Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Analfabetismo e populismo: uma simbiose perfeita!

Dentarura

Políticos demagogos não têm nenhum interesse em melhorar a qualidade da educação no país, e o motivo é evidente: quanto mais ignorantes, mais fácil é apelar ao populismo e à compra de votos. Vender votos não é exclusividade dos pobres e ignorantes.

Sabemos que muitos vendem seus votos, seja por um benefício estatal qualquer, seja para preservar um cargo público. Mas é óbvio que os mais carentes cobram menos, e sai baratinho para os caciques políticos.

É o caso de Alagoinha, no Piauí, o município com maior quantidade relativa de analfabetos: mais de 40% do total da população. É uma situação trágica, que depõe contra nossa democracia:

“Isso é um desmantelo, é uma desgraceira”, diz o comerciante Antônio de Sá. “O povo aqui só vota em deputado e essas coisas por dinheiro.” A aposentada Helena Sobreira concorda com outras palavras. “Nas eleições, eles compram voto mesmo. Não é tijolo, não é dentadura, não. Eles dão é dinheiro.”

A compra de votos acontece em todas as regiões do Brasil. Foram 1.206 casos só na última eleição (2012). Em Alagoinha do Piauí, porém, esse crime eleitoral ganha contornos trágicos, afinal, a cidade é a recordista em analfabetismo do país. Antônio e Helena fazem parte dos 41,6% dos moradores de lá que não sabem ler nem escrever.     
 
Exemplo disso, o município já teve um prefeito cassado por captação ilícita de sufrágio, nome técnico para o voto vendido. A notícia parece até um causo sertanejo: em 2009, Clodoaldo de Moura (PT) foi afastado e, como vingança, levou a chave da prefeitura com ele. A presidente da Câmara, que ficou como interina, teve que despachar várias semanas da calçada.
 
“Qualquer agradinho, R$ 30, R$ 40 já ajeita o voto de um sujeito”, resume Antônio a venda no varejo. O enredo da vida dele se confunde com a de outros “malucos véios sem nada”, como ele define os iletrados. Infância na roça, escola distante e descaso das autoridades e da família são o início da história, que se completa com a ineficiência dos programas estatais de ensino para jovens e adultos.

Bertold Brecht falava do “analfabeto político”, aquele alienado que não se interessava pelo assunto, ignorando o alerta de Platão: “A punição que os bons sofrem, quando se recusam a agir, é viver sob o governo dos maus”. Ou, na mesma linha, o alerta do historiador Arnold Toynbee: “O maior castigo para aqueles que não se interessam por política é que serão governados pelos que se interessam”.

Mas o Brasil, como vemos, está em estágio muito anterior ao do analfabetismo político. É um caso grave ainda de analfabetismo, ponto. E uma massa de analfabetos, de miseráveis, de ignorantes, é sempre um prato cheio para coronéis que abusam do voto de cabresto, que compram apoio em troca de uma dentadura, de uma esmola.

O PT, como sabemos, levou tal prática nefasta ao estado da arte, ao unificar sob o governo federal o Bolsa Família e mantê-lo como programa de governo em vez de estado. Agora, pode fazer terrorismo eleitoral, como vem fazendo, afirmando que se perder as eleições, os pobres e ignorantes correm o risco de perder os benefícios.

O sonho do PT é transformar o Brasil todo em uma Alagoinha. Que outro tipo de eleitor cai nas falácias toscas de que a autonomia do Banco Central tiraria a comida da mesa dos pobres? À medida que o eleitor tem mais educação, vota menos no PT. O partido adora a pobreza alheia, pois depende dele para viver.

Chávez conseguiu isso na Venezuela. É a garantia de manutenção do poder, enquanto o povo, cada vez mais miserável e ignorante, depende das esmolas estatais para viver e troca, “feliz” da vida, seu voto por uma dentadura ou trinta reais. Como fez Dilma com dona Nalva, usada pela campanha petista de forma abjeta. Para essa gente, vale tudo pelo poder!

Rodrigo Constantino

Exibições: 57

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Comentário de Romildo de Paula Leite em 26 setembro 2014 às 17:33

Como fez Dilma com dona Nalva, usada pela campanha petista de forma abjeta. Para essa gente, vale tudo pelo poder!

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço