Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Conheça Trands, a grife dos realmente ricos e poderosos

Fonte:|online.wsj.com|

Sky Canaves e Susan Pulliam
The Wall Street Journal, de Dalian, China

O capitalista mais proeminente dos Estados Unidos pode não ter muita coisa em comum com o líder comunista chinês, mas Warren Buffett e Hu Jintao aparentemente têm o mesmo alfaiate.

Tremei, Brioni, porque os verdadeiramente ricos e poderosos vestem Trands.

A obscura grife de roupas masculinas é fabricada pela Dayang Group, fundada no nordeste da China por Li Guilian, uma agricultora baixinha de 63 anos que em 30 anos se transformou em magnata da moda.

A empresa de Li recebeu um grande impulso depois que Buffett, presidente da holding Berkshire Hathaway Inc., apareceu recentemente num vídeo promocional da Dayang divulgado no site da empresa. Ele encheu de elogios Li, sua empresa e os nove ternos da Trands que enverga orgulhosamente. A ação da Dalian Dayang Trands Co., subsidiária da Dayang listada em Xangai, subiu mais de 70% desde que o vídeo foi divulgado, em 10 de setembro.

Embora não seja conhecido como alguém antenado com a moda, Buffett diz que os ternos da Trands transformaram sua imagem. "São confortáveis e as pessoas elogiam o visual deles", diz Buffett, entrevistado esta semana pelo Wall Street Journal em seu escritório. "Levou 78 anos para elogiarem a minha aparência."

Buffett, que diz não ter nenhuma participação societária na Dayang, gosta especialmente do fato de que seus novos ternos não ficam amarrotados. Ele diz que doou os ternos antigos para instituições de caridade.

O vídeo foi produzido a pedido de Li para celebrar os 30 anos de sua empresa. Nele, Buffett diz que recomendou a marca a seu sócio na Berkshire Hathaway, Charlie Munger, e ao amigo Bill Gates, fundador da Microsoft Corp.

A Dayang não pode propagandear abertamente sua ligação com quem afirma ser outro cliente famoso da marca, o presidente da China, Hu Jintao. (A vida privada do presidente chinês está fora do alcance da mídia.) O diretor de comunicação da empresa, Zhi Yong, diz que Hu começou a usar os Trands no fim de 2005, depois de descobrir uma de suas lojas em Pequim. A agência central de informações do governo chinês não quis comentar.

A amizade entre Li e Buffett, embora aparente ser improvável, surgiu meio que por acaso, ou, como diz Li, graças ao "yuanfen", a crença chinesa na predestinação da química entre as pessoas. "Essa amizade entre nós foi de coração", diz Li, uma mulher diminuta com cabelos naturalmente ondulados que gosta de usar cores escuras, óculos de lentes âmbar e colar de pérolas.

Dois anos atrás, Buffett veio a Dalian para a inauguração de uma nova fábrica da Iscar Metalworking Cos, uma das aquisições recentes da Berkshire Hathaway. David Margalit, o diretor de marketing global da Dayang, é amigo de um sujeito que era executivo da Iscar. Percebendo a oportunidade, Margalit sugeriu que Buffett tirasse as medidas para um terno da Trands enquanto estava na cidade.

"Cinco minutos depois que eu cheguei ao quarto do hotel esses caras invadiram o quarto e rapidinho dois deles começaram a enrolar uma fita métrica na minha coxa. Pareceu um pouco íntimo demais para mim", diz Buffett. "Mas depois que mandaram (os ternos) não tive que mudar um centímetro."

Buffett admite que seu conhecimento de roupas masculinas não se compara à sua sagacidade nos investimentos. "Não sou muito de comprar roupas. Essas coisas não me interessam", diz. "Mas essa é a solução perfeita. Eu gosto desses ternos. E não é só porque foram de graça."

A história pessoal de Li, um conto de fadas chinês de ascensão social, tem um certo apelo para Buffett. Nascida numa família de camponeses, Li cresceu numa cabana de tijolos com gansos no quintal, no povoado de Yangshufang, a uma de hora de carro da cidade costeira de Dalian, na Província de Liaoning. Ela começou a labutar na lavoura aos 18 e rapidamente ascendeu na hierarquia dos produtores rurais, se tornando secretária do Partido Comunista numa brigada de produção de 2.000 pessoas.

Ela fundou a Dayang Group em 1979 como um empreendimento coletivo no povoado, com um empréstimo de 30.000 iuanes (US$ 3.394) e uma linha de produção com 85 pessoas e dezenas de máquinas de costura doadas pelos vizinhos. A fábrica começou produzindo coisas simples para camponeses como Li: toalhas de mesa, aventais e protetores para as mangas. Hoje ela tem mais de 15.000 funcionários e produz 10 milhões de peças por ano.

Exibições: 140

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço