Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Mercado Têxtil em Crise - Cenário, Perspectivas e Decisões

Prezados amigos do BLOG! 

 

Recebi o posicionamento abaixo de um importante fornecedor e acredito ser interessante divulga-lo:

 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

 

CENÁRIO, PERSPECTIVAS & DECISÕES -  Mercado Têxtil

 

Nesse momento de tantas turbulências, acreditamos que seja importante passar aos nossos clientes a nossa leitura sobre o que está ocorrendo hoje e o que deverá ocorrer num futuro próximo.

 

Iremos informar abaixo por meio de “ÍTENS” os pontos que acreditamos serem os mais importantes:

 

  1. Os preços internacionais estão caindo e por conta disso ninguém está comprando há 20 dias para ver aonde chegam;
  2. Antes desses 20 dias ninguém estava comprando há 1 mês, pois os preços estavam muito altos;
  3. Os importadores estão segurando os embarques ainda não efetuados tentando renegociar preços;
  4. A China está entrando em sua maior crise energética (muito maior que o apagão brasileiro de anos atrás) e segundo fontes o impacto para eles será duas vezes pior do que o impacto causado pelo terremoto no Japão;
  5. Já há restrição no uso de energia, porém o auge ainda está por vir;
  6. As tinturarias já estão parando em 35% dos dias corridos, ou seja, 10 dias por mês ou 2 dias por semana;
  7. As tecelagens e malharias já não conseguem acabar tudo o que gostariam;
  8. As confecções já começam a sofrer os efeitos;
  9. As fiações em breve também serão obrigadas a reduzir seu consumo de energia.

 

Com isso as conseqüências aqui no Brasil serão:

 

  1. Haverá novamente falta de fios no começo do segundo semestre por conta da ausência de compras e embarques;
  2. Existe a tendência de aumento na confecção brasileira pela dificuldade de acabamento na China;
  3. Com o mercado amedrontado a maioria está em compasso de espera e com isso não haverá tempo para reação.

 

Bom trabalho a todos!!!

Exibições: 822

Responder esta

Respostas a este tópico

Realmente é na "crise" que crescemos, melhoramos nosso produto, buscamos novas oportunidades...

Mais não podemos fingir que não está acontecendo nada! que estamos num céu de brigadeiro!

Precisamos não ter mais uma visão de "fundo de poço"!!! Só assim conseguimos sair fortalecidos deste momento de dificuldade que enfrentamos...

 

Cri$e!
 

Já eu discordo, respeitosamente: Na VERDADEIRA CRISE o crescimento e Nilo ou perto disso. O que passa por aqui são falsas crises que impelem oportunistas a venderem livros e palestras motivacionais DE BOM RESULTADOS. No Brasil atual só há OPORTUNIDADE agora, mas não é por conta da FALSA CRISE.

AGORA, NOTEM BEM, nesse período (falando em idioma "Coelhal" para ser amplamente entendido) quando todos os planetas e grande partes de estrelas e galáxias esta se alinhando com o planeta terra e com o centro geométrico no Brasil, a oportunidade nos pega de calça-curta em varias áreas. Despreparo técnico-cientifico, despreparo educacional em geral, despreparo ético, cultural, de infraestrutura. O tripé social tem as tres pernas rotas: SAUDE, EDUCACAO E SEGURANCA. Se não cuidarmos disso, passara a nossa onda, não subiremos na prancha de surfe e teremos que vagarosamente remar de volta ao mar a espera de outra onda certa. ESTA E A CRUX DO PROBLEMA. DESPREPARO.

Se não nos prepararmos nessa área, continuaremos sendo um Estado Vassalo, nação fuleira, ama mera Banana Republica. E duro falar e pegar duro desse jeito. Gera impopularidade. O povo aqui não gosta de ouvir a verdade. Gostamos de discussões filosóficas, de Masturbação Mental e no fim do dia acabar numa mesa de bar discutindo bundas, futebol, conquistas e perdas de “escovas”. Outros são familiares, gente religiosa que não gosta de botecos: Esses, na maioria, vêm novelas e injetam o opio da TV nas veias.

Outros estão acomodados no Status Quo, no empreguismo e no bem bom. Esses estão na base do “come quieto” ou defendendo a politicagem e o PUDÉ.

Enquanto a maioria do povo ser uma raça de recipiente de cestas básicas, deseducados, analfabetos funcionais e subservientes, estaremos copulados a base antiga: Com PH de Pharmacia e dois Ds de TODDY. Grécia segurou a Democracia em sua luta contra a Pérsia com 300 soldados. Trezentos soldados dispostos a lutar de corpo e alma. Aqui em nosso grupo temos mais de 5,000 membros e creio já termos uns trezentos engajados na luta, com a pena. Intelecto e conduta.

Quanto aos nossos políticos, apelo: POLITICOS BRASILEIROS: SEJAM PATRIOTAS E ROUBEM COMEDIDAMENTE! (rs rs rs).

O Brasil vai BEM, obrigado. Faltam-nos engajamento e vergonha na cara. Quantos aos livrinhos de AUTOAJUDA são-nos uteis os que têm paginas passiveis de uso em banheiros de botecos mais modestos - ou em rodoviárias fuleiras. Idem com os cultos exploradores de desesperados.

SdM

Acompanho a bastante tempo as notícias e artigos publicados neste espaço, optando sempre por ficar quieto, no entanto gostaria de questionar o Sr. Luis Bento.

O que o Sr. tem contra o "Brás" ou contra o "pessoal do Brás"?

Em seus comentários não perde oportunidade de se referir de uma forma no mínimo pouco simpática.

 

É isso Bento... Não ate que gosto de Futebol, sou Pó de Arroz de Carteirinha e sem apologias ou desculpas.

Em SP sou Peixe desde o tempo do Pelé.

No RGS, sou Inter e nos CTGs, Colorado.

Eu tenho as minhas diversões, mas não as deixo ser o OPIO DE MINHA VIDA.

Bento, estamos passando um processo de INVOLUCAO cultural gritante.

Estamos ficando cegos, surdos e mudos.

O nosso cano de escape virou propriedade da Mae Joana e de fácil acessibilidade. Não mais tem dono.

Somos superficiais e trouxas.

Sei que você e Anti-Gringo e entendo perfeitamente o seu ponto de vista. Mas sabe de uma coisa Luiz Bento: A ideia nossa é feia ai, pois o povo Brasileiro só adota (em maioria) o LIXO da América, coisa que temos em abundancia.

Mas quando vc viaja no interior, vc vê as bandeiras dos pais nas casinhas. Há patriotismo, por piegas que seja. A cana aqui funciona: Pegou roubando não ha explicações quixotescas como "armação". "Rouba, mas faz”, “roubou pouco e esta perdoado."

Aqui a lei funciona um pouco melhor. Ainda ha guris quixotescos que mata e morre pelo país, sem nem conjecturarem se estão sendo manipulados ou não.

Ha patriotismo aqui e creio que é melhor ter um PATRIOTISMO CHAUVINISTICO do que falta total de amor pátrio. Aqui, por inculto que somos não se forma numa escola sem se aprender a ler.

Ha umas coisas boas por aqui que poderiam ser emuladas pelos brasileiros, mas o Brasil só quer o lixo daqui. Pensam que a América é Washington oi Miami. Miami não é América. É a AMERICA-LATRINA dos EUA, e por ai fico eu antes de receber mais ovos na cara.

 

Quanto a subliteratura e o ignoramus, é o que mais existe. Um, vive do outro.

Seremos quicas ricos, mas empobrecidos. Teremos dinheiro, sem saber usa-lo. Seremos prostituídos pela ignorância e complacência.

Esse e o nosso problema e quase ninguém tem “bolsas escrotal” para denuncia-lo. E trilhando a vida desse modo, nos transformaremos eu uma nação de eunucos, bobos da corte e cortezães. E isso me dói.

SdM

E impossivel gostar de Adoniram Barboza sem ter um carinho especial pelo BRAZ:

John F. Kennedy devia ter feito um grande discurso em Sao Paulo e clamar - para todo o mundo escutar - claro e alto:

ICH BIN EINE BRAZer!

BRAZ UND BEXIGA UBER ALLES!

SdM

Fica quieto nao, Antonio Carlos: META O PE NA JACA!

Concordando ou discordando, prometo (1) te ouvir e (2) tentar honestamente entender o teu ponto de vista. Abracao, SdM

(E Viva o Braz - e a Bexiga tambem)

Antonio Carlos Azevedo disse:

Acompanho a bastante tempo as notícias e artigos publicados neste espaço, optando sempre por ficar quieto, no entanto gostaria de questionar o Sr. Luis Bento.

O que o Sr. tem contra o "Brás" ou contra o "pessoal do Brás"?

Em seus comentários não perde oportunidade de se referir de uma forma no mínimo pouco simpática.

Vejo o comentario, como uma leitura de um Executivo muito bem informado. A questao energética da china, talvez não chegue perto do real problema de falta de matéria prima importada do Japão, que tera uma catastrófica decadencia, devido a tragédia ocorrida recentemente.

Teremos algumas coleções próximas, com certeza ainda meio conturbadas, com o setor das malharias com falta de matéria prima, e os confeccionistas, com falta de mão de obra especializada e também medos de investimentos.

Porém, vejo esse próximo semestre, como uma grande promessa pro setor confeccionista, que tera uma grande abertura dentro dessa falta de oferta chinesa.

Agora, o mercado, nao aceita mais empresas desorganizadas, e com o foco dispersado. Ocorreu isso uma década atráz, no seguimento das malharias. Poucas sobreviveram, e hoje, quase todas, sao empresas modelos em aspectos de organização e de tecnologias. Acredito que este seja o momento da "peneira" no segmento dos confeccionistas, e nos proximos 5 anos, isso vai ocorrer, automaticamente do setor varegista.

Meu conselho? Busque o máximo possível de informações, e filtre de todas elas, apenas o que realmente interessa. Contrate profissionais competentes segmentados para sua empresa, prepare-a para o futuro, mas nunca esqueça, de manter seus pés no chão. Acredito que um bom planejamento hoje, é o sucesso de amanhã.

Grande Abraço,

 

Crise?

bom se não tiver uma de vez em quando perde a graça.

Fé em Deus e pé na tábua.

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço