Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Sua loja leva os consumidores para a boca do caixa. E daí?

O cliente está na loja. Parece uma vitória, mas na verdade isso é só o começo de um novo desafio: como transformar tráfego ocasional em conversão recorrente?

https://static.portalnovarejo.com.br/wp-content/uploads/2018/10/Money2020_leva-cliente-caixa-300x206.jpg 300w" sizes="(max-width: 615px) 100vw, 615px" />

Crédito: Jacques Meir

Muito dinheiro, tempo e esforço são investidos para permitir que varejistas tradicionais possam incrementar formatos de e-commerce em um mundo centrado no comércio omnicanal. Seja nos tradicionais marketplaces on-line como a Amazon ou nas operações de estrelas do varejo físico como a Macy’s, com novas investidas em canais digitais, é possível perceber um esforço concentrado em levar os clientes para a boca do caixa nos lojas, incluindo opções de oferta desenhadas especialmente para as lojas físicas, como o modelo Amazon Go.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Esse novo vigor demonstrado em favor do consumo em lojas físicas foi objeto da conversa entre Jordan McKee, diretor de pesquisa da 451 Research e Michael Léger, Vice-Presidente de Inovação da Ingenico no Money 20/20. Os executivos falaram sobre as boas razões que levaram a repensar a jornada doo cliente nas lojas físicas, entre os quais a busca pelo aumento do ticket médio e da conversão de vendas. Claro que levar consumidores a entrar nas lojas já é um desafio fenomenal. Mas elevar a experiência do cliente igualando a oferta on-line é outro problema. O painel “Sua loja leva os consumidores para a boca do caixa. E daí?” Discutiu esse contexto, mostrando quais narrativas e negócios devem capitalizar – e de que forma fazem isso – o tráfego de consumidores nas lojas físicas.

O número de lojas fechadas nos EUA trouxe para a discussão uma ideia de “apocalipse do varejo”, com quedas espetaculares, da Toys”R” us e agora a concordata da Sears. O fato é que as lojas físicas precisam evoluir para recuperar sua relevância. Essa é a ideia Michael Léger, da Ingenico. Em sua opinião, por onde quer que se vá, os consumidores gostam de comprar e visitar lojas. Mas elas precisam sair da inércia, e os consumidores precisam de novos estímulos para visitar as lojas.

“O que os varejistas que estão se saindo bem nesse momento de mudança, somente criar experiências e oferecer alternativas de clique e retire não é suficiente. É necessário digitalizar o processo e conectar diversas áreas para assegurar uma visão melhor do negócio. É necessário ampliar o número de experiências de cross sell, ampliar a quantidade de possibilidades que caiam no gosto dos clientes”, afirma o executivo da Ingenico.

O contexto é extremamente importante e deve incutir nas lojas o senso de imediatismo – como vimos no estudo da Euromonitor – já é bastante latente. O cliente não pode ter sua expectativa frustrado por falta de produtos ou incapacidade de fornecer o que ele deseja. A experiência do cliente exige que as empresas pensem em formatos cross channel e omnichannel, que ganhem eficiência não apenas no controle dos processos, mas sobretudo na capacidade de converter vendas no fim do dia.

Um conceito provocador resultante da discussão é que todo pagamento é sempre local. Não existe um padrão global de pagamentos. As diferenças de regulação, de padrão monetário impedem que o pagamento seja sustentado em plataformas estritamente globais. Ainda assim, a tecnologia permite que dados, sortimento, experiência possam sim ser globais, e criar um buzz em torno de lojas que consigam oferecer experiencia superior em diferentes localidades.

Jordan observa a dificuldade de redefinir a proposta de valor das lojas para os clientes. Segundo Michael, a essência dessa redefinição passa pelos dados. A todo momento, o varejista deve olhar para os dados e entender como manter a conversão elevada durante o dia todo. Trazer o poder do Analytics para a operação e para a compreensão das expectativas dos clientes é decisivo para o varejista. Nesse sentido, as empresas de meios de pagamento podem ser parceiras valiosas dos varejistas, já que podem oferecer inteligência e dados estruturados de grande valor para mostrar, radiografar o que acontece de fato no cotidiano das lojas. Mas por que os varejistas insistem em olhar apenas para as taxas e esquecem ou ignoram o que os dados podem mostrar sobre o andamento das vendas?

Encarar a loja como extensão digital do negócio é fundamental. Michael afirma que não há como uma experiência ser bem-sucedida na loja física com uma fila de 10 minutos na boca do caixa. Digitalizar o negócio significa tornar cada etapa da jornada do cliente fluida e simples como nos melhores sites de comércio eletrônico. Novamente, ter o consumidor na loja exige uma nova ideia de como essa ocorrência pode trazer mais vendas e mais satisfação. Isso inclui sistemas de Realidade Virtual e Aumentada, provadores conectados e outras tecnologias? Sim, mas o conceito da loja e o que ela se propõe a contar é o que importa, no entender de Michael.

Todo varejista deve se perguntar: “o que leva consumidores para minha loja e o que o levará a voltar para ela?” Mas até que ponto os varejistas estão dispostos a encarar essa pergunta e suas respostas? Mas vale a pena olhar com atenção para a experiência da Amazon Go, ambiente de loja que trouxe para a realidade uma promessa de interação e jornada que até há pouco tempo eram consideradas exageradas. Mas a tecnologia e disposição da Amazon provaram que é possível e que funciona.

Lojas podem ser parte relevante da paisagem do varejo no futuro próximo, mas para isso precisam de inovação, ideias, experimentação, tecnologia e trabalho. Até que ponto o varejista pode acreditar que apenas ofertas encavaladas diariamente serão capazes de gerar tráfego e vontade do cliente estar nas lojas?

Por: Jacques Meir

https://portalnovarejo.com.br/2018/10/sua-loja-leva-os-consumidores...

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 22

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço