? Em outra imagem um modelo aparecia pintado em argila. 

 

Outra controvérsia da campanha foi a legenda usada na conta de Instagram da grife, em que mostrava uma sandália branca adornada com pedras em frente à perna de uma modelo negra “a Rainha Branca adornada parecia compatível, mas escultural”.

1596140439120753 115907878 748621742635841 3455641099286228944 n resultado
(Foto: Divulgação)

Como pedido de desculpas, a empresa comentou: “Na Marni, pedimos profundas desculpas pelo dano e ofensa que nossa última campanha causou. O que se pretendia ser uma campanha que celebrava a beleza da cultura afro-brasileira sob a perspectiva do fotógrafo brasileiro Edgard Azevedo veio a bom termo tendo tido o impacto oposto. Nossas fiscalizações ao longo do processo de revisão são inaceitáveis ​​- e, por isso, lamentamos muito.” 

 

“A equipe da Marni está totalmente comprometida em defender a inclusão e celebrar a beleza de diversas culturas em todo o mundo. Enquanto nos esforçamos para criar um mundo mais eqüitativo, através da moda e da humanidade compartilhada, lamentamos sinceramente que nossos esforços tenham causado mais dores”.

 

E continua “Removemos imediatamente essas imagens e estamos redobrando nossos esforços para garantir que nossos processos sejam realizados com consideração e intencionalidade por meio de uma forte lente de equidade. Toda a nossa equipe está comprometida em usar esse momento como uma oportunidade de alavancar nossa plataforma para apoiar e capacitar mais vozes e criadores de cores, cujos talentos e idéias são fundamentais para criar uma indústria da moda mais inclusiva e diversificada”.

1596140443368412 116274058 318468655974482 6916738704549893037 n resultado
(Foto: Divulgação)

Junto a isso, o diretor criativo da marca, Francesco Risso, publicou em sua conta de Instagram. “Sinto-me compelido a reconhecer o curto-circuito que decepcionou muitos de meus colegas seres humanos nos últimos dias. Devo um pedido de desculpas a quem se sentiu ofendido pela última campanha de Marni. Ela foi concebida como uma celebração da mais recente coleção de verão, que homenageia o Brasil e o movimento tropicalista do brasileiro Edgar Azevedo. Nosso objetivo era capturar a beleza de sua comunidade, mas não conseguimos fazê-lo adequadamente em um assunto que seja atencioso e respeitoso.”

1596140447216068 116748344 290993408905533 8922268291827795999 n resultado
(Foto: Divulgação)

Exibições: 443

Responder esta

Respostas a este tópico

 Como pedido de desculpas, a empresa comentou: “Na Marni, pedimos profundas desculpas pelo dano e ofensa que nossa última campanha causou. O que se pretendia ser uma campanha que celebrava a beleza da cultura afro-brasileira sob a perspectiva do fotógrafo brasileiro Edgard Azevedo veio a bom termo tendo tido o impacto oposto. Nossas fiscalizações ao longo do processo de revisão são inaceitáveis ​​- e, por isso, lamentamos muito.” 

Na verdade ainda continua com uma visão distorcida, sobre a população brasileira  que não é representada apenas por uma raça ...

Estamos precisando esquecer de temas e cria estilos , e esse problema tem afundado marcas e empresas mundo afora.

Empresário inteligente deve focar nos estilos e públicos , ou é questão de tempo pra ser odiado .

Nos criamos modelos baseados em bom gosto , conforto e estilos esse deve ser nosso foco.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço