Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Caros,

Em meus contatos com empresas tenho percebido um clima muito pesado de apreensão pela possibilidade de uma reeleição da Presidente.

A avaliação é que a falta de confiança no governo vai ser um fator determinante em uma possível redução dos negócios.

Existe o receio e a avaliação é que certamente haverá redução de demanda, consequentemente redução da produção e desemprego eminente.

Como em nossa indústria Têxtil, quando há tsunami está na crista da onda, quando há furacão está no olho e mesmo uma simples marolinha nos afoga, temos que colocar nossas ”barbas de molho”, se é que ainda existe algum molho.

Gostaríamos de conhecer o pensamento, as perspectivas e esperanças de nossos colegas.

Sintam-se a vontade para me contradizer, gostaria muito de está enganado.

Exibições: 4218

Responder esta

Respostas a este tópico

Correto! E se não trabalharmos muito nesta reta final, a ........... se reelegerá.

Nos meus 30 anos de vida têxtil nunca vi tanta desesperança com relação ao futura da industria no Brasil, o governo atual está conseguindo destruir em 12 anos o que se levou mais de 100 para construir, não podemos ter mais 4 anos de má gestão e de roubalheira,  todos tem responsabilidade de informar isso ao seus funcionários, amigo, familiares da importância de uma mudança de rumo,  precisamos dar uma resposta ao PT  que o Brasil pertence aos brasileiros e não ao PT. 

Prezados, temos uma pequena loja e as falsificações chinesas chegam a ser vendidas na nossa porta! E o discurso do social sempre aparece em defesa deste tipo de produto que está destruindo não só o varejo bem como toda a cadeia produtiva textil brasileira!

Não devamos esquecer que na época do PSDB no poder, passamos a ser o segundo IMPORTADOR de algodão.

Saimos do quinto lugar como produtor.... nosso setor foi esquecidos pelos tecnocratas...Nosso governador, na época, botou pra fora e quebrou nosso setor...Grandes malharias e tecelagens foram pro "vinagre".

Hj. nosso setor voltou a crescer, as industrias se modernizaram, as estradas foram recuperadas e Mato Grosso e Bahia produzem a totalidade do nosso algodão... A China só nos exporta produtos sintéticos e não em algodão... Minas foi o maior polo em tecelagens, hj... as fabricas estão sucateadas, não gerando um emprego . Salvo algumas poucas malharias... O Brasil tem tradição textil...uma pena o que fizeram com nosso setor.

Mas, estão surgindo novas lideranças, como o novo governador de Minas, o sr. Paulo Skaf que foi presidente

das Federações das Industrias, que veio do setor textil, o Josué foi candidato a senador por MG.... Esses novos lideres estão se preparando para recuperar as fábricas do Brasil....Oxalá eles consigam...saibam que o setor textil é o segundo setor que mais cria mão de obra... Ainda há tempo de salvar nosso setor...

Lamentavelmente não houve e não haverá dicussão sobre políticas de governo para nossa industria têxtil entre os candidados.
Nossa decisão de voto deverá ser simplismente para acabar com esta bandalheira discarada de escandalos seguidos que a continuidade de 1 partido no poder proporcionou.
Mudança já !
Mandato se 5 anos sem direito à reeleição.

45 Já !!!

Prezado Antonio me permita discordar de você em um ponto: O Sr. Josué Alencar um novo líder? Um cara que comanda a Coteminas, manda nossa mão de obra para fora do país e renda para fora do país???? Ele tinha que ser candidato a senador na China onde a Cotemihas hoje está! E uma outra coisa.. ESTRADAS RECUPERADAS??? Onde? O próprio CNT mostrou que mais de 85% das estradas públicas estão sucateadas! As únicas que prestam são as que foram privatizadas!!!

O Antonio Botejo está muito enganado. Quem escancarou a importação foi Ciro Gomes com o Collor. A industria textil era o único setor que já tinha um projeto de abertura à importação e deveria juntar com os outros setores para a graduação da importação. Aí os loucos tomam a decisão repentina. Qualquer decisão do governo afeta muito a industria textil. Uma oscilação no câmbio, pode fazer um arrazo. Lembre-se do Chico Lopes alegando que ninguem mudaria o cambio? Demitiram-no e o dolar dobrou de valor. As dívidas texteis de equipamentos importados, triplicaram em 24 horas. A Sudene foi extinta em 30 segundos. Era para extinguir a Sudam e Sudeco por desvios e anexaram a Sudene tambem, em vez de aprimorá-la, como estava previsto. Nossa obrigação de vigilantes tem que ser estimulada sem parar!

O PT é um câncer que precisa ser eliminado, prejudicou em muito o setor têxtil.Voto 45 com a esperança de uma grande mudança.

Acredito que Aécio, irá surpreender como Presidente.

Particularmente entendo que necessitamos dar oportunidade para mudanças, onde com certeza mediante as dificuldades buscaremos a inovação, mas havendo maior responsabilidade com o custo Brasil (carga tributária) e a tarifa de importação justa em nosso setor têxtil, não tenho dúvidas que será crescente nossa participação no PIB Brasileiro.
Agradeço a participação nesse veículo de comunicação, parabenizando todas as opiniões e as virtudes de não serem omissos, um dos grandes óbices ainda da nossa cultura.
Vamos com fé em prol de mudanças......

Coerencia. É o que li no texto do Tadeu Bastos Gonçalves.

Incerteza, insegurança, ambiguidade é o que vejo em alguns outros. Sentimento que inclusive eu sinto agora.

Dilma me decepcionou muito mais do que eu poderia sonhar, nos meus piores pesadelos. 

Aécio é uma ingógnita tão grande que me faz pressentir o que houve de pior nos governos de "meu presidente" FHC (votei 2 vezes no cara).

Por isso prego e torço para a renovação e, para mim, só havia opção no primeiro e, óbvio, nenhuma agora.

Renovação coerente não era Eduardo, Dilma, Aécio, Marina e os folclóricos de sempre. Era Luciana Genro... mas isso fica daqui a quatro anos - se o Aécio cumprir o que pactou com a Marina.

Bem, ate que no olho do furacão é um bom local, a parte calma, tranquila do ciclone.

Serio: Toda a economia, todo sistema economico, tem a sua pedra fundamental na produção e criação de bens. Para se ter um churrasco de asa de galinhas na laje, um tem que ter capital. Idem, plumas para uma escola de samba, caixa d'agua para refrigério familiar no verao, para chapinhas, fazer unhas, para compra de fúsil e drogas pela marginalidade, para se comprar malas de muamba em Miami, para passeatas, e ate para incendiar onibus, um tem que ter CAPITAL. Capital, novamente, é gerado pela Indústria via criação/produção de Bens (extração mineral e petrolífera inclusa), ou produção Agropecuária. Lamentavelmente para muitos Brasileiros, esses processos envolve TRABALHO. Num “Estado de Desordem” (não "de direito") como temos agora, onde se incentiva a rapina, o sumidouro de erário, onde uma Sigla assume o papel de Pais, onde se recompensa o ócio, as maracutaias, o conchavo, o anti-trabalho, num Estado de Desordem onde as leis não são cumpridas e nem respeitadas, e em esporádicas vezes, que forem por clamor social, elas são "desdentadas" pela inabilidade de aplicae a punição por conta da corrupção ou por meios de recursos aplicados “ad infinitum”, esse “Estado de Calamidade”, Esse “Estado de Desordem”, tende a se desmoronar. Então, a Indústria Textil, ira piorar, - permanecendo o atual “status quo”. E mesmo com uma "intervenção cosmética" desse Desgoverno em favor de nossa indústria, isso será sem programação de longo alcance, será uma medida paliativa e temporária. Portanto, se permanecer como esta, iremos, muito de nos, a chamada "Recuperação Judicial" e muitos a falência. Isso não é pessimismo, não é partidário; é simplesmente baseado nos fundamentos da economia. Nada vem do nada e não se deve recompensar o ócio, mas isso (com a ajuda da indústria da “Deseducação”) é periodicamente feito, para se manter o curral eleitoreiro desse pais, que voltou a ser governado por meio Capitanias Hereditárias, (de Capitães Desonestos) descalabros, desonestidade e compilação de escândalos, que se tornaram ACEITAVEIS e COTIDIANOS.

Prezado amigo

A posição de todos os colegas confeccionistas de meu relacionamento é exatamente esta.

Penso em fechar definitivamente minha empresa caso o PT venha ganhar as eleições

Minha empresa chegou a ter 90 funcionários isto no tempo do Fernando Henrique Cardoso.

A partir do governo Lula a viabilidade da empresa foi sendo comprometida por ações do governo e hoje trabalho com 10 funcionários apenas.

 

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço