Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Têxteis recorrem à França para tentar deter chineses



As indústrias têxteis da região representam 85% da produção nacional

O Sinditec (Sindicato das Indústrias Têxteis de Americana e Região) dará suporte à Prefeitura de Campinas e ao consulado francês, com o objetivo de organizar um Seminário da Indústria Têxtil em Campinas, no mês de outubro. Para conhecer a infraestrutura e obter informações econômicas sobre o potencial da indústria de tecidos da região, uma missão francesa do setor de maquinário têxtil participou terça-feira de uma reunião com entidades sindicais e empresários do ramo para apresentar a proposta do seminário.

 

O encontro foi intermediado pela Secretaria de Cooperação Internacional e pelo cônsul honorário da França em Campinas, José Luiz Guazelli. O Sinditec foi representado no encontro pela diretora Cleonice Burke Pistolatto, que se comprometeu a encaminhar ao cônsul um relatório com dados relevantes do segmento.

As cidades de Campinas, Americana, Hortolândia, Nova Odessa, Santa Barbara d'Oeste e Sumaré respondem por 85% da produção nacional e são consideradas o maior polo têxtil da América Latina, conforme os dados apresentados pelo secretário. "Firmamos um compromisso e certamente, traremos esse seminário para Campinas em outubro de 2011", defendeu o secretário Sinval Dorigon. Além dos números de Campinas, o secretário também forneceu informações sobre PIB, transporte e logística, exportações, entre outros itens, do Brasil e do Estado de São Paulo.

A diretora de relações internacionais da Federação das Indústrias Mecânicas da França, Evelyne Cholet, explicou que, no seminário, serão apresentados os mais modernos equipamentos para a indústria têxtil produzidos na França. Ela disse ainda que o evento será uma oportunidade para brasileiros e franceses do setor trocarem informações e tecnologias para a produção de tecidos."A França não é só perfumes, queijo e vinho. É um país que detém tecnologia de ponta em vários domínios e um deles é a indústria têxtil", argumentou o diretor do escritório da Ubifrance (agência pública francesa para o desenvolvimento internacional de empresas) em São Paulo, Marc Antonie Lopez, sobre a importância da França na produção de equipamentos com tecnologia de ponta.

Segundo os participantes da missão, a França pode fornecer às indústrias brasileiras produtoras de tecidos as máquinas mais modernas do mercado e que podem deixar o Brasil mais competitivo na concorrência com os chineses. A missão francesa visitará outras cidades no Brasil com características de polo têxtil para prospectar qual está mais receptiva a receber o seminário.

 

 

FONTE: http://www.oliberalnet.com.br/cadernos/cidades_ver.asp?c=03D4A80EB27

Exibições: 537

Responder esta

Respostas a este tópico

Olá Porfirio,
sem duvida o Brasil já é uma das maiores potencias economica faz tempo. Porém é minha opinião que nao deve correr atrás deste tipo de reconhecimentos, pois sempre vem de outros paises e por conveniência propria, EUA primeiros, que gostam de se colocar qual juiz da economia internacional, para nao ser julgados eles mesmos. Paises como a Austria, a Finlandia, a Eslovénia, a Croácia, só para mencionar alguns, não ficam em posições prestigiosas do ranking da economia mundial, mas vive-se bem alì, tem um padrão de vida otimo, otimo nivel de educação, serviços bons para os cidadões e é disso que o povo precisa. Colocar o Brasil no terceiro ou no quinto lugar das economias mundiais no 2012 ou no 2015, que seja, nao solucionará o problema do analfabetismo, que ainda toca uma faixa enorme do pais, sequer aumentará as infra-estruturas do que o pais é, ancestralmente, carente. Ver o Lula ontem e a Dona Dilma hoje, sentados com os “grandes” do planeta pode ser motivo de orgulho pessoal, porém nao significa nada mais do que isso para um cidadão comum, na briga do dia dia, e é bom nunca esquecer que estos “grandes”, como podem cantar a Dona Dilma hoje, por conveniência virarão a cada do outro lado amanhã.
O Brasil é uma potencia e ponto, acabou. Nao devemos acreditar nisso só quando ou porqué é alguém de fora que nós fala isso. E aì volta a conexão com a minha resposta anterior ao tema da missão francesa. Ou estamos convencidos que somos fortes, ou nunca desfrutaremos a cheio o nosso potencial. Um abraço

Somos uma nacao de ladroes de Merenda Escolar.

Se o nosso Judiciario -e os seus bracos de atuacao funcionassem; se colocassemos os milhoes de vagabundos em cadeias industrializadas para fazer roupa a Um Real por dia, talvez pudessemos competir com a China.

Por enquanto contravencao, suborno e corrupcao e o que da dinheiro.

Carga tributaria... Metade dela some . Se vaporiza. Carga tributaria nao atuante.

Estamos ao nivel de Nigeria, India, Bangladesh e alguns paises latino-americamos em corrupcao. Entre os dez mais corruptos do mundo. Qualquer que seja a ideia brilhante que tivermos, sempre havera um fiscal de prefeitura a mendicar dinheiro, sempre um agente alfandegario para criar dificuldade para VENDER facilidade, funcionario do governo a "vender" emprestimos. Ah Brasil! SdM

Ah, da discussao toda acima, o sumario e curto e encapsulado: Enquanto nao nos tornar uma NACAO SERIO, enquanto nao acabarmos com a impunidade, enquando formos uma nacao de leis somente escrita em papel - e nao aplicada, seremos uma Nacao Quebrada. O que necessitamos e LEI E ORDEM. Cadeias. Esquecamos a etica. Como nacao, nao a temos. Apliquemos o MEDO. a lei, a cadeia com abundante espacos nas penitenciaria-campo de trabalho e ai comecaremos a resolver nossos problemas. Por enquanto somos uma Nacao de Ladroes de Merenda Escolar - e a esse nivel nao iremos muito adiante. Esse eh o grande desafio da Dona Dilma, da Policia Federal a qual vem atuando : E nada do judiciario acompanhar as apreencoes, como no caso da vadia que fez curso com um psiquiatra fajuto de BIPOLAR. A MERIDA com isso- estou tao p da vida que ja estou ficando poli-polar. SdM

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço