Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

O Povo quer Plesbicito!!!!! Autor: Giuseppe Tropi Somma

O POVO QUER PLEBISCITO!

Quem faz o Brasil é você, amigo. Vamos tomar uma atitude? A má qualidade dos nossos políticos é conseqüência da nossa indiferença.

Queremos reformas políticas verdadeiras, feitas pelo povo, e não pelos próprios políticos. Desculpem a comparação, mas “normas para disciplinar o comportamento de presos na cadeia jamais  podem  ser feitas pelos próprios detentos”. Por isso nós QUEREMOS UM PLEBISCITO!

Você leitor, o que acha desta idéia? Se estiver de acordo, (é coisa rápida), adicione seu nome ao nosso movimento acessando este link:  http://www.mbejo.com/plebiscito 

e divulgue ao máximo possível de pessoas.

Só com nossas atitudes civilizadas faremos o Brasil dos nossos sonhos, para nós, nossos filhos e futuras gerações.

 

Um abraço fraterno a Todos.

 

Giuseppe Tropi Somma

(Sem medo de ser honesto)

(giuseppe@cavemac.com.br)

O Brasil tem tudo para ser o país dos nossos sonhos, só falta um governo condizente.

Precisamos começar uma faxina institucional, e isso pode acontecer em plena democracia, sem recorrermos a regimes totalitários, ilusórios e radicais. Podemos surpreender o mundo como sociedade moderna e civilizada.

Temos que criar coragem e deixar de vez os caminhos que todos sabemos serem extremamente vergonhosos! Devemos impedir que desonestos e incompetentes se aventurem na carreira política!

O caminho seguro e democrático existe. Basta fazer uma reforma política sem o envolvimento e a contaminação dos políticos. Isto é: político não pode fazer reformas para criar normas que disciplinam seus próprios atos. Tal reforma deve ser feita por meio de um plebiscito, pela própria sociedade. Cada cidadão, com seu voto, escrevendo o nome completo e o logradouro (ou outro dado) da  pessoa, indicaria um outro cidadão qualquer (sem militância política) que julgar cultural e eticamente a altura para compor uma comissão especial com a missão de elaborar uma reforma política eficiente, blindando o poder público contra corruptos, indesejáveis aventureiros e incompetentes. O modo de votar, onde o eleitor escreveria o nome completo e os dados do seu indicado, faz com que não haja votos de analfabetos, pois se tratando de uma comissão especial de pessoas cultas, o analfabeto logicamente não saberia avaliar os temas apresentados. Além disso, alguma indicação da pessoa seria necessária para diferencia-la em caso de incidência de homônimos. Os votos seriam nacionais, sem fronteira de estados ou municípios, pois se trata eleger uma comissão altamente competente para elaborar uma reforma, e não para uma representação política. Os primeiros 20 colocados, com bons antecedentes e sem militância política, iriam compor a comissão.

(O site MBEJO brevemente disponibilizará os números de adesões, jamais os nomes).

COSTURA PERFEITA 67

PONTO DE VISTA

Por Giuseppe  Tropi Somma

 

 

REFORMAS POLÍTICAS VERDADEIRAS!

Por isso o povo quer plebiscito!

 

Historicamente, os nossos políticos, ao elaborarem leis institucionais ou normais, se inspiram, como fieis seguidores, nos povos europeus, onde sempre soprou uma brisa da demagogia socialista e sempre foram pioneiros em implantar leis generosas, impulsionando o aumento de impostos e a elevação dos custos para o setor publico e privado. Será que nós brasileiros pretendemos continuar a viagem da nossa história ainda rebocados a esse perigoso e desastrado carro puxado por demagogos? Acho que está na hora de dizer “chega!”, pois esse caminho tem como destino o buraco negro em que os europeus já caíram. (Para quem não está familiarizado com a astronomia, o buraco negro é onde só se entra e não se sai.) E para não se auto-julgar de idiotas, chamam isso de “efeito China”. Com certeza, nos temos muitos motivos para desengatar o Brasil da velha Europa. O Brasil é diferente, é grande e é lindo. O problema é que a nossa grandeza não está somente nas coisas boas, ela está também nas coisas ruins. Temos um dos mais altos índices de violência do mundo. Temos uma democracia mais corrupta do mundo. Muitas riquezas inexploradas. Temos uma classe das mais laboriosas e criativas do mundo. Gente, por incrível que pareça, a nossa sociedade não é violenta. O que gera a bandidágem de rua que atualmente enfrentamos é a impunidade! Impunidade essa defendida por uma classe legislativa extremamente impura! O Legislador, ao fazer uma lei, não sabe se atacar o crime ou defender a si próprio como criminoso. Então se legisla em causa própria, dando aza a impunidade. E como conseqüência, temos uma parafernália de leis que só servem para atrapalharem a nossa vida, mas preservando a impunidade dos verdadeiros criminosos. Se houvesse um poder legislativo puro, ético; se houvesse um judicial não atrelado aos políticos, ético, certamente viveríamos um estado de direitos a altura da nossa grandeza, da nossa laboriosidade e inteligência. Nem precisamos falar do poder executivo, porque com o Legislativo e Judicial funcionando como deveria, o executivo caminharia num fio de navalha.

O Brasil tem tudo para ser o país dos nossos sonhos, só falta um governo condizente.

Precisamos começar uma faxina institucional, e isso pode acontecer em plena democracia, sem recorrermos a regimes totalitários, ilusórios e radicais. Podemos surpreender o mundo como sociedade moderna e civilizada.

Temos que criar coragem e deixar de vez os caminhos que todos sabemos serem extremamente vergonhosos! Devemos impedir que desonestos e incompetentes se aventurem na carreira política!

O caminho seguro e democrático existe. Basta fazer uma reforma política sem a contaminação dos políticos. Isto é: político não pode fazer reformas para criar normas que disciplinam seus próprios atos. Desculpem a comparação, mas “normas para disciplinar o comportamento de presos na cadeia jamais  podem  ser feitas pelos próprios detentos”.

Tal reforma deve ser feita por meio de um plebiscito, pela própria sociedade. Cada cidadão, com seu voto, escrevendo o nome completo e o logradouro da  pessoa (ou outro dado), indicaria um outro cidadão qualquer (sem militância política) que julgar cultural e eticamente a altura para compor uma comissão especial com a missão de elaborar uma reforma política eficiente, blindando o poder público contra corruptos, indesejáveis aventureiros e incompetentes. O modo de votar, onde o eleitor escreveria o nome completo e os dados do seu indicado, faz com que não haja votos de analfabetos, pois se tratando de uma comissão especial de pessoas cultas, o analfabeto logicamente não saberia avaliar os temas apresentados. Além disso, alguma indicação da pessoa seria necessária para diferenciá-la em caso de incidência de homônimos. Os votos seriam nacionais, sem fronteira de estados ou municípios, pois se trata eleger uma comissão altamente competente para elaborar uma reforma, e não para uma representação política. Os primeiros 20 colocados, com bons antecedentes e sem militância política, iriam compor a comissão.

Você leitor, o que acha desta idéia? Se estiver de acordo com o pedido de plebiscito, (é coisa rápida) adicione seu nome ao nosso movimento acessando este link:  http://www.mbejo.com/plebiscito para pedirmos um plebiscito. Só com nossas atitudes civilizadas mudaremos o Brasil.

 

*Reprodução liberada*

 

Cav. Giuseppe Tropi Somma

é empresário, membro da Abramaco

giuseppe@cavemac.com.br

 

Exibições: 152

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XI

Comentário de julio cesar de souza em 16 maio 2012 às 12:01

 GRANDE INICIATIVA! E PODEREMOS INICIAR O MOVIMENTO COM

 MUITA FORÇA NUM ENORME "BASTA" NAS  ELEIÇÕES DE 2012 

 VOTANDO NULO PARA EXPORMOS AO MUNDO QUE O POVO BRA-

 SILEIRO NÃO É CONIVENTE, NEM POR OMISSÃO, E QUE FOMOS 

 ENGANADOS POR ESSES "CONGRESSISTAS" O TEMPO TODO MAS 

 QUE É CHEGADA A HORA DA VIRADA POPULAR!!!!

Comentário de Romildo de Paula Leite em 15 maio 2012 às 11:24

        Estamos na luta para iniciar essa campanha.

  Abraços Romildo.

© 2018   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço