Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Para afastar gordas, Abercrombie se recusa a fazer roupas largas

"ELE NÃO QUER QUE PESSOAS GORDAS COMPREM EM SUA LOJA. ELE QUER PESSOAS MAGRAS E BONITAS", CONTOU AUTOR DE LIVRO SOBRE ESTRATÉGIA DO CEO DA MARCA

Abercrombie & Fitch (Foto: Getty Images)

Se você estiver acima do peso, você não é uma consumidora em potencial para a Abercrombie & Fitch. A empresa, para evitar que sua marca seja levada por mulheres gordas, nem sequer fabrica roupas nos tamanhos G e GG. A estratégia foi explicada no livro The New Rules of Retail (As Novas Regras do Varejo, em tradução livre) pelos autores Robin Lewis e Michael Dart.

A calça mais larga da Abercrombie tem tamanho 10, enquanto a concorrente H&M tem peças até o tamanho 16, e a American Eagle, até 18. Esta é uma atitude tomada por Mike Jeffries, CEO da empresa, para que a marca só seja usada por pessoas "bonitas".

"Ele não quer que pessoas gordas comprem em sua loja. Ele quer pessoas magras e bonitas. Ele não quer que seus principais consumidores vejam pessoas que não são tão bonitas quanto eles usando as roupas", explicou Lewis, autor do livro, ao Business Insider.

A posição da empresa já havia repercutido em 2006, quando o CEO deu uma entrevista ao site de notícias Salon. "Em toda escola há adolescentes que são legais e populares, e há aqueles que não são tão legais. Nós estamos atrás dos legais. Nós vamos atrás de todos os adolescentes atraentes com muita atitude e muitos amigos. Muitas pessoas não pertencem às nossas roupas, e elas nem podem pertencer. Nós somos excludentes? Absolutamente", afirmou o executivo, pouco incomodado em perder consumidores. Ele defende que as outras companhias, que possuem numerações maiores em suas araras, se complicam ao tentar atingir todo o tipo de consumidor. "Você se torna totalmente comum. Você não exclui ninguém, mas você também não empolga ninguém", disse.

http://epocanegocios.globo.com/Inspiracao/Empresa/noticia/2013/05/p...

 

Exibições: 773

Responder esta

Respostas a este tópico

Essa discussão é tão desnecessária. Vê-se uma clara necessidade de desmerecer a indústria de moda a jogando como tirana. Infelizmente o que o presidente da marca fez, é o que todo mundo faz, mas não descaradamente, que é direcionar a um público. Afinal quando vc diz, "meu publico é A". Vc esta excluindo todos os outros. E nem por isso tera classe C na sua porta te enchendo o saco pra abaixar seus preços, p. ex.

Partindo desses argumentos contra a Ambercrombie, posso entrar em qualquer loja segmentada, como a plus size, p.ex., e exigir roupas para magros. Temos que ter o minimo de bom senso com as coisas. E não tou defendendo a marca, mesmo pq, não tenho o biotipo exaltado por ela, mas simplesmente não sou vitimista ao ponto de querer mudar esse posicionamento da empresa. 

Parabéns Samuel Marinho pela sua visão mercadológica sem hipocrisia. Belo posicionamento,

     Nós somos excludentes? Absolutamente", afirmou o executivo, pouco incomodado em perder consumidores.

a empresa tem o direito de produzir o tamanho que quiser e o consumidor tem tambem o direito de comprar onde quiser, que polemica mais idiota

Nossa... Estou chocada com esta reportagem. Ela parece com aquele outdoor que circulou com a seguinte frase: Neste verão seja uma sereia e não uma baleia, postado por uma cademia. E uma consumidora ofendida escreveu o seguinte comentário:  Baleias estão sempre cercadas de amigos. Baleias tem vida sexual ativa, engravidam e tem filhotinhos lindos. Baleias amamentam. Baleias andam por ai cortando os mares e conhecendo lugares legais como a Antártida e os recifes de coral da Polinésia.
Baleias tem amigos golfinhos. Baleias comem camarão à beça. Baleias esguicham água e brincam muito. Baleias cantam muito bem. Baleias são enormes e quase não tem predadores naturais.
Baleias são bem resolvidas, lindas e amadas.
Sereias não existem…
Se existissem viveriam em crise existencial: Sou um peixe ou um ser humano? Não tem filhos, pois matam os homens que se encantam com sua beleza.
São lindas, mas tristes, e sempre solitárias…
Querida academia, prefiro ser baleia!”

Maria Helena

Mas a partir do momento que seguimentamos nosso mercado, estamos sendo excludente. Soa diferente eu falar " Faço roupa para o publico AAA" e " Não faço roupa pra pobre" dizem a mesma coisa, de forma diferente. O que o presidente nao teve minimo interesse em disfarçar. 

romildo de paula leite disse:

     Nós somos excludentes? Absolutamente", afirmou o executivo, pouco incomodado em perder consumidores.


Acaba que é um tiro no pé.  São como rapazes magrelos que atacam os marombeiros. Dai se  tacam nos estudos pra mostar o quanto são mais relevante que os bombados. mas ainda sim, tem magros ignorantes e bombados cultos. Argumentar exclusão com exclusão não ajuda. 


Maria Helena A. S disse:

Nossa... Estou chocada com esta reportagem. Ela parece com aquele outdoor que circulou com a seguinte frase: Neste verão seja uma sereia e não uma baleia, postado por uma cademia. E uma consumidora ofendida escreveu o seguinte comentário:  Baleias estão sempre cercadas de amigos. Baleias tem vida sexual ativa, engravidam e tem filhotinhos lindos. Baleias amamentam. Baleias andam por ai cortando os mares e conhecendo lugares legais como a Antártida e os recifes de coral da Polinésia.
Baleias tem amigos golfinhos. Baleias comem camarão à beça. Baleias esguicham água e brincam muito. Baleias cantam muito bem. Baleias são enormes e quase não tem predadores naturais.
Baleias são bem resolvidas, lindas e amadas.
Sereias não existem…
Se existissem viveriam em crise existencial: Sou um peixe ou um ser humano? Não tem filhos, pois matam os homens que se encantam com sua beleza.
São lindas, mas tristes, e sempre solitárias…
Querida academia, prefiro ser baleia!”

Maria Helena

Seria o mesmo que uma loja plus-size ser discriminada por não vender tamanhos menores.

Que absurdo e esse, gordo tbem e gente,

eu sou fabricante de lingerie a adoro minhas gordinhas e magrinhas com muito prazer e muito orgulho

Muito bem colocada sua opinião, de caráter e adequada!

SAMUEL MARINHO disse:

Essa discussão é tão desnecessária. Vê-se uma clara necessidade de desmerecer a indústria de moda a jogando como tirana. Infelizmente o que o presidente da marca fez, é o que todo mundo faz, mas não descaradamente, que é direcionar a um público. Afinal quando vc diz, "meu publico é A". Vc esta excluindo todos os outros. E nem por isso tera classe C na sua porta te enchendo o saco pra abaixar seus preços, p. ex.

Partindo desses argumentos contra a Ambercrombie, posso entrar em qualquer loja segmentada, como a plus size, p.ex., e exigir roupas para magros. Temos que ter o minimo de bom senso com as coisas. E não tou defendendo a marca, mesmo pq, não tenho o biotipo exaltado por ela, mas simplesmente não sou vitimista ao ponto de querer mudar esse posicionamento da empresa. 

Muito lúcido!
Parabens.

O CEO da citada marca já foi criticado também pela exclusividade em modelos de aparência "mitológica" para seus anúncios. 

Ele exclui feios, exclui gordos... que mais agora?

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço