Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Fonte:|hannakramolisck.wordpress.com|
By hannakramolisck

O wear é que define as ocasiões de uso do público alvo.

Para atender as necessidades de uso das pessoas as empresas tem se aprofundado cada vez mais nas especificações dos wears. A origem do wear está no casual, sportswear e habilé. Como ponto de partida, estes wears ganharam novos adjetivos, qualificando-os para cada específica de uso da roupa pelo indivíduo.


STREET WEAR

O streetwear são roupas de rua usadas no cotidiano do indivíduo nas cidades com influências nas tribos urbanas ( grupos urbanos), também sofrem influências das roupas esportivas. Este segmento veio dos jovens que não queriam seguir as carreiras dos pais e saíram para as ruas á procura de emprego e de uma identidade e independência também expressas no modo de se vestir.

Tudo começou com a revolução industrial e o aparecimento das primeiras cidades urbanas onde a confecção industrial em massa democratizou a moda.

No século xx as ciências da natureza tecnológica, relações internacionais, a política e o comércio sofreram uma rápida evolução. Também as estruturas sociais e a arte, em todas as suas diversas formas e correntes, sofreram fortes modificações. E a moda passou por várias revoluções nesta época. O rock and roll, o cinema e a televisão tiveram importante papel no modo de se vestir dos jovens nos anos 50. E a juventude tornara-se um fator de mercado importante que já não poderia ser ignorado. Presley e James Dean e Marlon Brandon, ídolos da juventude dos anos 50, são fenômenos característicos da tendência de prolongamento da adolescência, que teve o início justamente nesta época, como Peter Pan não queriam ser adultos, o que significa que já não se contentavam com a vida repartida entre trabalho e família da geração dos seus pais. Iam contra os valores baseados na acumulação de dinheiro e no supostamente correto, bem como a banalidade e o tédio do mundo pequeno – burquês. A infantilização da sociedade ocidental tem origem nos anos 50 e nos protestos dos jovens rebeldes e trouxe suas modas igualmente rebeldes. O streetwear é um segmento de mercado de moda que produz roupas.

As jovens burgueses, contrapunham um estilo mais opulento do que o de seus pais e ás privações dos anos de guerra. Inspirados no estilo da moda masculina do tempo de Eduardo VII da Inglaterra, usavam calças justas, casacas, ou casaco cintado com punhos e lapela de veludo, completando se possível, relógios de bolso e alfinetes de gravata com brilhante.

Em Londres no início dos anos 50, começaram a aparecer os Teddy Boys. Eram jovens do meio operário, que passavam seus tempos livres nas ruas juntando-se em gangs. Usavam casacos muito grandes e em tons escuros, com uma fila de botões e ombros exageradamente largos, calças largas, mais justas em baixo e que formavam pregas á volta do tornozelo. Começaram também a usar calças jeans justas. Para completar, usavam camisa engomada, colete e uma gravata muito fina ou um laço. Os sapatos tinham sola grossa de borracha, mais tarde os Teddy Boys começaram a usar sapatos extremamente bicudos. Este look encaixava perfeitamente com o penteado, um enorme topete fixado com a ajuda de muita brilhantina. No final dos anos 50 os teddy boys foram desaparecendo suplantados pela cultura pop, que começara a se formar


O jeans e o american Way of life

Nos anos 30 na América as calças jeans deixaram de ser usadas apenas para ocasiões de trabalho e começaram a ser usadas em ocasião de lazer. Nos anos 50 começaram a ser exportadas para a Europa e representavam um ideal de vida americana, e se impuseram principalmente devido ao significado simbólico que tinham de liberdade e protesto contra a burguesia. Além disso eram práticas e robustas. Hoje em dia, passaram a ser usadas em qualquer ocasião, fazendo parte do guarda roupa básico da maioria das pessoas, e perderam quase por completo seu potencial de rebeldia, a não ser quando são rasgadas.



Juventude como ideal da sociedade

Nos anos 60 na Europa a geração pós guerra estava a ficar adulta mas o ideal de beleza era a juventude, que havia atingido os domínios da sociedade e da moda. Tinha-se formado uma forte e poderosa camada de consumidores juvenis, que não dispunham de dinheiro para consumir produtos de alta costura.

Desta forma a moda perdia o seu caráter elitista tornando-se um fenômeno de Massa e da juventude para atender este mercado . Em finais da década de 50 a Moda é usada também para manifestar pontos de vista políticos.

A geração de 60, deixara de se definir segundo valores burgueses, como a moral e a boa educação, pondo a nu a ambiguidade desses termos. A sexualidade pela primeira vez era livre. A pílula fez sumir o medo da gravidez indesejada, o que possibilitava uma sexualidade independente do preconceito burguês. Quem quisesse ser descolado tinha que ser sexualmente libertino.

A mulher-menina com seus olhos grandes e ingênuos à observar o mundo com seu corpo sem curvas, ocupava o lugar da senhora elegante que outrora era o ideal de beleza. Twiggy tornou-se a primeira top model, ela era o ícone da beleza.

O cinema e a televisão

A televisão ao longo dos anos 60 ia-se tornando em fator decisivo da ocupação dos tempos livres, globalizando e os estilos de vidas. Também no que diz respeito à moda a televisão começou a ditar tendências. As serie policial inglesa os vingadores, Patrick Macnee e Diana Rigg era uma verdadeira ditadora de tendências fetichistas. O guarda roupa da serie era cheio de roupas de couro, influenciou estilistas da década seguinte como Gianni Versace ou Vivienne Westwood que fizeram com que a moda fetichista passasse a ser usada no dia-a-dia em ocasiões sociais.

No cinema Audrey Hepbum, Brigitte Bardot, Jeanne Moreau, Catherine Deneuve e Sophia Loren, eram referencias de beleza, marcando decisivamente a imagem dos anos 60. Mas alem das estrelas de cinema, também avia manequins como twiggy, foi nessa época que as modelos juntamente com os fotógrafos começaram a assumir o papel de verdadeira super Star.

Os jornais e as revistas também contribuíram tanto quanto a televisão nas tendências na moda através de personalidades como Jacqueline Kennedy, que se tornaram modelos um determinado modo de vestir. “Jackie” era considerada uma das mulheres mais elegantes do seu tempo. Gostavam muito de usar tailleurs com casacos direitos e curtos, vestidos de linhas direitas e fatos de calça e casaco de cores claras, sobre tudo cor-de-rosa, ela também andava sempre de chapéu e luvas. O chapéu pillbox, um chapelinho redondo e sem aba, tornou-se popular devido a ela.

Exibições: 89

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço