Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VI

Baixa Produção física  não consegue gerar emprego

             

Em junho, na comparação com maio, os postos de trabalho no setor têxtil e de confecção paulista apresentaram queda de 1% (produtos têxteis) e de 0,7% (produtos confeccionados). Já de janeiro a maio deste ano, a produção física de têxteis em São Paulo, teve queda de 7,78% e a de vestuário despencou 22,75%. Alfredo Emílio Bonduki, presidente do Sinditêxtil-SP, salienta que os dados, constantes da  pesquisa do Nível de Emprego da Indústria de Transformação no Estado de São Paulo, realizada pela Fiesp/Ciesp, refletem a realidade da cadeia têxtil. “O setor, infelizmente, está demitindo, em virtude de uma série de ameaças que atingem a economia nacional como: o flagelo da desindustrialização, o câmbio sobrevalorizado, o surto de importações , dentre outros”, explicou

 

Ø Confecção de artigos de vestuário: nível de emprego diminuiu 0,7% em junho, na comparação com maio. Isso significou a perda de 1.254 postos de trabalho.

 

Ø Produtos têxteis: nível de emprego negativo em 1%, na comparação com maio. Isso significou a perda de 1.092 empregos.

 

Ø No acumulado dos seis primeiros meses do ano, o nível de emprego cresceu apenas 0,5% nos confeccionados e caiu 1,7% nos têxteis.

 

Ø Últimos 12 meses: no acumulado desse período a situação é mais preocupante, registrando-se queda de 3,5% nos empregos da confecção e 6,5% no segmento têxtil.

 

Ø De janeiro a maio deste ano, a produção  física paulista de têxteis teve queda de 7,78% e a de vestuário despencou 22,75%. Nós últimos 12 meses: a produção física de têxteis caiu 9,73% e a de vestuário teve uma queda de 15,45%.

 ÍNDICES DE EMPREGO NO INTERIOR

 

Os segmentos têxtil e de confecção tiveram comportamentos regionais negativos, contribuindo para a redução do nível deempregos.

 

 

Ø O nível de emprego no segmento da confecção caiu 0,8% na região de Santa Bárbara D’Oeste.

 

ØNa região de Americana, os confeccionados tiveram queda de 0,6%.

 

Ø Em Campinas, houve um aumento de 0,1% na geração de empregos.

Fonte:|http://www.jornaldecampinas.com.br/jornal/?p=2043

Tags: Ainda, Em, Paulo, Reação, Sem, Setor, São, Têxtil

Exibições: 348

Responder esta

Respostas a este tópico

"Estamos Blindados"  - Luis Inacio Silva

Enquanto essas confecções pagarem uma miséria por peça, as oficinas de costura não consegue pagar suas dividas, tem que registrar, fiscalizar, etc, como pode, precisamos valorizar mais nossas oficinas de brasileiros, assim poderemos gerar mais empregos .....

Responder à discussão

RSS

Textile Industry

O Maior Portal de Informações Têxteis e do Vestuário do Brasil

© 2014   Criado por Textile Industry.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço