Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano VII

Unidades móveis qualificam profissionais para o Setor Têxtil

unidade móvel confecção industrial 4

O nível de emprego formal na indústria têxtil superou a marca de 1,7 milhões de postos de trabalho em 2012, o que representa 3,7% do total de empregos formais ativos no Brasil neste ano. É o que revela o estudo recentemente elaborado pela Fundação Getúlio Vargas. Junto com o crescimento do setor, cresce também a demanda por profissionais qualificados para atuar na área, e o Senai, por meio das suas unidades fixas e móveis, tem contribuído para a capacitação dessas pessoas em vários municípios do Estado do Pará.

unidade móvel confecção industrial 3Além das 15 unidades operacionais do Senai, localizadas em 13 municípios, as unidades itinerantes levam os cursos para as regiões onde a instituição não possui unidade fixa. São carretas e kombis equipadas com máquinas modernas e que oferecem serviços gratuitos às populações onde se instalam. No último mês, foi a vez dos concluintes dos cursos nos municípios de Cametá e Marituba receberem seus certificados. “O Senai vem trabalhando estrategicamente nos setores em que a indústria necessita de mão de obra qualificada, como é caso do setor têxtil. Tenho certeza que os concluintes desses cursos só têm a ganhar daqui pra frente”, comenta o diretor regional do Senai, Gerson Peres, que entregou os certificados aos concluintes. 

No município de Marituba, foi ofertado o curso de Costureira de Roupas, com 45 alunos qualificados. Em Cametá, na Vila do Carmo, os 45 alunos se formaram no curso de Costureiro Industrial do Vestuário. Os materiais confeccionados durante os cursos foram distribuídos para as comunidades locais.

unidade móvel confecção industrial

Os cursos de qualificação profissional de Confecção Industrial do Senai funcionam sempre nos turnos manhã, tarde e noite, oferecendo 15 vagas em cada período. Os participantes saem com a possibilidade de abrir pequenas empresas ou montar cooperativas, além de poder ingressar em indústrias do setor têxtil.

http://www.senaipa.org.br/noticias/ultimas-noticias/313-unidades-mo...

Exibições: 224

Responder esta

Respostas a este tópico

EU, QUANDO FUNCIONÁRIO DO SENAI/DR-CE(1986), SEMPRE DEFENDI A

ATUAÇÃO DO SENAI "IN LOCO" TANTO NAS COMUNIDADES COMO NAS EM-

PRESAS.

AO REALIZARMOS A PESQUISA/RELATÓRIO SOBRE A FORMAÇÃO DE MÃO DE

OBRA ESPECIALIZADA FRENTE AS INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NA INDÚSTRIA

TÊXTIL CONCLUI QUE SERIA MUITO MAIS FÁCIL, RÁPIDO E BARATO PREPARAR-

MOS INSTRUTORES NAS FÁBRICAS DOS EQUIPAMENTOS E ENVIÁ-LOS PARA AS

INDÚSTRIAS E LÁ FORMAREM OPERADORES, MECÂNICOS, ELETROTÉCNICOS E,

PRINCIPALMENTE, SUPERVISORES DE PRODUÇÃO DO QUE IR A PROCURA DE 

FINANCIAMENTOS PARA MODERNIZAREM SEUS CENTROS TECNOLÓGICOS,

PASMEM FORMEI-ME EM 1983 "OLHANDO" PARA UMA SALA DE ABERTURA DE

ALGODÃO DE 1956 QUE NUNCA VI FUNCIONAR(SENAI/CETIQT).

O SENAI NÃO ME DEU OUVIDOS, MAS, A VICUNHA SIM E AÍ REALIZAMOS O

PRIMEIRO CURSO DE FORMAÇÃO DE SUPERVISORES DE PRODUÇÃO PARA 

FIAÇÃO, FORA DOS MUROS DO SENAI E DENTRO DA INDÚSTRIA COM A REALI-

DADE TECNOLÓGICA DA MESMA, QUE ENQUANTO O SENAI CONTINUAVA COM

A MESMA SALA DE ABERTURA DE 1956 E PARADA A VICUNHA TINHA UMA COM

ROBÓTICA E ALIMENTAÇÃO DIRETA PARA AS CARDAS, ENQUANTO APRENDÍAMOS

TECELAGEM EM VELHOS TEARES DE LANÇADEIRA DE MADEIRA NA VICUNHA OS

TEARES ERAM DE PROJÉTEIS E COM LARGURA DE 3,40M. POI BEM, FORMAMOS

QUINZE SUPERVISORES COM 100% DE APROVEITAMENTO.

"A FICHA ESTA CAINDO NO SENAI, LENTAMENTE, MAS TÁ CAINDO, AGORA,

 SERÁ QUE O BRASIL PODE ESPERAR???"

me fala qual profissional fica qualificado.....pode contratar e vamos ficar com muita raiva........nenhuma sabe trabalhar em magnas eletrônica.......socorrroooooooo...........Senai esta atrasado,antigo defasado......

Acho boa a iniciativa de levar informação a regiões carentes da mesma. Também considero louvável a satisfação que o Senai dá de suas atividades, indicando onde utiliza os recursos arrecadados da indústria.

Discordo somente do direcionamento dado a essas ações. De acordo com o post, o Senai está formando "pequenos empresários ou participantes de cooperativas". As indústrias estão precisando de mão-de-obra direta, costureiras que saibam operar máquinas, eletrônicas e não eletrônicas, costureiras que saibam seu importante papel na cadeia produtiva da indústria. O direcionamento dado de "torna-se empresário", não encontra ressonância quando um desses alunos emprega-se numa indústria e se vê no papel apenas produtivo de costureira(o).

Esses cursos tem sua aplicabilidade lúdica, politicamente correto, mas não é isso que a indústria de vestuário demanda atualmente. Precisamos que empresários do setor se unam e desenhem um plano nacional ou regional coordenando a ação de treinamento do Senai com as instalações de plantas industriais; e que o curso da Senai seja focado no caráter produtivo do trabalho e não na ação social de gerar microempresas.

Se queremos que a indústria seja forte, não será multiplicando microempresas que via de regra vendem sua mão-de-obra a um custo abaixo do real (falam em dumping chinês, isso também é dumping, só que de mão--de-obra ; politicamente correto, mas eticamente execrável); mas teremos uma indústria competitiva quando compreendermos o papel de cada integrante da cadeia produtiva: empresários, empregados, governo e instituições auxiliares, sem ações populistas.

Concordo com Sr. Hilário fiz esse curso de costura industrial e posso dizer que a como eu a maioria da turma só teve o diploma e a vontade de abrir pequenas empresas com dinheiro do BDMG, as que foram fazer testes em confecções já existente não passaram ou o proprietário investiu novamente em seu treinamento dentro de suafábrica o Senai/CETIQT tinha toda possibilidade com sua estrutura de formar excelentes profissionais mais infelizmente está em decadência depois de tanto dinheiro gasto este semestre nem abriu inscrição para os cursos de Engenharia Têxtil e de Produção acabaram com a Administração e por aí vai ninguém sabe o que vai dar, eu que estava no ramo a dez anos fui engolida  por camisaria chinesa não consegui competir com os custos mantendo qualidade enfim é a vida é o Brasil lamentável e ainda minha filha com tanta esperança formou em Engenharia Têxtil está dentro de uma industria têxtil mas tenho fé que por amor e dedicação a profissão  um dia ela conseguir  realizar o sonho de assumir sua profissão. 

CAROS AMIGOS, INFELIZMENTE O SENAI A MUITO(NEM SEMPRE FOI ASSIM)

DEIXOU DE SER EXPOENTE NA QUALIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA DE-

DICAR-SE A POLÍTICA DENTRO DAS FEDERAÇÕES DE INDÚSTRIAS QUE SER-

VEM DE TRAMPOLIM PARA A POLÍTICA TRADICIONAL(CORRUPTA) POIS, UMA

VEZ EM BRASÍLIA TODAS AS PORTAS SE ABREM E FICA MAIS FÁCIL GANHAR

DINHEIRO, MESMO QUE SUJANDO AS MÃOS. 

Responder à discussão

RSS

Textile Industry

O Maior Portal de Informações Têxteis e do Vestuário do Brasil

© 2014   Criado por Textile Industry.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço