Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Grifes Afirmam que Desconheciam Trabalho Escravo em Oficina de SP

GEP, que detém marcas como Luigi Bertolli, foi multada em R$ 1,1 milhão.Em março, o Ministério do Trabalho libertou 29 bolivianos de uma oficina.

Um diretor da GEP Indústria e Comércio, empresa que detém as grifes Luigi Bertolli, Cori e Emme e representa a Gap no Brasil, prestou esclarecimentos nesta quarta-feira (17) na Assembleia Legislativa de São Paulo sobre a denúncia de trabalho escravo na linha de produção.

No mês passado, o Ministério do Trabalho libertou 29 bolivianos que, segundo o órgão, trabalhavam em uma oficina de costura em condições semelhantes às de escravidão. A multa estipulada à GEP foi de R$ 1,1 milhão.

Os indícios foram de aliciamento de trabalhador no estrangeiro, tráfico de pessoas, servidão por dívida e condições degradantes de trabalho. O representante da GEP afirmou que não sabia do fato. “Nunca soube que nossos fornecedores trabalhavam com trabalho escravo”, disse o sócio-diretor Nelson Volpato.

Na semana passada, o programa Profissão Repórter, da TV Globo, mostrou a oficina de costura na Zona Leste em que os 29 bolivianos trabalhavam. Eles já chegavam aqui endividados com os custos da passagem e do visto.

Os trabalhadores costuravam por até 13 horas por dia, de segunda a sábado, e viviam em quartos adaptados, com beliches.

Na Assembléia Legislativa, o sócio-diretor da GEP assumiu publicamente que a empresa falhou. “Nós falhamos em não aprofundar mais da mercadoria que mandava até o destino final", disse Volpato.

Não conhecer as práticas dos fornecedores da cadeia produtiva é a explicação recorrente das  grandes marcas envolvidas em casos de trabalho escravo. O argumento não convenceu a comissão.

O deputado Carlos Bezerra Jr. (PSDB) afirmou que o representante da GEP apresentou teses contraditórias e que o problema do trabalho escravo em oficinas deve ser enfrentado. "Tem gente ganhando dinheiro com isso", disse.

A GEP pagou os direitos trabalhistas dos funcionários e ainda uma indenização por danos morais.

Fonte:|http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/04/grifes-afirmam-que-de...

.

.

.

.

.

.

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - Clique Aqui

Exibições: 919

Responder esta

Respostas a este tópico

Matéria esta que nos choca muito.Sou do ramo tive fábrica própria e infelizmente estou dando um tempo.Hora mão de obra ,hora tributos ,hora fornecedores.Carlos José da Silva E-mail:carlosjosedsilva@yahoo.com.br.

SO FALTA O CAMARADA DIZER QUE  ELE NUNCA OUVIU SE QUER DIZER QUE EZISTIA BOLIVIANOS COSTURANDO EM OFICINAS NO BRASIL

SE UM FORNECEDOR OFERECE UM PRODUTO POR R$50,00 E VEM OUTRO E OFERECE O MESMO PRODUTO PRO R$ 40,00 DE CARA ELE TEM QUE DESCONFIAR QUE ALGO DE ERRADO E ILICITO TEM MAS AO CONTRARIO DISSO ELE ENCHE ESTE FORNECEDOR DE PEDIDO SO PENSANDO NOS LUCROS QUE ELE VAI TER 

 

A LEI FOI MUITO BRANDA PRA ELE AINDA DEVERIA RECOLHER TODAS AS PECAS ENTREGUES POR ESTE FORNECEDOR NAS LOJAS PRO CAMARADA SENTIR NO BOLSO E PENSAR DUAS VEZES ANTES DE QUERER TIRAR VANTAGEM EM TUDO 

so tem inocente nesta historia, o cara paga uma miseria por produção de peça e pensa que ela aparece com toque de uma varinha de condao

As marcas dizerem que não conhecem os detalhes da cadeia produtiva é uma piada! Eles nunca ouviram falar em terceirização? Eles não sabem que quando pagam 5,00 para se costurar  uma peça que é vendida por 300,00 é um absurdo e que empresas sérias estão sendo sufocadas pelos preços ridículos que os clientes as forçam a aceitar?  Eles pagam esse valor simbólico porque encontram facções (ou oficinas) que se submetem a aceitar o preço e as condições, mas como isso é possível pagando impostos e todos os deveres de um empregador sério?

Acho que essa situação tem que servir para deixar no mercado somente os confeccionistas ou faccionistas que conseguiram a duras penas (e muita dívida) se manter abertos e que, como em outro negócio qualquer, é preciso que o fornecedor dê seu preço e não que o cliente (as marcas ou confecções grandes) digam quanto "podem " pagar.  Se essa política de exploração continuar, quem é correto não vai conseguir sobreviver, pois as despesas são muitas e a receita limitada.

Alguém já viu picareta assumir que é picareta???

Pois é! Toda hora aparece algo relacionado na mídia e os caras de pau vem com a maior cara de paisagem, dizer que desconhecia.

Na concepção deles, eles são espertos e o mundo é idiota. Simples assim!

QUE INTERESSANTE TODO MUNDO SENTA O CORO...

ESTES MESMOS ESCRAVOS PASSAM 2 MESES ´POR ANO NA BOLIVIA,TANTO QUE EM JANEIRO E FEVEREIRO AS OFICINAS ESTÃO TODAS COM POUCOS TRABALHADORES.

É MUITA FALSIDADE.

PEGUEM AS PÇS. DA C&A E VEJAM QUEM FAZ,E EM QUE CONDIÇOES LA NA CHINA.

NO BRASIL  QUEM QUER TRABALHAR É PERSEGUIDO.

VAMOS ASSUMIR NOSSO ESTADO DE POVO POBRE ,E ARREGASSAR AS MANGAS PRO TRABALHO.

CONHEÇO PAI DE FAMILIA QUE CATA PAPELÃO NA RUA,E PASSA UM SUFOCO TREMENDO PARA DAR O MINIMO PROS FILHOS.

MANDA ESSA COMISSÃO DE PARLAMENTARES AJUDAR ESSAS FAMILIAS QUE SABEMOS NÃO SÃO POUCAS.

MUNDO CÃO........

bom  dia  pesoal  lendo  a materia deu  para  perceber que  e  um tema  polemico bom eu    sou  boliviano  e  tenho uma oficina de  costura ja  tentei  trabalhar   con  grande  marcas  mais   a  gente   sofre  preconceito so  que  eles saben   que  as   suas  producçoes sempre cai  na  mao  de  uma  oficina  de  bolivianos  por intermedio  de de  um  fornecedor  e  no  caso  o  fornecedor seja  brasileiro  ou  koreano geralmente  nao  pede a  documentaçao da  oficina  ni  pensar   dos  costureiros porque  eles  pagam  uma  mixaria y por que  con  os  preços que  pagan   a gente    esta  obrigado a  trabalhar muitas  horas  a mais  do normal   

Produto barato

"O chinês não segue as regras do comércio doméstico no Brasil. Por exemplo, nós não podemos usar um corante incentivador de câncer, mas eles podem. Uma barraca de praia que fazemos, tem que ter proteção UV (ultravioleta), a deles não. Daí, fazem mais barato", reclama. O técnico defende uma maior fiscalização dos produtos importados, e que esta se dê ainda nos contêineres, quando eles entram no Estado.

"Já faz tempo que os nossos produtos têxteis sofrem esta concorrência desleal. Estamos perdendo competitividade por falta de normas iguais", reforça o conselheiro consultivo da ABTT, João Luiz Pereira. "Entretanto, mesmo assim, nossa indústria têxtil é a quinta maior do mundo, e a de confecções, a quarta do mundo", pondera.

ISSO NINGUEM INVESTIGA...

Bom a todos

Acredito que a GEP não tenha conhecimento do que ocorre como a RENNER PERNAMBUCANAS MARISA C&A RIACHUELO e outros ,sinceramente acredito .

O negocio funciona totalmente por baixo dos panos ,o confeccionista quer vender os magazines querem comprar a concorrencia por pedidos e preços é grande ,na cadeia produtiva das confecções existe la algumas facções totalmente regularizadas que servem como cartão de visitas para criar um ar de que eu trabalho honestamente pode direcionar seus pedidos para minha empressa etc etc e tal ,só que para produzir as quantidades de peças para atender seus pedidos os mesmos direcionam algumas ( milhares ) de peças para oficinas clandestinas ,logico que sem etiquetas sem notas etc para não se comprometerem ,ai é que mora o perigo ,quando uma facção não aceita a miseria que eles querem pagar eles direcionam mais peças do que o normal para estas oficinas clandestinas ,e ai como é que fica a situação de quem tem que pagar seus impostos e arcar com dispeças que não são mole ,vamos trabalhar sem notas sem etiquetas sem funcionarios registrados ! isso é um retrocesso total .

Vou parar por aqui se não vai feder ,acabei de ser descredenciado da cadeia produtiva de uma empressa porque não aceito os preços miseraveis que eles querem pagar .

Gilberto Conquista

Gilberto,

tudo isso acontece porque os preços estão nivelados por baixo por culpa da china.

Não é verdade??

Caro Silvio ,realmente os preços dos produtos vindo da CHINA são muito baixo ,ta na hora da ABVTEX fazer uma visita la pra ver as condições de trabalho la ,utopia mas fico indiguinado ,daqui a pouco estaremos importando roupa da BOLIVIA pois algum empresario inescrupoloso vai montar uma empresa la ,coisa seria não é ?

Gilberto

silvio disse:

Gilberto,

tudo isso acontece porque os preços estão nivelados por baixo por culpa da china.

Não é verdade??

meus caros se as autoridades brasileiras nao abrirem os olhos ja ja estaremos rodeados de paises com mao de obra como a China, exemplo disso 'e o projeto iniciado no Paraguai com incentivos, daqui a pouco começa a Bolivia, Colombia, Peru, Chile, Uruguai, e outros das americas e ai vai acontecer o mesmo que aconteceu com nossas tecelagens de Americana Sp

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço