Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

O Que é Moda? - O Que Entendemos Por Moda?

Esse artigo foi escrito com o intuito de auxiliar àquelas pessoas que estão querendo entrar no ramo de moda ou que, estando nesse ramo, estão considerando mudar sua carreira para outro segmento.

. . . . . . . . . . . . 

Ao ouvir a palavra “Moda” no que você pensa?

Em carros, roupas, corte de cabelos, óculos, decoração, hotéis, ou você pensa em embalagens de produtos?

 

Moda é um termo que designa um estilo popular, especialmente em roupas, sapatos ou acessórios. Refere-se também às tendências do momento, no aspécto visual geral e no comportamento das pessoas: mastigar chicletes esteve na moda; usar jeans rasgado está na moda; passar mensagem de texto está na moda. Já parou para pensar que, dependendo de seu gosto e idade, nada disso pode “estar na moda” para você?


Quando ouço uma pessoa dizer "eu amo moda", me pergunto 

O que ela está realmente tentando expressar?


* Desenhando Moda  é quando você aperfeiçoa um novo produto, submete-o para aprovação e venda, cuja entrega ao mercado será realizada daqui há 1 ano.

* Moda é quando você acha aquela blusa de malha azulão super-diferente, que foi desenhada há 1 ano atrás.

* Fora de Moda é quando você acha uma blusa parecida com aquela azulão, mas de gola alta.

* Moda China é quando você acha uma blusa cinza, parecida com aquela azulão, bem baratinha, que fica torta depois de lavar uma vez!

 

MODA => vestuário

Desde os 1800 as pessoas queriam “seguir a moda” pois variações locais demonstravam sinal de serem de uma “cultura provincial”. Ainda hoje sentimos a grande influência das capitais da moda: Milão, Nova Iorque, Paris e Londres.  A rápida mudança no estilo de vestir deu-se, em grande parte, devido às aristocracias européias quererem distanciar-se e distinguir-se dos novos ricos burgueses e dos plebeus, que os estavam imitando.  Hoje em dia, a mudança no estilo de vestuário ocorre semanalmente!

 

MODA => comportamento

Se você quer combinar psicologia, sociologia e moda para estimular uma certa resposta, então a sua criação é “conceitual” e será parte do projeto desenvolvido em conjunto com outros profissionais. Você influenciará, por exemplo, pessoas de negócio a aceitarem que, o uso de “banners” nos sites populares, irá trazer reconhecimento à sua marca (behavioral targeting).

Você fará as mamães acreditarem que cobertor de bebê em camuflagem rosa com caveiras pretas é legal. Você vai delinear o que é “gata” e o que é “baranga”. Você vai introduzir novos ambientes sociais. Em termos de carreira, pense como e aonde essa especialidade irá trazer-lhe um rendimento.

 

A ARTE DO VESTIR => Designer ou Modista?

Uma pessoa criativa que é capaz de desenhar e entregar pronta uma roupa diferente, é uma modista.

Uma pessoa criativa e metódica, com profundo conhecimento de comportamento do mercado de seu segmento, de aplicações das fibras, de história e culturas, de modas e pessoas, capacitada a desenhar, moldar, montar, preparar projeto de produto, apresentá-lo para produção e distribuição é um verdadeiro Designer/Desenhista.

O Designer é alguém capaz de conceber novidades no vestuário para todas as idades, sexos e ocasiões. Suas imagens serão extendidas aos estilos de cabelo, maquilagem, acessórios, sapatos e bolsas, tanto de passeio quanto de viagem, estilo esportivas ou elegantes.

Alguns designers conseguem criar sozinhos toda uma família de produtos, decorativos ou de vestuário, incluindo acessórios complementares, ocupando-se assim o ano inteiro com novos ítens para as próximas estações.

Porém, marcas que vendem alto volume muitas vezes preferem empregar um time de desenhistas, cada um dedicado a uma especialidade. O desenhista de acessórios utiliza-se das cores e texturas das peças principais para produzir ítens complementares ao guarda-roupas: chapéus, pregadores de cabelo, relógios, bijouterias, meias, cintos, gravatas, lenços, bolsas, carteiras, perfumes.

Acessórios complementares da Designer Donna Karan (para quem não sabe, a marca DKNY)

Há também muitas marcas que produzem apenas certos ítens do vestuário, como bolsas, cintos e carteiras, ou bijouterias e adereços de cabelo.

Note-se que a Indústria Textil involve muito mais do que roupas.


OUTRAS APLICAÇÕES => Ambientes e Indústrias

Outras áreas que se beneficiam de um designer talentoso são as áreas de decoração dos interiores de casas, salas de espera, carros, navios, aviões, hotéis. Nesses ambientes o uso de fibra abrange tapetes, cortinas, almofadas, estofados e forração, toalhas de banho, praia, mesa, lençóis. Nada escapa o designer!

Até mesmo os mastros dos veleiros e as celas de cavalos periodicamente passam por um estudo e são redesenhadas.

O designer está por dentro das inovações de materiais e percepção de texturas. Ele segue a introdução de produtos eletrônicos nos mercados, as modificações em eletro-domésticos, as variações nas economias mundiais. Ele entende o que cada geração considera “confortável” e “curtição”.  

Além de antenado, o verdadeiro designer continuamente se refere às artes visuais, à vida dos animais,  das flores e plantas. Até mesmo a culinária local, a busca humana de prazeres físicos, e a sede espiritual que os seres humanos têm, se tornam fatores importantes na introdução de uma nova tendência.

Ao lado vemos um ambiente totalmente criado pelo Designer Robert Allen.

Ele desenhou cada um desses tecidos e os aplicou em poltronas, almofadas, tapete, e cortinas.

São seus os desenhos dos móveis e dos acessórios. 

. . . . . . . . . .  

Abaixo visualizamos uma amostra de coordenação (familias) de tecidos decorativos do Designer Robert Allen, em composições de algodão, poliester, misturas, rayon, dentre as mais de 570 disponíveis no momento.    

Além de tecidos e aviamentos, necessita-se ter conhecimentos de materiais plásticos, metálicos, peles animais, vidros, e derivados de madeira. Pergunte-se se esse é o caminho que você quer seguir.

 

ESCOLHA => Mercado de Modas do Vestuário

Se a pessoa que diz “eu amo moda” quiser seguir uma carreira no ramo, ela deveria ser mais específica consigo mesma, levando em consideração o lugar aonde ela pretende morar e onde exercerá sua profissão.

Exercício 1:
Pergunta: Você tem a oportunidade de trabalhar durante os próximos 5 anos, na sua própria cidade, desenhando sapatos masculinos para o público da idade de 35 a 50 anos de idade. Aceita?
Resposta: De jeito nenhum! Eu quero desenhar roupas femininas.
 
Pergunta: Temos uma vaga de modista para desenhar roupas para o público feminino na faixa etária de 20 a 35 anos, em Teresina. Aceita?
Resposta: De jeito nenhum! Primeiro que não quero mudar para o meio do Nordeste, segundo porque eu quero desenhar roupas chiques.
 
Exercício 2:
Pergunta: Estamos precisando de alguém que possa gerenciar produção de famílias de roupas de bebe-menino, grades 0 a 18, em Nilópolis, Rio de Janeiro. Aceita?
Resposta: Não. Detesto gerenciamento de produção e jamais vou morar num subúrbio do Rio de Janeiro.

Pergunta: Há uma cadeia de lojas de vestuário feminino que está contratando pessoa para trabalhar no setor de compras na grande São Paulo, negociando produtos que serão adquiridos para estações futuras. Aceita?
Resposta: Não me incomodaria ter que fazer baldeação em São Paulo, mas não entendo nadinha de compras para lojas de vestuário feminino.

. . . . . . .

A quais dessas perguntas você teria respondido SIM? Esse exercício fez você refletir sobre o que “trabalhar com moda” significa prá você?

. . . . . . .

Escolha por Segmento

Superando os obstáculos geográficos, resta saber em que segmento você está considerando na sua seleção de carreira.

Aqui vai um bom exercício de eliminação: Visualize seu dia-a-dia em cada um desses segmentos e apague todes aqueles que você considera “fora de cogitação”. Essa lista incompleta foi compilada em função da dedicação de maquinário específico para malhas, tecidos leves, jeans, couros, ilhóses, etc.

Aqueles que sentem “a moda na alma” deveriam submeter essa lista a um processo de eliminação, para não perderem tempo confundindo possibilidade com realidade.

1) ROUPAS FEMININAS

  • Roupas íntimas: calcinha/sutiã; senhoras idosas, jovens, adolescentes, meninas; diárias, noturnas, sexy
  • Roupas de dormir: camisolas, baby-dolls, pijamas, roupões; roupas de uso diário em casa, sexy; senhoras idosas, mulheres jovens, adolescentes
  • Calças, Shortes, Casacos, Vlusas, Vestidos e Saias Jeans/sarja: idem
  • Calças, Shortes, Casacos, Blusas, Vestidos e Saias lycra/malha: idem
  • Calças, Shortes, Casacos, Blusas, Vestidos e Saias tecidos leves: idem
  • Festas de Gala e casamentos: inverno/verão; diúrnas, noturnas; clássicas, modernas, para senhoras idosas, mulheres jovens, adolescentes

2) ROUPAS MASCULINAS 

3) ROUPAS INFANTIS

Agora que você está seguindo essa linha de pensamento, repita a lista para as categorias acima, e faça o mesmo processo de eliminação.

Em seguida, faça o mesmo exercício para os segmentos de sapatos, tenis, bolsas, carteiras, bijouterias, relógios, óculos, cama e mesa, decoração de interiores, etc.

Com o que sobrou na sua lista, faça agora a próxima reflexão.

Escolha Geográfica

1) É possível estudar e obter experiência de trabalho na área de atuação que você escolheu dentro da cidade que você mora, ou em cidades próximas, aonde você aceitaria deslocar-se diaramente?

2) Você poderia mudar para outra cidade com o objetivo de estudar um curso específico e/ou ganhar experiência de trabalho na área escolhida?

3) Se este for seu caso, depois de concluir seus estudos e obter certa experiência na sua área de atuação, você vai querer voltar a residir na sua cidade?

4) Existe campo de trabalho na sua cidade para a carreira que você escolheu?

- - - - - -

Essas perguntas e suas respostas

irão determinar

se seus desejos poderão vir a

tornar-se realidade.

Exibições: 783

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Comentário de silvia borges em 3 abril 2012 às 11:09

Oi Nilzeth, Oi Fernanda,

Obrigada pelos elogios. Escrevi de coração, na esperança de que as pessoas que ficam cutucando umas às outras pudessem refletir sobre suas próprias expectativas. Não quero desencorajar ninguém muito pelo contrário. Me lembro que eu tinha 30 anos quando o meu (ex) marido disse que eu era muito velha pra voltar a estudar. Eu poderia ter ido caminhando para o New York Fashion Institute! - - - imagine - - -

Parece que se a gente não colocar uma frase inflamatória no post não geramos muito tráfego.Essa é uma boa observação pois me ajudará em outros veículos de comunicação.

Abraços a todos, SB

Comentário de Nilzeth Gusmão em 3 abril 2012 às 1:11

Eu já tinha visto fora daqui e gostado.  Parabéns Silvia Borges.

Comentário de silvia borges em 29 março 2012 às 20:55

:)

Comentário de Fernanda Freitas em 29 março 2012 às 19:30

Silvia Adorei o artigo está de Parabéns!

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço