Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Sonegação de impostos deve passar de R$ 500 bilhões em 2014 Maioria dos devedores tem alta renda ou é grande empresa

Sonegação de impostos deve passar de R$ 500 bilhões em 2014 Maioria dos devedores tem alta renda ou é grande empresa

Rodolfo Costa - Correio Braziliense

Mais de R$ 500 bilhões em impostos devem ser sonegados até o fim do ano. O valor é 20,45% superior aos tributos não pagos em 2013, conforme estimativa do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz). Nesta semana, o seu Sonegômetro atingirá a marca de R$ 400 bilhões, mais do dobro do Produto Interno Bruto (PIB) do Distrito Federal, que foi de R$ 164 bilhões em 2011, registrado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O elevado valor deve-se, segundo o Sinprofaz à complexidade do sistema tributário e às brechas aos grandes sonegadores. O presidente do sindicato, Heráclio Carmargo, calcula que 80% dos impostos devidos e não pagos vêm de milhares de devedores de alta renda e grandes empresas. "São pessoas físicas e jurídicas que têm mecanismos para burlar o pagamento, como a lavagem de dinheiro. O resto é dividido entre milhões de contribuintes que, eventualmente, não cumprem toda a legislação", explicou.

Na opinião de Camargo, o governo se acostumou com a sonegação ao longo dos anos. Mesmo sabendo que ela vai ocorrer, o Fisco conta com a tributação embutida na folha de pagamento, nas contribuições sociais e no consumo de bens e serviços. "É lamentável porque onera muito a classe média", reclamou. Ele cobra a estruturação da carreira de procurador da Fazenda Nacional e a criação de uma carreira de apoio, além do preenchimento de 300 cargos. "Cada R$ 1 investido na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) representa R$ 21 retornados aos cofres públicos só na cobrança judicial da dívida ativa na União", ilustrou.

O Sinprofaz agendou para hoje manifestação em frente ao Congresso, dentro de uma campanha de conscientização da sociedade. "Queremos que a opinião pública exija das autoridades e dos candidatos à Presidência, nas redes sociais e nos debates, uma simplificação do sistema tributário e o fortalecimento das cobranças", acrescentou Camargo. "Atualmente, 49% da renda de quem ganha até dois salários mínimos vai para o pagamento de impostos e taxas. É uma realidade que o país precisa mudar", finalizou.

Reforma
Inverter a excessiva incidência de impostos sobre bens e serviços, repassando a carga tributária a patrimônios e capital financeiro é uma das medidas defendidas por especialistas para combater a sonegação. "Vivemos um modelo regressivo que incide sobre a classe mais baixa. A pessoa desprotegida economicamente acaba pagando mais caro. O ideal seria tributar mais a renda, lucros e patrimônio das pessoas e empresas com rendimentos mais elevados", avaliou o presidente da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febravite), Roberto Kupski.

Sobre o preço da gasolina pago por pobres ou ricos incidem 53,03% em tributos, exemplifica o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT). O presidente da entidade, João Eloi Olenike, cobra vontade política dos governantes para que seja feita uma reforma tributária. "O Estado se acha no direito de não mudar os tributos porque teme perder receita", protestou.

Exibições: 98

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Comentário de petrúcio josé rodrigues em 23 outubro 2014 às 12:07

ALEXANDRE NOVAKOSKI,

PERFEITO O RACIOCINIO. PERFEITA  COLOCAÇÃO.

A DEZ ANOS ATRAZ EM PESQUISA, REALIZADA  COM  TODO MATERIAL (PRODUTO INTERNO BRUTO DE SÃO PAULO NÃO DECLARADO), PODERIA SE COMPARAR AO QUE GERA TRÊS ESTADOS PEQUENO DA FEDERAÇÃO.

NA NOSSA QUERIDA E AMADA SAMPA, NO BRÁZ UMA NOTA FISCAL VIAJA ATÉ 5 VEZES EM UM DIA TRAFEGANDO COM O MESMO PRODUTO. QUANDO (PIS, COFINS, IRPJ, IR, ICMS, E OUTROS FICAM ESCONDIDOS, IGUAIS AO LULA LÁ.)

É VERGONHOSO COMPANHEIRO.

DEVEMOS TAMBÉM LEMBRAR QUE ESSES FACINORAS (DELINQUENTES) ESTÃO SEMPRE LIGADOS A GRANDE POLÍTICOS E ASSOCIAÇÕES POLITICAS, ASSIM SE EQUIPARAM COM OS TRAFICANTES QUE NÃO SABEM O QUE É TRIBUTO.

Comentário de Antonio Silverio Paculdino Ferre em 23 outubro 2014 às 10:17

Vou repetir a frase de Cleveland(ex presidente dos EEUU):"Quando o sustento do cidadão é prejudicado por impostos abusivos, acima do estritamente necessário, essas tributações se transformam em uma impiedosa extorsão e em uma violação dos princípios fundamentais de um governo livre", Somos extorquidos porque não temos retorno sobre o que pagamos. Para pagar em duplicidade tudo o que precisamos, torna-se necessário ter outra receita que acaba vindo da sonegação. Nada adiantará os auditores aumentarem o número de fiscais e nem o seus salários. Fica precendo corporativismo.

Comentário de Alexandre Novakoski em 22 outubro 2014 às 21:13

Enquanto continuarmos achando que somente os políticos são os culpados pelos problemas do Brasil,  o Brasil nunca será gigante. Somente quando todos pagarem os impostos que cabe a cada um, podemos exigir que o Brasil seja um país sem corrupção.

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço