Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Presidente do Sindiveste convida segmento têxtil do DF a se unir para driblar a crise

A presidente do Sindiveste-DF, Walquiria Aires, ao lado do Sebrae, IEL e Senai, convocou a mídia especializada em moda para fazer um apelo às marcas e empresas do segmento têxtil do Distrito Federal. Segundo ela, o mercado de moda brasiliense tem amargado um crescimento tímido e inexpressivo ao longo dos últimos anos e essa decrescente se deve à falta de união e especialização no setor.

Para a representante do sindicato do Sindicato das Indústrias do Vestuário do Distrito Federal, hoje vivemos um outro momento dentro da nossa economia e é essencial que as etiquetas que estão surgindo conheçam os produtos e serviços oferecidos pelas organizações ligadas ao setor. “Nós precisamos nos juntar e fazer com que esse grupo se fortaleça. Não tem formação de modelagem, de ficha técnica e graduação melhor do que a do Senai, tanto para um designer quanto para uma empresa do segmento de roupas profissionais. Na parte de capacitação empresarial, temos o Sebrae e o Iel, que são organizações que acumulam uma experiência de décadas no segmento. Os novos empresários precisam dessas ferramentas”, destaca.

Outro ponto enfatizado por Walquiria é referente aos uniformes, segmento muito forte por aqui, mas pouco aproveitado pela nossa indústria. Para se ter uma ideia, no DF, compra-se milhões de roupas profissionais todos os anos, mas nem 1% disso é feito pelas empresas locais. “Fortalecer as empresas de Brasília para que elas possam disputar esse mercado é uma das nossas maiores prioridades hoje. No fim do mês passado, tivemos uma licitação de 38 mil camisetas e um trabalho feito em conjunto com Senai, Sebrae, Iel e Sindiveste possibilitou que que uma empresa de Brasília ganhasse a concorrência desse serviço. Se não fosse o trabalho dessas organizações, isso teria ficado com uma empresa de fora”, conta.

O sindicato observou, em estudos feitos nos últimos anos, que até a década de 1990 o setor têxtil cresceu de uma forma exponencial no DF, vide marcas como Avanzzo, 2 Tempos, Summer Shop e Jukaf, mas, desse período para cá, poucas marcas vinham conseguindo sucesso, algo que começou a mudar nos últimos três anos. “Temos acompanhado um aumento no surgimento de novas marcas no DF e queremos trazer esses jovens criadores a para se aperfeiçoarem e se profissionalizarem com as ferramentas que nós disponibilizamos”.

Uma das novas iniciativas do Sindiveste é a criação de um comitê do vestuário e da moda do DF. “Tivemos nossa primeira reunião no dia 1º de junho. Contamos com todas as entidades que estão envolvidas de alguma forma com esse setor, como Faap, Iesb, os principais sites e blogs e o Senac Moda, que está chegando em Brasília, para pensarmos em um planejamento estratégico para esse setor”, adianta.

Além disso, a sétima edição do Inova Moda, um caderno de tendências que traz soluções e sugestões para o setor, foi lançado no último dia 29 de maio. “Um material como esse não tem preço. É fruto de muita pesquisa e ensaios. Não basta eu colocar um produto na mão do designer. Eu tenho que ter uma equipe, como a do Senai, que no dia a dia vai destrinchar toda esta informação para o confeccionista local. Eu percebo muitas marcas chegando ao mercado, mas a minha preocupação é que elas não tenham instrumentos e informação. O jovem empresário chega animado no mercado, faz o produto, mas não o vê sendo aceito pelo consumidor. O que era um sonho se transforma em uma frustração”, afirma.

Para finalizar, Walquiria chama a atenção para os e-commerces que se multiplicam pela cidade sem preparo ou estudo de mercado. “Hoje vemos uma série de e-commerces surgindo o DF, mas o resultado é pífio, é zero. Temos vários relatos de empresas que não conseguiram sucesso com essa ferramenta, então o Iel está desenvolvendo um trabalho voltado diretamente às vendas online, chamado Procomp. As pessoas acham que qualquer um pode abrir uma loja online, mas sem o conhecimento de mercado não vai para frente. A ideia do sindicato é, depois de conhecermos todas as ferramentas de e-commerce, a gente montar uma plataforma de produtos feitos em Brasília. As marcas, tanto comerciais quanto profissionais, precisam vender os seus produtos e esse é o nosso foco. Possibilitar e fomentar essas vendas. A partir do momento que eu vendo meu produto, eu tenho como investir em tecnologia e evoluir minha marca”.

Finíssimo faz série de matérias sobre profissionalização no segmento têxtil do DF a partir desta semana

Atendendo ao apelo da presidente do Sindiveste-DF, Walquiria Aires, o site Finíssimo realiza, a partir desta semana, uma série de entrevistas com representantes do Sebrae, do Senai e do Iel, visando informar as marcas, os designers e os leitores sobre os produtos e serviços oferecidos pelas organizações.

Intitulado “Unidos cresceremos!”, o conjunto de textos abordará as principais iniciativas das instituições fomentadoras e tirará dúvidas a respeito dos cursos, publicações, workshops, palestras e consultorias prestadas pelos braços do Sistema Fibra. Fique de olho!

http://finissimo.com.br/2017/06/19/presidente-do-sindiveste-convida...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 47

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço