Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XVI

Ainda que seja o segundo maior gerador de empregos no Brasil, ficando atrás apenas da construção civil, o setor têxtil tem pouca atenção do governo e a situação vai se agravando com a crise econômica atual. São empresas que fecham as portas ou reduzem a produção e postos de emprego eliminados. Ainda assim os empresários e entidades representativas mantêm firme a esperança de que medidas urgentes possam ser adotadas para que o setor volte a crescer e a gerar empregos. 

O momento é ainda pior do que há 20 anos, quando houve a abertura de mercado de forma indiscriminada, facilitando a entrada de produtos asiáticos. Em maio de 1995, a cidade de Americana, chamada até então de "Princesa Tecelã" por sua vocação têxtil, foi destaque nacionalmente na mídia por ter sido palco de uma grande manifestação, parando até a rodovia Anhangüera, em defesa das indústrias e do emprego. O protesto reuniu empresários, comerciantes, trabalhadores e autoridades, que já reclamavam da falta de apoio do governo. Outros movimentos como esse terão que ser realizados e rodovias fechadas para que o governo volte seus olhos para a indústria têxtil e de confecção, que ainda emprega diretamente mais de 1,6 milhão de trabalhadores? 

Empresários apontam que a desoneração da folha de pagamento foi uma medida que ajudou as empresas a se manterem, ampliou a competitividade do produto nacional e estimulou a formalização do mercado de trabalho. No entanto, a presidente Dilma lançou a Medida Provisória 669, que vai novamente aumentar os impostos. 

A mudança na desoneração da folha só agrava esse cenário, que já é bastante negativo devido a diversos fatores, como o aumento da tarifa de energia elétrica, o fim do programa Reintegra, que reduzia os custos produtivos, e a elevação da taxa básica de juros (Selic). 

Na Assembleia Legislativa, continuamos em ação com os trabalhos da Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Têxtil e de Confecção. O objetivo é o fortalecimento do setor, atuando como instrumento político para a manutenção de empregos, tributos mais baratos, bem como contra a concorrência desleal de produtos importados. 

Há poucos dias estivemos em audiência na Secretaria Estadual da Fazenda, com representantes das entidades patronais e dos trabalhadores. O crédito presumido de ICMS sobre a folha de pagamento para o setor está entre as principais reivindicações discutidas. Também destacamos a importância do apoio do governo estadual às indústrias paulistas, uma vez que muitas empresas estão migrando para estados que concedem incentivos fiscais para importação de insumos e produtos acabados, criando uma concorrência desleal com as empresas de nosso Estado. 

O que nos mostra o quadro atual é que a produção nas indústrias caiu, assim como as exportações, e as demissões só aumentam. Os números negativos levam o setor a apelar aos governos estadual e federal para a adoção de medidas que garantam uma sobrevida às empresas. O sinal de alerta está soando cada vez mais rápido e mais alto para o setor têxtil. 

FONTE: http://www.al.sp.gov.br/noticia/?id=364800

por
* Chico Sardelli é deputado estadual pelo PV e coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Têxtil e de Confecção 

Exibições: 2772

Responder esta

Respostas a este tópico

sinal amarelo está soando cada vez mais alto??? Sardelli está atrasado!!! desde 1986 que a decadência na ind têxtil surgiu...e nunca estabilizou-se....somente  continua a quebradeira!!! e agora somado a economia deste desgoverno......na realidade estes deputados e outros políticos que fazem parte da frente textil servem apenas para contabilizar votos para uma reeleiçaõ...nada mais!!!infelizmente!!!

adalberto

alias...basta ver o trabalho que esta frente tem feito em prol  da ind textil...malhando em ferro frio!!! o governo não tem a minima preocupaçao a este respeito!!!são quase 30 anos e nada mudou!!!! e hoje nao se tem saco roxo para atitudes necessarias como a de 2016 no fechamento da Anhanguera...alias hoje é necessário atitudes mais pesadas para tentar surtir efeito...eu nao acredito mais....


caro Joao...

me admira seu posicionamento!!!

a industria textil, assim como outros segmentos estão morrendo em funçao de tributos e custo Brasil!!! associado aos baixos custos de Asia!! compare o que custa um funcionário chines com um brasileiro!!! e o produto final sempre será mais barato, independente de condiçoes de trabalho, direitos etc...etc... o governo brasileiro é totalmente omisso a retraçao de industrias texteis, alias sempre foi, como tb em outras!!! hoje compensa importar aluminio do que comprar no mercado interno , sendo que a matériA prima é nosso...exportamos matéria prima e importamos produtos acabados...como sempre foi para o japão por exemplo....mas eles agregam valor....enquanto que a china  é ao contrario!!! faço votos que o dolar permaneça acima de R$ 3,50...pois esta é uma pequena possibilidade de voltarmos a produzir internamente!!! apesar de nao termos politicas econômicas e industriais que valha a pena...

com relaçao a frente parlamentar,, vejo apenas o oportunismo de darem ""ibope""...são motivos eleitoreiros ....já tivemos jose de alenacar como vice...e nada aconteceu...não temos representatividade e somos frouxos e não tomarmos atitudes mais pesadas...vc topa botar fogo em cnt??? oui algo semelhante??? já fizeram de tudo...apenas reclamamos e nunca somos ouvidos!!! desde criança aprendemos que um país desenvolve qdo há incremento de industrias....ao contrário do Brasil..estamos cada vez mais dependentes de importaçoes!!!

e esta raça de políticos nojentos que vão à merda!!! nada se espera deles....não tem moral para nada!!

sds adalberto


Joao Carlos Loureiro disse:

Adalberto,

Esta na hora de se concientizar que o problema da industria textil não é as importações mas sim o fato de que a remuneração do setor não encoraja ninguem a escolher a profissão.

Qualquer pessoa que tenha a opção de arrumar outra função que não exija que se fique 8 horas numa mesma posição, fazendo um trabalho repetitivo e de baixo nivel, ano apos ano, como costurar, não pensará muito para optar por outra coisa, mesmo que seja a construção civil que ao menos se trabalha ao ar livre. 

Esse é o verdadeiro e crucial problema da industria textil, especialmente a de confecções..

O Brasil não tem massa populacional para esse tipo de industria....

Só vai sobrar o Fast Fashion no Bom Retiro que é bom, mas é caro pela baixa produtividade...mas vende bem!

Abraços,

Primeiro precisa ter produto que seja inovador, polester da china ja foi, quem inova esta vendendo, quanto ao bom retiro esta morto faz tempo, tanto faz entrar na primeira como na ultima loja e tudo igual, poliester,polirster.....assim como quase todo o resto, e so esperar pra fazer o enterro
Isso mesmo Alberto...concordo plenamente...
Estimada Francisca...o problema não é poliéster...algodão...linho ou outras fibras...e nem quem inova!!! não mais existe valor agregado...veja os grandes magazines que importam à vontade, inclusive Paquistão, Índia, Turquia..etc..etc..por qual motivo vc acha que se importam tapetes???e roupas??? e tecidos?? e outros tanto em textil e outros segmentos??? simplesmente por baixo custo e normalmente à custas de exploração do ser humano em verdadeiro trabalho escravo e mal remuneraçao...vc sabe perfeitamente disto!!!vc pode fazer o que quiser em termos de diferenciar...usar seda natural??? a china acabou com as industrias artesanais de uma cidadezinha ao norte da Itália ( nao me recordo o nome ) muito tradicional e faziam produtos extremamente diferenciados e alto valor agregado e agora vive às custas de importações ""baratas"" e produto tb barato...depois de uma grande quebradeira!!inovar o quê???? temos confecçoes com fios fantasias diversas, que chegam a preço de banana e são vendidos como tal...inclusive em malharia retilínea...para que vc tenha uma idéia...um fio fantasia tipo bouclé, independente de titulo ou de cores, custa em média para importar 4 a 6 usd fob...em que nacionalizado vai custar mais 80% ou seja: 7,2 a 10,8 usd...e vc ainda tem crédito de icms..etc..etc..para produzir um fio deste no Brasil, conforme titulo, te custa no mínimo 12 usd!!! se for um fio simplesmente torcido em viscose + poliamida stretch que é necessário tingir em armarios, ( processo muito caro pois tem que fazer e desfazer meadas...) custa somente de tingimento a média de R$ 14,00/kg...mais matéria prima que vão mais R$ 14,00/kg + torção etc..etc...e vc importa na faixa de 4,80 a 5 usd ou seja nacionalizado a 9 usd!!! bem inferior ao nosso não achas??? desculpe...mas o problema atualmente não é mais nichos de mercado ( que nem todos podem entrar...não é tão simples assim...e nao existe somente tecelagem voltada à moda..temos tecidos técnicos tb!!!) como tb não é inovação ( concordo com vc que é necessário ...) e tb não é tecnologia!!! o problema é custo Brasil!!!veja qual o percentual de custo de um funcionário na produção de uma roupa e veja o que temos feito em outros países ( Africa, Vietnã, Paquistão Bangladesh,Turquia entre outros países. o diferencial está simplesmente no custo de todos os processos e funcionários tb ....não somos competitivos com importados!!!há 30 anos sabemos disto!! e nunca seremos!!! são 2 pesos e 2 medidas!!! por favor ..não fale em inovações...isto é válido para algumas pequenas empresas...impossível generalizar!!! outra coisa...quer um povo malabarista e criativo como nós??? nao existe!!!rs..rs..rs...
abç adalberto
A culpa é do Poliester??? Hahahahahaha
Olha realmente eu prefiro ficar quieto mesmo! É brincadeira...
Uma coisa é você ser defensora do algodão colorido porque além de tudo tem interesse e negócios nesta área. Agora vamos ser realistas! O Poliester foi a fibra que mais evoluiu nos últimos anos e se não fosse ele 90% das malharias do Brasil não iriam existir
Por favor vai!! Não viva num mundinho fechado!! Aceita que dói menos

na realidade estamos falidos não apenas em id textil...mas em tudo que é segmento, em decorrência de uma soma de fatores alheios à nossa vontade!!! ...mas ainda culpo principalmente o governo por ter 2 pesos e 2 medidas...não existe equidade de economias !!!portanto sempre será favorecido o que tem mais incentivo e custo mais baixo...a china sempre cria novas posições e programas a longo prazo...diferente do Brasil que não existe estes programas que normalmente são feitos para servir apenas um mesmo governo...já estão acostumados a ouvir  nossas lamurias...e nada fazem!!!não sabem governar...e nós permitimos os deslizes  e reclamamos depois...vejam a copa do mundo...as olimpíadas que ja está em 40 bi ...e outras atrocidades!!! nao sabemos votar...é nisso que dar...coloca-se um imbecil ignorante para administrar um país...e consegue com toda sua inteligência manter-se no poder com sua turma de vândalos..e assim vai...mas retornando ao nosso assunto...depois de 29 anos nada conseguimos...portanto nao adianta fazer mais nada!!! exceto se tomarmos ATITUDE extrema...botar fogo em cnts...greve geral...etc..etc...alguém tem outras ideias??  alguém topar botar fogo em cnts???na subida da serra??? não dá em nada, pois nem justiça temos!!!nao existe mais moral!!!


joao Carlos...desculpe...mas quem vive na china ( tenho um amigo que está morando lá já há alguns anos...e conhece a china desde a epoca que existia a Carambeí em São Roque e Carpas em Londrina...depois foi para a FAMA em Americana...)  o que me passa é o constraste...tem gerente de trading que ganham entre entre 300 a 500 usd...e são considerados ""ricos""...conseguem comprar uma bicicleta...rs.rs..uma costureira ganha em torno de 150 usd...como outros funcionários ""altamente especializados"".....não sei qto a produtividade mas trabalham o tempo que for necessário, 8, 10 12 horas e o salario é o mesmo...isto significa para mim que é um trabalho escravo!!! são contratados para trabalhar...não interessa a quantidade de horas mas o salario é o mesmo!!!!os sindicatos que já estão instalando em toda parte acabam perdendo força, pois o governo chines nao admite greves!!! e os salários são literalmente ""leiloados"" principalmente agora que a china não mais cresce a 8 ou 9% ao ano!!!inúmeros empresários mal conseguem manter um automóvel simples...a margem de lucro é baseada em 3% ...e ponto final!!! eles tem que produzir para manter empregos...este alias é o maior desafio da china!!!este ano começou um programa que consiste em aumentar o consumo interno em 30% nos próximos 5 anos !!! é a forma que arrumaram prevendo uma queda de exportações nos próximos anos...ou seja um crescimento menor...eles tem que sobreviver e o governo chines faz programas para poder manter a economia!! se tivéssemos a moeda nossa desvalorizada ...veja o Japão em que 1 real compra em torno de 40 ienes...na china vc compra 2 Iuan....nao podemos ser nivelados por baixo    veja que a zona do euro resolveu que a desvalorizaçao do mesmo se dará até em 2017  e será equivalente a 85% do dolar!!! o pessoal que trabalho junto da Italia estão felizes, pois o turismo americano voltará para a europa...as empresas devem começar a desenvolver-se novamente...somente nao se sabe o que farão com os chineses que estão por lá...compram de porteira fechada  inclusive imoveis e depois entram com produtos chineses, pois se tornam importadores...e tudo com incentivo do governo chines!!! quase igual ao nosso que não existe metas e programas principalmente econômicos...se derem um bordel, por menor que seja, nossos governantes quebram em pouco tempo...a incompetência é muito grande!!

abç adalbertyo
Joao Carlos Loureiro disse:

Prezado Adalberto,

Falo pela China que conheço a mais que 20 anos e com profundidade.....

NÃO EXISTE TRABALHO ESCRAVO NA CHINA.....O QUE EXISTE É UMA POPULAÇÃO DE 1.3 BILHOES DE PESSOAS....

Creio que somente quem conhece bem a Asia sabe avaliar o que significa o problema dessa população...

Olhem bem para a Indonesia que tem em suas mil ilhas, um territorio equivalente a MG e a população superior a do Brasil com cerca de 260 milhões... 

Imaginem agora todo o povo Brasileiro se mudando pra MG e pedindo trabalho, moradia, agua, esgoto, luz, escolas, etc...essa é a realidade da Asia....quem tem trabalho esta muito melhor de quem não tem...

Outra coisa importante.....na China de hoje, uma boa costureira ganha o mesmo que aqui no Brasil mas a verdade é que ela produz tres vezes o que a Brasileira produz.....lá não tem sindicatos pra atrapalhar a vida dos trabalhadores... la a medida é produtividade....

Cansei de ver a Louis Vuiton de Hong Kong cheia de costureiras Chinesas comprando bolsas de US$1.500

Acho que ta na hora de voces reverem seus conceitos...

Abraços a todos,

Joao Carlos.....desculpe mas nao concordo....falta na realidade visão empresarial...estamos dando tiro no próprio pé!!!estamos chegando a um ponto, que matamos nossos empregos em sua totalidade aqui no Brasil.,..não existe desenvolvimento economia rica e forte sem empresas!!!sobram apenas pessoas em sua maioria nao especializadas...

não existe tb produtos 1/2 chines e 1/2 brasileiro...visto que no seu exemplo matou toda a cadeia textil...veja que desde a fiaçao, tecelagem estão mortos!!!assim como outros setores que dependem destes...manutenção com inúmeros itens, vendedores de todos os segmentos, transportes....etc...etc...este infortúnio é muito grave ....negocios com grandes magazines...veja o caso de Havan...importa quase tudo..riachuelo, pernanbucanas, frenner, C&A, ...Colomo...etc..etc...apenas para se ter um produto mais barato??? e quem vai comprar??se a cada dia o número de desempregos aumenta?? como tb a renda que caí!!a preocupaçao de impostos ...., visto que qdo mais se paga mais se rouba!! esta cambada somente leva vantagens!! e o Brasil que se dane!!! com todos estes tributos...não cortam gastos mas aumentam os impostos e cortam o  minimo que se precisa fazer...coisas básicas!!!o Brasil se tornou uma piada ...um pais imoral em todos os aspectos...os EEUU boicotaram o algodão, não se pagou o Brasil...e estão preocupados em se erguer...assim como outros ...aqui a preocupaçao é gerra empregos fora !!!

adalberto

Joao Carlos Loureiro disse:

Que tal adotarmos uma maxima popular para por fim a essa questão...

"Se não pode com a concorrencia, junte-se a ela"

Os empresarios do setor textil podem explorar a produção da Asia em seus negocios..

Estou cotando artigos produzidos na China em PT (preparado para Tingir) pra um cliente meu aqui no Brasil.

Ai ele vai vender o artigo nas cores e nas pequenas quantidades dos clientes dele e vai entregar o produto meio Chines e meio Brasileiro......

Tem muito mais projetos que podem ser realizados por empresarios do setor que tem conhecimento tecnologico e boa interface de vendas, inclusive negocios para grandes magazines...

Temos que aceitar o novo e temos que inovar, afinal os preços baixos da Asia beneficiam os consumidores Brasileiros tambem, alem de sustentar o governo com 35% de Imposto de Importação... ou porque voce acha que o governo não toma partido das empresas texteis do Brasil..porque nao ganham com elas o que ganham com os importados.....imagina se voltarmos aso 25% de Imposto de Importação como cairam os preços no varejo....

Esse é o caminho..

Bom fim de semana..

Calma meus amigos, temos que acreditar numa luz no fim do túnel

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço