Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Pessimismo... realidade.... utopia... o que é verdade no setor têxtil!

Prezados amigos,

em uma última postagem do Caio, que inclusive rende até a presente data, comentários de feedbacks. O que farei neste post é apresentar uma outra ótica, onde vou misturar um pouco de gestão, visão empresarial e de investimento de forma que possamos ver que, mesmo mexendo em palavras, o quede fato acontece no nosso setor. Tentarei ser breve para não compilar um texto demasiadamente longo e chato!

Antes de iniciarmos o post em si, me permita me apresentar. Sou professor universitário, mestre em Administração e também microempresário no setor. Por isso, me sinto muito à vontade para deixar um breve relato aqui.

Desde o dia 1, em que comecei a trabalhar no setor (comecei inicialmente como representante de vendas de marcas de roupas), é nítido que o humor no setor têxtil oscila... sempre brinquei que o setor têxtil convive com uma TPM crônica e que saber lidar com estas oscilações é algo que deve ser de fato entendido e compreendido de forma que você não sinta totalmente desamparado e angustiado. Contudo, pari passo a esta TPM, o setor têxtil possui uma inveja força de transformação e de adaptação. É fato que os pequenos, devido ao seu tamanho operacional, conseguem ser muito mais dinâmicos e se adaptam mas facilmente. Grandes empresas nem sempre assim o conseguem, já que, muitas decisões são hoje definidas em longas e cansativas reuniões de conselho, onde, infelizmente, muitas pessoas que ali participam ainda estão com a cabeça na década de 60 e 70! O grande problema é que, o mau humor do mercado, em especial pela massa de demissões e fechamento de unidades operacionais por parte dos grandes, afeta TODA a cadeia produtiva têxtil. E te sido isso o que tem acontecido.

Sempre acompanho as notícias aqui publicadas e não as considero pessimistas e sim, um retrato do que tem de fato acontecido no nosso país. Para alguns isso pode de repente refletir em algo que deveria ser omitido ou escondido, porém, não! Peço-lhes para se despirem de qualquer tipo de manto ideológico e partidário e respondam: na atual conjuntura econômica, você investiria capital ou tomaria capital emprestado em bancos para investir em sua empresa neste momento? A minha resposta é: "depende". Eu investiria, porém, tomaria todas as precauções possíveis de forma a evitar que, se o investimento der errado, pelo menos eu não saia descapitalizado ou endividado. E porque isso? pelo simples fato de que, através destas notícias consideradas por alguns como pessimistas, qualquer empresário consegue ver que existe um cenário de alto risco onde, a possibilidade de se errar (em função das incertezas e da falta de norte de gestão política e econômica de nosso país) é sensivelmente maior que a chance de dar certo!

Contudo, para encerra e não mais me delongar, considero que, o setor têxtil também tem grande parcela de culpa neste momento tênue em que a cadeia produtiva têxtil vive, onde listo alguns atos que durante anos foram praticados e que agora colhemos as ervas daninhas plantadas como se fossem rosas:

1) substituição da produção nacional pela importação direta de tecidos e produtos finais oriundos da China (especialmente).... assim matamos a cadeia da produtividade e matamos empregos e renda... resumindo, matamos o consumo interno!

2) falta de representação do setor têxtil perante os governos... desta forma, nos últimos 25 anos, não vi sequer, uma ação concreta para solidificar a cadeia têxtil, seja através do fomento para exportação, quanto para fomento da produtividade interna!

Listo apenas estes dois para exemplificar que, além do péssimo governo, "nos" também somos responsáveis por esta "crise".

.

.

.

.

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 991

Responder esta

Respostas a este tópico

eu concordo com vc, realmente o maior culpado foram os que "aproveitaram" a onda do produto importado melhor, em contrapartida de fazer um produto melhor aqui dentro, incentivar o consumo interno, gerar mais empregos, lembro me de ouvir de muitos empresários "eu vou cortar pela metade minha produção aqui, vou fazer tudo na China, sai mais barato e todo mundo esta fazendo lá" quer dizer um aleijado querendo apoiar-se em um cadeirante, onde isso pode dar? Nosso país infelizmente é uma economia emergente igualzinho a China, com economias ainda em desenvolvimentos, a diferença é que na China não existe leis Trabalhistas. Eu Aprendi que é preciso investir (muito bem) durante a crise para colher frutos no crescimento. se não fizer a lição de casa vai acabar como nosso governo, sem condições de avançar...

Caros...

1) Qdo collor abriu as importações, tivemos uma enxurrada de produtos a preços de banana!!independente de qualidade, o que valia era preço!!!aliás até hoje, sendo que a unica diferença, é que já há alguns anos os produtos chineses evoluíram e hoje fazem produtos com a mesma qualidade do Brasil!!! a unica diferença é preço!!!! custo brasil x custo china diferentes ...não há equidade!!!não considero isto globalização!!

2) com o dólar as alturas já não é mais um ""bom negócio da china""....entretanto assim que o dólar cair, nós tb cairemos!!! o correto, no mínimo,  seria tributar com um índice que se crie uma concorrência legal e equilibrada!!!ou seja: nosso produto teria um preço final igual ao da china ...sabemos que é impossível, mas esta tributação ao internar o produto teria que ser mais alta e não a palhaçada que é hoje.

3) deveríamos tb, como povo, boicotar produtos importados,  em favor de produtos nacionais...mas sempre vai valer preço menor!!!!! este boicote seria apenas uma consciência mais apurada , pois o custo sócio-econômico é desastroso e agora estamos estamos vivendo estas consequências.

3) recentemente na França, fizeram uma campanha, contra produtos importados, e surtiu excelente efeito, pois a população ""caiu na real"" de que estavam gerando empregos em outros países em detrimento aos importados, e cortando os empregos locais!!!!!!! se não me engano, já foi postado aqui no blog.

3) não tenho preocupação alguma, com empresários oportunistas, em inúmeros setores, que definiram não mais produzir, trocando o foco de seu negócio, para importadora!! não importam que quebram, pois foram nocivos à sociedade e ao Brasil!!! a ganância falou mais alto!!!deram um tiro no próprio pé!!! portanto danem-se!!!

3) inicialmente, importava-se matéria prima ( fibra ) , depois fios cru e tintos, tecidos para tingir e já acabados e finalmente confecções. O preço por kg, pouco varia de etapa a etapa de produção!!assim conquistaram o mercado!!

4) Por favor, não vamos mais teimar e falar em investimento, visto que nada perdemos para a china e outros países!!!nossa qualidade é equivalente ou até superior!!! criamos e diversificamos...diferente da china, que qdo participa de feiras, copiam e mandam amostras com valores absurdo. Não podemos negar a rapidez !!! neste quesito são fora-de série.

5) para sairmos da crise não necessitamos investir, já temos um parque fabril que está sendo sucateado em função de importações indiscriminadas e com taxas de internação abaixo da necessidade!!fica cada vez mais difícil!!!

6) hoje, com o valor do dólar, está havendo um interesse por produtos nacionais, porém não há demanda em função da crise moral e econômica deste desgoverno!!!

7) Falta de representação no setor textil: temos hoje a FRENTE PARLAMENTAR JOSE DE ALENCAR, que recentemente foi relançada...atualmente temos mais de 200 políticos que integram esta Frente!!!

em minha opinião: o governo não tem interesse...e os participantes são verdadeiras bolas-murcha, salvo poucas exceções...na realidade todo político gosta de assinar qualquer coisa, para poder tirar proveito da situação em futuras campanhas...

temos sindicatos com excelente participação, mas perdem sua representatividade por não terem o apoio necessário, inclusive da Frente Parlamentar!!não dão a cara para bater em uma manifestação.

a própria FIESP, com mais de 130 associações, pouco fez...e nada mais fará!!!!apenas politicagem barata!!

8) esta situação que o Brasil vive, não será eterna ( eu espero) mas depende simplesmente de União e comprometimento, para que se tome ATITUDE  eu particularmente vejo apenas uma revolta popular , para mudar o rumo do Brasil, a qualquer custo!!! já citei aqui, que se houvesse UNIÃO seguramente poderíamos até partir para uma greve geral e com prazo indefinido, até botar a corja toda para fora!!!neste caso, acredito tb que o exército interferia a favor da população...não vejo outra forma!!!o custo deste ônus nada mais é que nossa omissão no passado

abçs adalberto

Amigo Adalberto, 

Confesso que nem iria comentar este post pois ele esta "pegando carona" no outro texto postado pelo Caio e tão comentado nesta rede.

Mas meu amigo, você foi cirúrgico na sua resposta!!! Se me permita gostaria de usar seus mesmos tópicos apenas como orientação e "desabafar" mais um pouco.

1) Na abertura das importações com o Collor temos sim o único momento em que quebramos literalmente pelas nossas fabricas estarem defasadas, obsoletas!! foi terrível!!! Tenho colegas que nasceram em Americana e relatam que na infância brincavam com espulas na rua e que em todo lugar que você ia escutava  a "orquestra" dos teares ribeirinho tocando. O sino da fabrica marcava o compasso da cidade...

A entrada de produtos chineses foi avassaladora! só que não tinham qualidade!! era um pano de chão!! não tinha continuidade! era preço e pronto!! acho que por isso que até hoje quando escuto alguém me perguntar se eu vendo pano fico um pouco nervoso!! pano não, pano não... tecido pelo amor de deus...

2) DOLAR

Dia destes pelas minhas andanças por Sta Cruz visitando um cliente ele me disse: - J, mas nesse dólar eu não consigo vender o Suplex pelo preço que o mercado quer pagar! o dolar precisa cair. O preço do fio esta um absurdo. 

- o que o amigo precisa entender é que estamos num período de inflação! e das grandes...

se o preço cair o efeito é em cascata! o preço do fio realmente vai cair só que tecido importado também vai cair e o do confeccionado mais ainda.  Com isso você não vai conseguir produzir o seu tecido aqui e ficará refem dos importadores . e disse mais: - reze para o dolar ficar neste patamar e que esse aumento de preços seja absorvido pela população mantendo a demanda que tínhamos. esse é o melhor cenário!!

Eis que o caba ficou pensativo!!

Pô J, mas fulano vende a Viscose aqui no meu concorrente por R$19,50 qualquer cor! eu faço conta e não chega nem no meu custo!!

Aqui temos uma outra questão: - muitos destes caras compram em dolar e vende em real o que é errado pois a sua dívida é em dolar, a sua recompra é em dolar e no movimento de subida o cara esta dando um tiro no pé. Veja quantos empresários agora colocam a culpa nos altos juros bancários após terem quebrado! Pq ele estava numa roleta russa, apostando que uma hora o dolar iria cair, uma hora ele cai e seus compromissos vencendo, nossas taxas de juros são monstruosas e a conta vem meu amigo ahhhhhh ela vem...

Não ache que você não sabe fazer conta! a conta do custo de um tecido é a mesma pra todos e HOJE todo mundo sabe fazer ela....

3) Não vejo a questão de boicotar produtos importados de forma fácil. Ainda mais agora com o povo sem dinheiro! Você vai em busca do melhor preço... Se fazia compras no BOM PREÇO agora procura um atacadão, compra frutas na feira. o dinheiro precisa render mais na sua mão e você vai atrás de preço e em muitos casos corta mesmo! O caba anda tão desanimado que já não tem mais tanto aquela compra de impulso.

3.1 - A França fez isso! teve uma matéria divulgada no BLOG...

Mas vai dar uma voltinha lá e comprar um suvenir da Torre Eiffel! Ahhh duvido se não é chinês... hehehehe...

Esse tipo de movimento é muito bom! temos agora os portugueses valorizando o made in portugal...

E aqui mesmo! A apex brasil faz um bom trabalho! TEMOS UMA COLEGA DEFENSORA DO ALGODÃO COLORIDO AQUI NO BLOG!!! é BACANA!!! mas não acredito nesse movimento no "arroz com feijão"! Commoditie é commoditie!!! No final a questão cai sobre o preço mas hoje diferentemente dos anos 90 já com uma forte exigência de qualidade.

A perfumaria, de repente vai ter consagrar um nome! vai te dar uma margem melhor (as vezes) mas não tem e não terá escala! mas um vez:  o que enche o prato é o arroz com feijão...

3.2 -  também não culpo o empresário que se voltou a importação! o caba vai ficar olhando o trem passar?? 

meu amigo, se o trem engrena ele não sobe mais!!! quem dirá sentar na janelinha.

Sou da seguinte máxima:  é melhor um industrial ter um pézinho ou o corpo inteiro na importação do que deixar um comerciante ir lá fora imitar o seu produto e acabar com sua empresa. O industrial que é industrial gosta de máquina! ele não vai acabar com tudo!! pode até desativar aqui, reduzir lá mas sempre vai deixar algo funcionando. O mercado é cíclico.  uma hora volta a ser interessante começar a produzir internamente e ele não precisa partir do zero! tem ainda sua empresa aberta

Agora o comerciante não. Esse fecha a importação e vem novamente na industria querendo matar os negos para continuar a vender sem ter nenhum custo fixo. olha que cenário perfeito... esse é o vilão na minha opinião! esta ai os grandes varejistas...

ahhhh mais muitos quebraram! esta gerando muitas demissões, etc...

então veja da seguinte forma: - ele não é seu patrão, ele é igual a você e precisa sobreviver... o que você faria no lugar dele.... olhava o trem passar ou tentava subir no vagão...

3.3 - na nossa cadeia quanto mais para o final mais margem o produto importado confere! isso pq lá fora os preços estão achatados.  Então por exemplo a diferença de um fio para um tecido feito com este fio é tão pequena que não paga nem metade do custo de produção. Aqui podemos nos estender por paginas e paginas para falar das vantagens que por exemplo o governos chines proporciona onde os custos de produção não são relevantes , etc, etc, etc, etc, etc

6) Não vou comentar os itens 4, 5... esta perfeito a explicação do amigo e sinceramente não acredito que continuam com essa ladainha...

tenho sim um único ponto a destacar! muitas empresas aproveitaram a grande oferta de dinheiro do governo via BNDES e modernizaram a empresa! com carência de 1 ou 2 anos pegaram empréstimos gigantescos e deitaram e rolaram. Em SC então, quantas facções você vai e vê 20 maquinhas circulares de ultima geração!!! E AS GRANDE S EMPRESAS ENTÃO. Só que a conta do mesmo jeito que foi para a população geral para comprar casa, carro, eletronicos, etc uma hora vem!!! e ela chegou também para estes empresários que se lambuzaram com essa oferta de dinheiro fácil.

Com isso temos no empresariado o mesmo problema da população em geral!!!! grandes dívidas, juros agora altos pq apesar de vc ter juros baixos para a industria na aquisição se não paga os juros vão para a estratosfera assim como os já praticados no varejo para a população...

dolar alto, baixa demanda, juros altos, inflação, o que mais?? sera que a conta fecha?

7)  Sou um pouco crítico quanto aos empresários que representam nosso setor! não vou nem comentar dos políticos porque esses... ahhhh esses são tudo farinha do mesmo saco.

Agora voltando aos empresários os que tocam mesmo alguém já teve a curiosidade de puxar como estão as empresas deles? ou que muitos tiveram... vejam....

então , calma ai... eles não são mais empresários? são políticos também?? NÃO SEI!!! NUNCA CONSEGUI ENTENDER MUITO BEM ISSO...

8) VEJO QUE AINDA TEMOS A OPORTUNIDADE DE TER UM ANO DIFERENTE! ESTA OCORRENDO UMA VERDADEIRA SELEÇÃO DENTRO DO NOSSO SETOR E COM A QUEDA DAS IMPORTAÇÕES PODEMOS TER SIM UM ANO RAZOAVEL PARA A INDUSTRIA NACIONAL! NADA EXTRAORDINÁRIO MAS SIM MELHOR DO QUE FOI 2015. VAMOS ARREGAÇAR AS MANGAS E VENDER OTIMISMO!!! VAMOS TRABALHAR!!!

Prezado Torres...

sua ponderação a respeito é  excelente..eu desabafo em um estado emocional de total stress!!!rs..rs..concordo com vc que devemos ter uma melhora sim, alias já deveria ter acontecido esta melhora, porém os custos são outros!!! nunca chegaremos a um custo chines!!! e todos querem o famoso custo chines ainda mais baixo, para poder manter uma lucratividade razoável. Até estabilizar esta relação compra x fornecedor nacional vai demorar alguns meses, e como não existe mais fôlego muitos irão morrer na praia!! além inexistência da demanda. Mas está sim havendo sim muitas consultas pesquisas de preços em diversas tecelagens!!! Isto é animador!! A concretização efetiva  destes pedidos é que me assusta!!Além de ser baixa temos que lidar com a inadimplência!!
Muitos estão se arriscando  em composições de dívidas atrasadas com expectativa de vendas!!! vamos ver o que vai acontecer!!!rs..rs.

valeu Torres,...abçs adalberto

Estimado Joao Carlos:

1) os sindicatos antigamente tinham muita força...hoje já não é bem assim, exceto estes ""caras"" que pararam no tempo...não acompanham a real situação da industria textil. Eles podem ""apertar"' qdo estamos a todo vapor, hoje a situação é outra e deveriam no minimo tentar manter empregos que já estariam de bom tamanho...estão com a mesma situação da Frente Parlamentar Textil...cheio de políticos totalmente sem expressão para nosso setor!!!

2) nao mais será resgatada!!! e veja que já se passaram 16 anos..

2) nunca importávamos  antes de Collor...e a indústria ia até que bem....entrávamos e saíamos de crise....e sempre sobrevivendo.  com as importações, fecharam muitas indústrias ( não somente textil) . veja que vc não pode concorrer com 2 pesos e 2 medidas!!! como entrar em um mundo globalizado, com custo Brasil x custo àsia totalmente diferentes!!! é impossível!!por isto estamos nesta mer....em todos os segmentos!!!

3) fora esta  associação de  economia diferente, temos tb a cultural, política, etc..etc......nunca se preocupou em conscientizar o brasileiro, de qtos empregos estamos matando na cadeia, diretos e indiretos, qdo se compra um produto asiático...

adalberto

Concordo

Mas a maior questão dos importados, não esta no que vem da China ?

E sim do que entra no Brasil pela porta dos fundos, Paraguai, Bolívia, Uruguai  e outros lugares “sem fronteiras”  - de 100 veículos  que passam “acho, eu disse acho”  1 deve ser fiscalizado, o que entra legalizado pelos portos,  paga impostos e tem destino certo, caso tenha alguma coisa errada, amanhã ele vai ter que pagar e corrigir o seu erro, gente vai perder seu emprego de facilitador,  se quiser se manter no mercado vai ter que agir certo.

Quem já foi  em uma Feirinha da madrugada, sabe o que acontece lá.      


adalberto oliveira martins filho disse:

Caros...

1) Qdo collor abriu as importações, tivemos uma enxurrada de produtos a preços de banana!!independente de qualidade, o que valia era preço!!!aliás até hoje, sendo que a unica diferença, é que já há alguns anos os produtos chineses evoluíram e hoje fazem produtos com a mesma qualidade do Brasil!!! a unica diferença é preço!!!! custo brasil x custo china diferentes ...não há equidade!!!não considero isto globalização!!

2) com o dólar as alturas já não é mais um ""bom negócio da china""....entretanto assim que o dólar cair, nós tb cairemos!!! o correto, no mínimo,  seria tributar com um índice que se crie uma concorrência legal e equilibrada!!!ou seja: nosso produto teria um preço final igual ao da china ...sabemos que é impossível, mas esta tributação ao internar o produto teria que ser mais alta e não a palhaçada que é hoje.

3) deveríamos tb, como povo, boicotar produtos importados,  em favor de produtos nacionais...mas sempre vai valer preço menor!!!!! este boicote seria apenas uma consciência mais apurada , pois o custo sócio-econômico é desastroso e agora estamos estamos vivendo estas consequências.

3) recentemente na França, fizeram uma campanha, contra produtos importados, e surtiu excelente efeito, pois a população ""caiu na real"" de que estavam gerando empregos em outros países em detrimento aos importados, e cortando os empregos locais!!!!!!! se não me engano, já foi postado aqui no blog.

3) não tenho preocupação alguma, com empresários oportunistas, em inúmeros setores, que definiram não mais produzir, trocando o foco de seu negócio, para importadora!! não importam que quebram, pois foram nocivos à sociedade e ao Brasil!!! a ganância falou mais alto!!!deram um tiro no próprio pé!!! portanto danem-se!!!

3) inicialmente, importava-se matéria prima ( fibra ) , depois fios cru e tintos, tecidos para tingir e já acabados e finalmente confecções. O preço por kg, pouco varia de etapa a etapa de produção!!assim conquistaram o mercado!!

4) Por favor, não vamos mais teimar e falar em investimento, visto que nada perdemos para a china e outros países!!!nossa qualidade é equivalente ou até superior!!! criamos e diversificamos...diferente da china, que qdo participa de feiras, copiam e mandam amostras com valores absurdo. Não podemos negar a rapidez !!! neste quesito são fora-de série.

5) para sairmos da crise não necessitamos investir, já temos um parque fabril que está sendo sucateado em função de importações indiscriminadas e com taxas de internação abaixo da necessidade!!fica cada vez mais difícil!!!

6) hoje, com o valor do dólar, está havendo um interesse por produtos nacionais, porém não há demanda em função da crise moral e econômica deste desgoverno!!!

7) Falta de representação no setor textil: temos hoje a FRENTE PARLAMENTAR JOSE DE ALENCAR, que recentemente foi relançada...atualmente temos mais de 200 políticos que integram esta Frente!!!

em minha opinião: o governo não tem interesse...e os participantes são verdadeiras bolas-murcha, salvo poucas exceções...na realidade todo político gosta de assinar qualquer coisa, para poder tirar proveito da situação em futuras campanhas...

temos sindicatos com excelente participação, mas perdem sua representatividade por não terem o apoio necessário, inclusive da Frente Parlamentar!!não dão a cara para bater em uma manifestação.

a própria FIESP, com mais de 130 associações, pouco fez...e nada mais fará!!!!apenas politicagem barata!!

8) esta situação que o Brasil vive, não será eterna ( eu espero) mas depende simplesmente de União e comprometimento, para que se tome ATITUDE  eu particularmente vejo apenas uma revolta popular , para mudar o rumo do Brasil, a qualquer custo!!! já citei aqui, que se houvesse UNIÃO seguramente poderíamos até partir para uma greve geral e com prazo indefinido, até botar a corja toda para fora!!!neste caso, acredito tb que o exército interferia a favor da população...não vejo outra forma!!!o custo deste ônus nada mais é que nossa omissão no passado

abçs adalberto

Concordo

Mas a maior questão dos importados, não esta no que vem da China ?

E sim do que entra no Brasil pela porta dos fundos, Paraguai, Bolívia, Uruguai  e outros lugares “sem fronteiras”  - de 100 veículos  que passam “acho, eu disse acho”  1 deve ser fiscalizado, o que entra legalizado pelos portos,  paga impostos e tem destino certo, caso tenha alguma coisa errada, amanhã ele vai ter que pagar e corrigir o seu erro, gente vai perder seu emprego de facilitador,  se quiser se manter no mercado vai ter que agir certo.

Quem já foi  em uma Feirinha da madrugada, sabe o que acontece lá.      


adalberto oliveira martins filho disse:

Caros...

1) Qdo collor abriu as importações, tivemos uma enxurrada de produtos a preços de banana!!independente de qualidade, o que valia era preço!!!aliás até hoje, sendo que a unica diferença, é que já há alguns anos os produtos chineses evoluíram e hoje fazem produtos com a mesma qualidade do Brasil!!! a unica diferença é preço!!!! custo brasil x custo china diferentes ...não há equidade!!!não considero isto globalização!!

2) com o dólar as alturas já não é mais um ""bom negócio da china""....entretanto assim que o dólar cair, nós tb cairemos!!! o correto, no mínimo,  seria tributar com um índice que se crie uma concorrência legal e equilibrada!!!ou seja: nosso produto teria um preço final igual ao da china ...sabemos que é impossível, mas esta tributação ao internar o produto teria que ser mais alta e não a palhaçada que é hoje.

3) deveríamos tb, como povo, boicotar produtos importados,  em favor de produtos nacionais...mas sempre vai valer preço menor!!!!! este boicote seria apenas uma consciência mais apurada , pois o custo sócio-econômico é desastroso e agora estamos estamos vivendo estas consequências.

3) recentemente na França, fizeram uma campanha, contra produtos importados, e surtiu excelente efeito, pois a população ""caiu na real"" de que estavam gerando empregos em outros países em detrimento aos importados, e cortando os empregos locais!!!!!!! se não me engano, já foi postado aqui no blog.

3) não tenho preocupação alguma, com empresários oportunistas, em inúmeros setores, que definiram não mais produzir, trocando o foco de seu negócio, para importadora!! não importam que quebram, pois foram nocivos à sociedade e ao Brasil!!! a ganância falou mais alto!!!deram um tiro no próprio pé!!! portanto danem-se!!!

3) inicialmente, importava-se matéria prima ( fibra ) , depois fios cru e tintos, tecidos para tingir e já acabados e finalmente confecções. O preço por kg, pouco varia de etapa a etapa de produção!!assim conquistaram o mercado!!

4) Por favor, não vamos mais teimar e falar em investimento, visto que nada perdemos para a china e outros países!!!nossa qualidade é equivalente ou até superior!!! criamos e diversificamos...diferente da china, que qdo participa de feiras, copiam e mandam amostras com valores absurdo. Não podemos negar a rapidez !!! neste quesito são fora-de série.

5) para sairmos da crise não necessitamos investir, já temos um parque fabril que está sendo sucateado em função de importações indiscriminadas e com taxas de internação abaixo da necessidade!!fica cada vez mais difícil!!!

6) hoje, com o valor do dólar, está havendo um interesse por produtos nacionais, porém não há demanda em função da crise moral e econômica deste desgoverno!!!

7) Falta de representação no setor textil: temos hoje a FRENTE PARLAMENTAR JOSE DE ALENCAR, que recentemente foi relançada...atualmente temos mais de 200 políticos que integram esta Frente!!!

em minha opinião: o governo não tem interesse...e os participantes são verdadeiras bolas-murcha, salvo poucas exceções...na realidade todo político gosta de assinar qualquer coisa, para poder tirar proveito da situação em futuras campanhas...

temos sindicatos com excelente participação, mas perdem sua representatividade por não terem o apoio necessário, inclusive da Frente Parlamentar!!não dão a cara para bater em uma manifestação.

a própria FIESP, com mais de 130 associações, pouco fez...e nada mais fará!!!!apenas politicagem barata!!

8) esta situação que o Brasil vive, não será eterna ( eu espero) mas depende simplesmente de União e comprometimento, para que se tome ATITUDE  eu particularmente vejo apenas uma revolta popular , para mudar o rumo do Brasil, a qualquer custo!!! já citei aqui, que se houvesse UNIÃO seguramente poderíamos até partir para uma greve geral e com prazo indefinido, até botar a corja toda para fora!!!neste caso, acredito tb que o exército interferia a favor da população...não vejo outra forma!!!o custo deste ônus nada mais é que nossa omissão no passado

abçs adalberto

Concordo

Mas a maior questão dos importados, não esta no que vem da China ?

E sim do que entra no Brasil pela porta dos fundos, Paraguai, Bolívia, Uruguai  e outros lugares “sem fronteiras”  - de 100 veículos  que passam “acho, eu disse acho”  1 deve ser fiscalizado, o que entra legalizado pelos portos,  paga impostos e tem destino certo, caso tenha alguma coisa errada, amanhã ele vai ter que pagar e corrigir o seu erro, gente vai perder seu emprego de facilitador,  se quiser se manter no mercado vai ter que agir certo.

Quem já foi  em uma Feirinha da madrugada, sabe o que acontece lá.      

Leonardo, me lembro quando ainda representante de marcas nacionais, entrava nas multimarcas competindo com os produtos chineses... em termos de preço não havia competição, pois os produtos eram BEM mais baratos (não entro na questão de qualidade). Contudo, me lembro também que sempre defendi juto aos lojistas esta mentalidade de que era importante também fortalecer a indústria nacional, visto que, os operários da indústria nacional fortaleciam direta e indiretamente a cadeia de renda local e regional... porém, várias empresas não se importaram, compraram tudo o que podiam da China e agora a grande maioria está pedidno concordata ou entrando em falência. Uma pena!

Leonardo Shirazawa disse:

eu concordo com vc, realmente o maior culpado foram os que "aproveitaram" a onda do produto importado melhor, em contrapartida de fazer um produto melhor aqui dentro, incentivar o consumo interno, gerar mais empregos, lembro me de ouvir de muitos empresários "eu vou cortar pela metade minha produção aqui, vou fazer tudo na China, sai mais barato e todo mundo esta fazendo lá" quer dizer um aleijado querendo apoiar-se em um cadeirante, onde isso pode dar? Nosso país infelizmente é uma economia emergente igualzinho a China, com economias ainda em desenvolvimentos, a diferença é que na China não existe leis Trabalhistas. Eu Aprendi que é preciso investir (muito bem) durante a crise para colher frutos no crescimento. se não fizer a lição de casa vai acabar como nosso governo, sem condições de avançar...

Prezado João Carlos, perdoe-me a as falas seguintes, mas "benção para o consumidor brasileiro"??? Só se for porque teve oportunidade de comprar réplicas chinesas que inundaram o mercado. Se realmente foi uma benção, porque tantos estão agora sentados a frente da TV sem emprego??? Não defendo bloquear todas as importações, mas sim, que a importar sem uma analise efetiva de mercado gera desemprego... se isso é benção, tenho até medo da peste!

Joao Carlos Loureiro disse:

Prezados,

Podem me explicar como voces pretender resgatar uma industria que em seu auge, nos anos 90 já não dispunha de MO suficiente, por exemplo, a Sulfabril, renomada industria Catarinense que faliu, havia 15 anos que não conseguia fechar sua necessidade de costureiras e manuais, alem de estar minada por sindicatos que não permitiam se atingir eficiência superior a 55% sem que se formasse piquetes na porta da fabrica.

Isso sem falar da nossa legislação tributaria que deveria ter sido reformada a pelo menos 25 anos, junto com nossa legislação trabalhista.

Importar da Asia (e não somente da China) foi uma benção para o consumidor brasileiro, que alias, é tão brasileiro como quaisquer outros trabalhadores. Caso não fossem as importações, pergunto a voces, aonde estariam os preços das confecções brasileiras?????

Vamos todos cair na real.

Abraços,

Perfeito Adalberto!

adalberto oliveira martins filho disse:

Estimado Joao Carlos:

1) os sindicatos antigamente tinham muita força...hoje já não é bem assim, exceto estes ""caras"" que pararam no tempo...não acompanham a real situação da industria textil. Eles podem ""apertar"' qdo estamos a todo vapor, hoje a situação é outra e deveriam no minimo tentar manter empregos que já estariam de bom tamanho...estão com a mesma situação da Frente Parlamentar Textil...cheio de políticos totalmente sem expressão para nosso setor!!!

2) nao mais será resgatada!!! e veja que já se passaram 16 anos..

2) nunca importávamos  antes de Collor...e a indústria ia até que bem....entrávamos e saíamos de crise....e sempre sobrevivendo.  com as importações, fecharam muitas indústrias ( não somente textil) . veja que vc não pode concorrer com 2 pesos e 2 medidas!!! como entrar em um mundo globalizado, com custo Brasil x custo àsia totalmente diferentes!!! é impossível!!por isto estamos nesta mer....em todos os segmentos!!!

3) fora esta  associação de  economia diferente, temos tb a cultural, política, etc..etc......nunca se preocupou em conscientizar o brasileiro, de qtos empregos estamos matando na cadeia, diretos e indiretos, qdo se compra um produto asiático...

adalberto

Caro amigos,

As complicadas “Equações Matemáticas” não são difíceis de resolver desde que as pessoas que são escolhidas para resolver dominem o assunto.

Nós brasileiros somos “Cordeiros” e tudo de ruim que acontece, acaba sendo motivo para uma nova piada, infelizmente a grande maioria do nosso povo é totalmente desprovido de informações sobre o que aconteceu e que está acontecendo, e se vendem por quaisquer 50 contos.

O que temos hoje lá em cima no poder, confirma nitidamente o parágrafo acima, e enquanto está corja de incompetentes, corruptos e ladrões estiverem lá as coisas não vão mudar, ou melhor vão piorar.

Quando pensaram em abrir as portas para o mundo, não imaginaram que o tiro poderia sair pela culatra e veja onde chegamos ou onde ainda vamos chegar.

Todos os setores estão se retraindo a cada dia, porem coloco uma ênfase maior no têxtil que sempre foi 2º setor que mais gerou emprego, hoje já não sei mais, depois da quantidade de pessoas que estão sem emprego.

 Os importados realmente foram uns dos responsáveis que provocaram esta situação, em primeiro lugar foram os carniceiros que colocamos lá para resolver as Equações Matemáticas, em segundo lugar os chamados industriais que fecharam suas fabricas para se aproveitarem dos importados, transformando-se em distribuidor da mer.... para no Brasil, enquanto exportamos nossa riqueza e por último os brasileiros que não dão nenhum valor pelo produto nacional. Este último até se pode dar um desconto, pois com o que ganham não dá para fazer muita coisa.

Um outro fator muito importante e que ninguém comenta é a invasão de milhares de imigrantes Haitianos, Senegaleses e principalmente Bolivianos que entraram no Brasil e tiraram simplesmente a nossa mão de obra, e a grande maioria trabalhando como mão de obra escrava.

Vocês podem falar de Utopia, pessimismo, otimismo ou qualquer outro mismo que encontrarem, porem vamos sempre voltar na “Equação Matemática”.

“O Povo é Soberano” e deveria de ser “O Povo” a dizer o que o governo pode ou não fazer com nossas arrecadações, o governo não é uma empresa é simplesmente um Gestor que tem que ter capacidade de dirigir os investimentos sempre em beneficio a Nação.

Responder à discussão

RSS

© 2019   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço