Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

É  um episódio isolado, mas relato. Um taxista torneiro mecânico aposentado, conversando sobre a falta  de mão de obra qualificada, perguntado sobre  a formação  no SENAI , afirmou que os  "torneiros mecânicos  "  lá formados mal sabem ligar  as máquinas. Tive um relato de um grande empresa  tendo que "importar" torneiros mecânicos  senior  do Chile. Como a  industria têxtil tradicional raramente tem necessidade  de contratar sequer um engenheiro, a educação têxtil, sua "qualidade" não chega a afetar o desempenho  ao ponto de gerar controvérsias. Nós técnicos têxteis conseguimos tocar essa industria com quase total dependência de outros centros mais sofisticados, geradores de tecnologia. Em breve estaremos importando até  balde. Estará o CNI conversando com o resto do governo? Estará o governo totalmente perdido?

A natureza da inovação,  buscando  agregar  valor a produtos têxteis e  à materiais fibrosos em geral (  como para fabricação de compósitos) , é  consensual quanto a estratégia para enfrentar  a concorrência  Chinesa. Os  Chineses tem vantagens  bem conhecidas, entre elas contar com cérebros para dar suporte ao setor de filamentos,e  à toda cadeia  têxtil.   Apenas uma  Escola ,   a " School of Textile and  Clothing " , tem 1700 alunos matriculados.

Teaching


There are three departments within the School, including Textile Engineering, Textile Chemical Engineering and Clothing Design and Engineering. The School has set up 5 main laboratories for teaching, covering textile engineering, textile chemical engineering, clothing design and engineering and textile materials. The School have been seeking the new strategy for providing professionally and administratively orientated courses to ensure that graduates are highly successful specialists with broadened knowledge and well trained skills in textile engineering, textile chemistry and clothing engineering, which meet the needs of talents for China's economic development under globalization. At present, the total number of full time students has reached 1700, including 1500 undergraduates, and 200 postgraduates studying for master's degrees and doctoral degrees  (http://www.jiangnan.edu.cn/english/schools/stc.html ).  Nos Estados Unidos conta-se uma centena  de  escolas  têxteis  em materiais fibrosos e uma destacada produção  de pesquisa e inovação.

Vejam , apenas uma  escola,  com 200 alunos de pós graduação na área  têxtil! Aqui este número é  zero!!!

O material  abaixo  foi copiado do trabalho  do  CGEE , da  análise  setorial  para têxteis (  que é parte do "guarda-chuva"  "materiais fibrosos" . Em negrito o direcionamento feito por uma  equipe que envolveu empresários,  a  ABIT, Centros de  Excelência , onde destacou-se o CETIQT, cientistas. representantes  de órgãos do Governo, agências de financiamento,bem, como representantes da  sociedade  civil. A  área de uniformes profissionais foi  escolhida, privilegiada, por "puxar" tecnologias emergentes. Contudo, pouco foi feito até agora.

 

Até hoje o Brasil não  tem uma única extrusora para produzir filamentos em escala piloto!  E o processo de compra está  andando bem lentamente ou já parou. Como  fiquei  afastado do processo da extrusora  ( especificação e  compra) não tenho detalhes  do que  foi  acertad, e  em que pé está  esta instalação. Quarta industria têxtil do mundo!!!

MATERIAL DO RELATÓRIO FINAL DO CGEE

Controle das propriedades das fibras

 

 

A inovação a montante da cadeia é uma poderosa fonte de novos produtos,

processos e aplicações. As prioridades selecionadas daquelas identificadas

pela EURATEX são:

 

• Novas fibras para criar produtos inovadores para a saúde e segurança

do homem;

 

• Novas fibras que propiciem a fabricação de produtos inovadores

saudáveis com características de conforto, segurança e bem-estar;

 

• Compósitos mais fortes, melhores e mais eficientes;

 

• Aumento da sustentabilidade de fibras e compósitos com redução

dos impactos no ambiente relacionados ao seu uso e à sua produção;

 

• Fibras como materiais que capacitem a fabricação utilizando micro

e nanotecnologias;

 

• Modificação superficial de fibras para melhorar a manufatura de

têxteis e de compósitos;

 

• Fibras para novos produtos têxteis com propriedades que facilitem

o seu cuidado (limpeza, lavagem etc.);

 

• Fibras como meio para mecanismos inovadores de transferência e

transporte (por exemplo: gradual liberação de medicamentos);

 

• Aperfeiçoamento de métodos de fabricação de fibras, não-tecidos

e compósitos fibrosos;

 

• Novas fibras têxteis baseadas na fermentação e em outros processos

biológicos que se distanciam dos produtos baseados no

refino de petróleo;

Materiais biológicos com propriedades biomédicas controláveis e tailor-made pela manipulação de suas estruturas química ou física

;

• Biocompósitos para reforço de fibras e biorresinas como materiais

completamente biodegradáveis

 

Desenvolvimento de insumos e processos para

tecidos funcionais

 

A funcionalização de têxteis ocorre por intermédio da modificação de

superfícies de fibras, fios, tecidos e outras estruturas fibrosas, ou a partir

da combinação de materiais. Em muitos casos, a funcionalização torna

os tecidos aptos para novas aplicações como para fabricar roupas usadas

por médicos e atletas, ou roupas de proteção, bem como têxteis automotivos,

para a construção e indústrias. As linhas são:

 

• Métodos de design para aumento de flexibilidade e de eficiência

em materiais e desenvolvimento de produtos;

 

• Novas funcionalidades para materiais de alto desempenho e baixo

custo;

 

• Processos verdes para aumento da funcionalização;

 

• Materiais que alteram suas propriedades de acordo com impulsos

ou com as condições do ambiente;

 

• Processos de funcionalização mais versáteis, flexíveis e apropriados

à produção de pequenas séries;

 

• Produtos auxiliares de base biológica em aplicações BAT (Best Available

Techniques) e técnicas emergentes que minimizem o impacto

ambiental dos processos têxteis;

 

• Bioprocessos que aperfeiçoem aplicações tecnológicas de novas fibras,

e processos sustentáveis que adotem o princípio da produção

mais limpa;

 

• Outros materiais com propriedades desenvolvidas para biomedicinais,

têxteis e aplicações técnicas

 

Abaixo  temos  um resumo de dados  ( veja  artigo completo em blogs de interesse  geral ) sobre  como  somos pobres , e sobre como até regredimos em inovação

   "  O levantamento ainda indica que o peso das importações no PIB brasileiro é o menor do mundo. Em 2010, as importações representavam apenas 12% do PIB, o menor índice entre 141 países avaliados. O Brasil também tem uma baixa taxa de pesquisas publicadas em revistas científicas em comparação a seu PIB. O Brasil tem uma produção menor que Fiji, Irã ou Zimbábue, levando em conta o tamanho das economias. Exportação. Com pauta de exportação mais avançada. Tunísia, Indonésia e Casaquistão estão em melhor posição. Outra constatação é de que empresas raramente contribuem com a inovação no Brasil, com menos de 5% das patentes registradas. Hoje, 24% das patentes são registradas por universidades

apenas 14% de suas exportações com valor agregado de alta tecnologia, o Brasil ocupa a 49.ª posição entre os países com uma

Exibições: 528

Responder esta

Respostas a este tópico

Este é o retrato da nossa sociedade.

Somos movidos pelo consumo, não pela produção.

É difícil mudar porque é cultural.

Assim está toda área educacional no país. E os professores, que nada professam, de greve.

Olá Edison

A realidade do setor têxtil no Brasil é realmente triste... Os números mostram claramente este fato... Mas existem algumas iniciativas isoladas que talvez viabilizem alternativas de melhoria e evolução... Algumas empresas do setor têxtil no Brasil já produzem podutos com tecnologias de ponta, mas realmente são poucas e atendem somente pequenos nichos de mercado.  Estamos atrasados mesmo!!

Eu atualmente estou fazendo um mestrado na área têxtil, já fiz minha qualificação e antes do final deste ano pretendo entregar a dissertação final. O tema que escolhi está relacionado a tecidos técnicos (compósitos PES/PVC para uso em estruturas tensionadas). A USP leste (EACH) iniciou em 2011 este mestrado; alguns alunos estão desenvolvendo trabalhos de pesquisa na área de moda e outros na área de materiais têxteis (que é o meu caso). Espero desta forma conseguir contribuir na dissiminação do conhecimento dentro do setor têxtil e, num futuro próximo, na formação de novos profissionais .

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço