Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Amanda Brasil e Priscila Gonçalves prestaram queixa uma contra a outra na polícia.

Reprodução/Instagram

Um barraco daqueles agitou a cena social desta terça-feira (13/12) em um dos endereços mais nobres da cidade. O episódio envolvendo duas estilistas começou com uma discussão, mas terminou em soco, tapa, arranhão e puxão de cabelo. Tudo se passou dentro de uma boutique no Gilberto Salomão.

Uma das versões foi publicada no Instagram da sócia de Priscila Gonçalves, envolvida na confusão. A partir do relato compartilhado por Carol Taurisano, é possível tirar uma temperatura do bafafá. O post acusa Amanda (a outra parte na briga) de ser uma plagiadora. E conta que ela teria pego algumas peças da marca concorrente sem pagar.

“Amanda mandou devolver as roupas que havia adquirido sem pagamento cinco meses após ter pego os produtos. Foi aí que a dona da Amanda Brasil agrediu física e psicologicamente a Priscila Gonçalves, enquanto esta apenas tentava solucionar o problema do inadimplento (sic)”.

A publicação de Carol Taurisano exibe fotos chocantes de Priscila, que nas imagens aparece com olho roxo e sangrando. “A Pri foi lá tentar conversar gentilmente com a cidadã e levou uma puta surra no meio da loja no Gilberto Salomão”, conta ainda. Em minutos, o post circulou nas redes sociais. A autora do relato, no entanto, apagou o depoimento pouco depois com medo de sofrer retaliações.

As duas prestaram queixa na polícia. Priscila registrou boletim de ocorrência na 1ª DP, na Asa Sul, acusando Amanda de agressão. E Amanda procurou a 10ª DP, no Lago Sul, dando a sua versão para os fatos.

Ao Metrópoles, Amanda contou como foi a confusão. Ela disse que há semanas tem sido procurada por Priscila e Carol. O motivo dos contatos, segundo a empresária, seria uma cobrança pelo “sucesso” da marca concorrente.

“Semana passada, recebi ligações da Carol Taurisano e da Priscila. Elas me desrespeitaram por telefone. Disseram que eu queria quebrar a loja delas, porque meu preço era menor”, afirmou Amanda.

A estilista disse também que Priscila foi sua funcionária no passado e que depois lançou marca própria: “Acho que tudo isso ocorreu por uma imaturidade, tudo porque eu disse que a loja delas não estava indo bem. Ela achava que ia levar todas as minhas clientes”.

O ápice das provocações terminou em luta corporal. Tudo isso no meio de um monte de clientes. Amanda relatou que Priscila foi até a loja dela e lhe abordou subitamente “com um tapa na cara”.

Segundo Amanda, Priscila já havia estado no lugar mais cedo e conversado com sua gerente, a Sandra. “Ela sempre frequentou minha loja, ia lá para bisbilhotar minhas peças, mas nunca tive problema com isso. Não tenho tempo para essas coisas.”

Amanda disse que depois de levar um bofetão, partiu para cima. “Aí, teve de tudo, tapa, puxão de cabelo, foi uma luta corporal mesmo.”

As duas versões serão juntadas e apuradas na delegacia do Lago Sul.

http://www.metropoles.com/pelas-cidades/lago-sul/estilistas-brigam-...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 2063

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Comentário de Romildo de Paula Leite em 22 dezembro 2016 às 16:35
Um barraco daqueles agitou a cena social em um dos endereços mais nobres da cidade.

© 2019   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço