Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

2011: ESTE ANO NAO VAI SER IGUAL AQUELE QUE PASSOU!

 

Ah! Nesse Ano Novo, em  2011 vou tomar vergonha na cara: Vou perder pelo menos dez  kilos,
garanto. Mas perder peso não e a minha única meta. Dois mil e onze será um ano
de saúde: Cortarei o sal, as frituras o as chamadas fast foods, e baixarei o
meu colesterol. Também descobri que as comidas congeladas são cheias de preservativos
e ficarei com as coisas caseiras, cozidas, bastantes fibras e essas coisas que
velho pensa, para alongar a vida e descansar as ulceras. Também farei de tudo
para evitar perder os jogos do Fluminense e os do Peixe. Confesso quando o Pó
de Arroz e o Peixe perdem, sem a minha Onisciente Presença em frente da TV, e
eu me sinto culpado. No ano passado vi os jogos e o Flu se livrou do
rebaixamento e continuando a torcer neste ano, o FLU levou o caneco da Copa
Brasil. Exercitar-me-ei: A minha esteira já se tornou o mais caro cabide de
roupas jamais comprado por mim. Hidratar-me-ei: Beberei  quatro litros de água por dia, como prometi
ao compadre Andre Mello. Mas o diabo e que aqui anda muito frio. Anteontem deu
menos oito centigrados e não consigo beber água como devo. Alias não gosto de
inverno. Inverno e Tempo de Kaliuga, tempos de tribulação e humilhação. Aqui
estamos nos banheiros masculinos em TEMPOSS DE PINZA. Sim, das cestinhas com pinças
que se usam nos banheiros masculinos. O inverno é o Grande Nivelador: Do Japonês
ao Negão, todos usamos as pinças para fazer pipi.   A “coisa” some mesmo... Mas saindo do mictório
para as minhas resoluções de Ano Novo, disciplinar-me-ei nas minhas escritas: Depois
de publicado o PAPA BESOUROS, redes editora, Porto Alegre, vou me concentrar em
somente DEZ paginas diárias. Serão trezentas pagina escritas, com tranqüilidade,
lazer e sem varar madrugada adentro e ir para o trabalho como um Zumbi dos
Palmares. Controlar-me-ei nos assaltas a cozinha e não vou pedir mais a Dona
Silva para fazer kibe para mim. Confesso sou um Kiboholic: Amo kibe cru, assados
e fritos e não sei me controlar. Confesso escrevo isso, pensando nos kibes que estão
no micro-ondas. Kibe não comido é Tortura Chinesa. Se Confúcio não disse isso –
deveria ter-lo dito. Mas não é só o kibe: Adoro comer pasteis de rodoviária,
coxinhas,  pasteis de camarão e pimenta
de boteco, mas graças a Deus, felizmente para o meu projeto de comer mais saudável
em 2011, aqui não tem botecos de Pé Inchado, que, confesso amá-los. Muitas vezes
deixei de tomar o café da manha no Saint Germain ou Della Volpe (incluídos na diária)
para tomar um café com leite, no copo Americano, com pão e manteiga na padaria
no final da Augusta. Margarina, não é Kosher. Como diria um Rabino já meio alto
no vinho: “Margarina eh ‘drek.’” E chega de “Ti Ti Ti” e novelas da Globo. Com
elas entro em “involução” intelectual, não pratico exercício e é perda de
tempo. TEMPUS FUGIT: Afinal até nas melhores das CNTP, estou no terço final de
minha vida e preciso aplicar o tempo restante cuidadosa e acertadamente. (estou
comendo o kibe esse, mas como lhes disse, dieta é só para 2011). Também, ao me aproximar
fim da trilha, vem uma rabujinha de medo do “detrás da porta” e para o próximo ano,
voltarei devagarzinho, como um vira lata perdido, a entrar numa igrejinha ca,
numa lá, sabe, só para exercitar também uma parte de dentro, enfim, para me escorar
um pouquinho, cercando a milhar - e amarrar bem o “Jogo do Bicho” espiritual,
mas isso não é assunto publico, pois estas fraquezas embotam a minha imagem de “machão”
– e isso e feio. Também me concentrar-me-ei mais na compra e venda de ferro
velho, e focarei mais no Mercado do Brasil. Entre nos, nas lagostas de Canoa
Quebrada, na Padaria da Paulicéia, no Einsbein de Blumenau, no Tutu Mineiro com
torresmo e couve de Ouro Preto, nas moquecas de Vitoria e nas cucas de Porto
Alegre. Sim sei que falo de comida, mas ainda estou no 2010 e vamos trocar de
assunto. No ano que vem devo ler um livro por mês, mas lhes prometo, nada mais
de duendes, gnomos, cristais, fadas encantos e vampiros.  Isto não é coisa para Lobo Velho. E mais coisa
de coelho. Nesta vertente sou bem nacionalista e se nela entrasse, estaria firme
nos escritos do Zé Arigó, Chico Xavier e numa boa Pemba Bahiana. Nada de frescuras esdrúxulas para “Inglês ver”.
Finalmente para o ano 2011, me proponho a me perdoar e não me auto-flagelar se nenhuma
das metas acima for atingida.  E esta ressalva,
sempre me salvou, através das décadas...

UM FELIZ NATAL PARA VOCES. UM FELIZ ANO NOVO, com menos resoluções – e maiores determinações – do que eu. Semper Fidelis, Sam de Mattos.

Exibições: 108

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço