Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Sindicalistas Protestam Contra Redução de Benefício à Importação em Itajaí, Litoral Norte de Santa Catarina

Sindicalistas protestam contra redução de benefício à importação em Itajaí, Litoral Norte de Santa Catarina
Estado pode perder R$ 950 milhões com mudança imposta pelo governo


Sindicalistas protestam contra redução de benefício à importação em Itajaí, Litoral Norte de Santa Catarina

Uma manifestação contra o fim do incentivo de ICMS em Santa Catarina levou cerca de 500 pessoas à Avenida Coronel Eugênio Muller, em frente ao Porto de Itajaí, na tarde desta segunda-feira. Organizado pelo Sindicato dos Despachantes Aduaneiros, o protesto chamou atenção para os prejuízos que o Complexo Portuário do Rio Itajaí-Açu poderá sofrer caso o governo federal mantenha a decisão de cortar o benefício de ICMS dado aos importadores no Estado.

A avenida ficou fechada por uma hora, o que causou congestionamentos nas principais ruas e avenidas do município, que dão acesso ao porto.

A manifestação contou com o apoio do prefeito de Itajaí, Jandir Bellini (PP), e da superintendência do Porto de Itajaí.

— Se é necessário fazer este reajuste, defendemos que seja feito de maneira gradativa. Caso contrário, perde toda a cadeia logística. Muitas empresas se implantaram no Estado pela eficiência de nossos portos, mas também por este benefício — disse Antônio Ayres dos Santos Junior, superintendente do Porto de Itajaí.

Somente em Itajaí e Navegantes, cerca de mil empresas trabalham diretamente com importações — entre importadoras representantes de importação, empresas de logística e armazéns.

A expectativa é que o Estado possa perder R$ 950 milhões ao ano com a mudança imposta pelo governo. Nesta terça-feira, o prefeito de Itajaí e representantes sindicais viajam a Brasília, numa tentativa de sensibilizar o Senado.

— Não é só Itajaí que tem a perder, mas também Navegantes, São Francisco do Sul, Itapoá. O Estado todo — diz Bellini


Fonte:|http://www.jornalfloripa.com.br/cidade/index1.php?pg=verjornalflori...

Exibições: 484

Responder esta

Respostas a este tópico

Cada um puxa a sardinha  para sua brasa.

Srs.

É com pesar que vejo pessoas que só pensam em suas vantagens e facilidades.

Quantos sindicalistas texteis existem só em Santa Catarina?

Estes sim, estão sendo prejudicados há algum tempo e sem dúvida somam bem mais que estes 500.

Quantos trabalhadores texteis temos só em Santa Catarina?

Estes são sem dúvida os mais prejudicados e em número muito maior.

Levemos estes números para o Brasil.

Sim, o que entra por SC é distribuido por todo o pais!

Quantas familias estão hoje desempregadas por estas importações facilitadas?

Não podemos pensar em bloquear importações, mas incentivar de forma que nem as industrias do estado e do Brasil recebem incentivos, é sem dúvida um contrasenso.

Sds. Delmo Almeida

 

o foco da discussao e errada...o Brasil tem uma carga tributaria muito elevada, e os politicos desviam muito dinheiro.

Pagar 4% de Icms deveria ser adotado por Sao Paulo tambem mas Sao Paulo nao pode e nao quer...Esse incentivo e uma reforma fiscal possivel num pais tao grande onde nunca a consenso sobre nada

Uma mercadoria importada custa 45% em impostos na Europa e nos EUA a carga e a metade disso...

Se o governo quer mexer na importacao e exportacao que mexa no cambio!!!! faz que nem a CHINA vincula real ao dolar e acompanha a desvalorizacao do dolar no mundo...O cambio deveria estar em torno de 2,50 a 2,80 pra termos um equilibrio....temos competencia e forca de vontade pra isso??

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço