Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

ENQUANTO A INDUSTRIA TEXTIL AFUNDA...

Agora são quatro da manha, lá fora -4 graus Celsius; e eu estou com esse pensamento na cabeça: A minha área é têxtil. As minhas atividades têxteis põem comida na minha mesa. Por eu falo e aponto o dedo em tantas diferentes áreas, não diretamente pertinentes a têxtil?

Essa pergunta ainda não foi feita, mas eu já me questionei sobre o tema. O que ocorre é que a indústria têxtil, e a indústria EM GERAL, são vitimas de um sistema de liderança corrupta e inepta. Eles são eleitos por divisões de cargos, pelo “mérito” de participação partidária (absurdo! Capitanias Hereditárias de novo), que permite impunidade geral: No contrabando de matéria prima, fios, tecidos e por ai vai.

Daí, a Indústria sofre com a desorganização do país, com falta de apoio financeiro, com os juros altíssimos e mais: Com a atitude hipócrita de um país aspirante a CAPITALISTA, mas que tem as suas verbas sociais (ate remédios e merenda escolar) desviadas.

Somos um país composto de gente que elege um TIRIRIKA da vida e de lideres corruptos, que uma vez mamado o dinheiro alocado para as obras sócias, eles jogam essa tarefa social do estado na esfera de responsabilidade da indústria: Em português simples, no lombo do industrial. Não vejo à hora triste de passarem uma lei estabelecendo que e responsabilidade da industrie e também  prover instalações sanitárias – e papel higiênico – nas casas dos empregados e inventarem um décimo quinto salário e mais dois meses de férias.  Então Sam, voce não se simpatiza com o trabalhador pequeno? Claro que sim. Mas que ele seja educado, produza muito e tenha um salário digno que o liberte das esmolas. Que ele tenha o seu dinheiro para comprar o que bem queira.

Todo esse “orgasmo pátrio”, obtido através da genitália do industrial, “no papel”, lendo-se as leis, parece lindo: Ah, Tiririka, Barbalho e Sarney e outros tantos se preocupam com os empregados e lutam por nos! Pura demagogia: Nossos lideres políticos, na maioria, desviam as verbas sociais e quebram a nossa indústria e o resultado esta aí: Estamos ficando desempregados. Essa é a realidade.

Dinheiro grosso não se faz no Brasil trabalhando e produzindo: Se faz na política, na “maracutaia”, no desvio de verba, nas falcatruas e nos negócios grandes, mamando dinheiro do povo (via, por exemplo, BNDES), com o “investidor” entrando quase que descapitalizado numa nova ventura mirabolesca, e em seguida tirando a sua grana fora, deixando com que os investidores da bolsa e o capital do povo se dane, ou mesmo vendendo depois essa indústria iniciada ao estrangeiro e com vastos lucros. Essa é a nossa historia. E isso é o que eu sempre alerto.

Ótimo Sam, bom preâmbulo: Mas o que tem isso a ver com a nossa indústria têxtil? TUDO. Somos, queiramos ou não, parte da indústria e parte de todos os problemas descritos acima e outros mais não tocados. Por exemplo: Por que a imprensa ainda não abriu o bico na verdadeira historiado cargueiro que afunda no Maranhão? Por não denunciam que o superfaturado cargueiro da VALEDO RIO DOCE / STX (Coréia) /EBX (Eike), feito nas coxas, com problemas estruturais que causou a rachadura do seu casco sua na viagem inaugural, É O PRIMEIRO DE OITO NAVIOS DESSE TIPO JÁ NEGOCIADO PELA VALE COM OS ESTALEIROS STX/  E ai Carlos Alberto? E ai D. Dilma?

E o parque de IPads a ser projetado NO Nordeste do Brasil, onde o Investidor Brasileiro entra com uma Merreca, o BNDS com quase 300% a mais e o parceiro chinês somente com o “beiço” e sua “propriedade intelectual” de segunda geração? A mais o lobby nessa área “come solto” em Brasília...

Investimentos do Governo, sem supervisão e corregedoria... Lembram-se dos investimentos do Governo na Indústria via a SUDAN e SUDENE... Para onde foi o dinheiro? Hoje de novo me ameaçaram via telefone, minha esposa pede, por favor, que eu não me meta nisso, nesses “fandangos e bochichos” políticos, me metendo com essa gentalha e “futricando o capeta de vara curta”. Em teoria ela esta certa: A maioria de voces nem interesse têm em se informar sobre o que ocorre, ou ler o que escrevo. Pelo menos aqui. Mais como Zola, “J’acuse”: Eu acuso, sigo acusando e dou os fatos, nomes e estatísticas.

Daí meus irmãos da Indústria Textil essa é a luta: Eu luto por nos, pelo meu trabalho, e pela nossa indústria, mas para que ela seja de fato ajudada, paremos com os esparadrapos e curativos: Nos temos é que ter trocas substancias nesse pais e sem as suas vozes a nossa industria e a INDUSTRIA BRASILEIRA em geral, ira a merda e estará em mãos de gente que compra, vende, e troca influencia em Brasília.

Temos que clamar pelos nossos direito. Temos que escrever, como povo, inúmeros emails a nossa Presidente. Por sorte, encontramos uma pessoa que tem ojeriza a corrupção. Certo, ela ainda não pode atacar o problema como ela quer, em vista de ter herdado uma máquina corrupta e um país de Macunaímas, com uma tradição histórica de corrupção.

Dependendo de nos o povo, o Brasil será uma oligarquia de corruptos como a Rússia, Nigéria, Índia, Paquistão, ou Bangladesh, etc. – ou será como Alemanha, Franca ou Estados Unidos, Japão, aonde os níveis de corrupção ainda não chegaram ao ponto de parar as Indústrias e a maquina do Estado.

Daí é o PORQUE, que em meu blog têxtil, eu ataco a corrupção dentro e fora de nossa industria.

Tudo está intimamente relacionado. Enquanto não cuidarmos de nossa “herança maldita” de safadezas, que “Gersismos”, de desvio de verbas e de termos lideres palhaços e ineficientes, indicado a seus postos por virtudes PARTIDARIAS e eleitoreiras, a nossa indústria, o nosso minério, o nosso petróleo, a nossa riqueza e dignidade estará concentrada em poucas mãos – e nos teremos de esmola talvez um fogão e televisão novos, e talvez ate um carrinho velho.

E muitos baterão no peito e clamara: “Oxente, agora tamu bem”!

Exibições: 75

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Comentário de Sam de Mattos em 9 dezembro 2011 às 14:33

AҪẴO ORGANIZADA. Não cara pintada!

 

Romildo, estamos (pelo menos eu estou) para sair de cara pintada e de nariz vermelho de plástico, na cara, Temos que ter esse blog, a ABTT , ate a ABIT (mercê de Deus) unida e nos todos enviando e-mails a Presidente, denunciando. Erivaldo: Por gentileza ponha o site da Presidente no blog para que seja accessível a todos, A nossa reclamação pode ser SIGILOSA!

Romildo: Ha dias atrás um Vereador de Ouro Preto, cidade estudantil e histórica, andou maltratando os estudantes das Republicas. Somos (eu fui) um pouco baderneiros, mas a Gurizada é boa e por 150 anos Ouro Preto nos atura e nos somos fieis a ela, a amando de volta.

De uma historia longa, fazendo-a curta, em todas as eleições locais, histericamente alguns politiqueiros “pegam duro” nos estudantes para ganhar IBOPE – e votos, Eles não querem resolver nada entre as Dezenas de Republicas Estudantis E o Ouro-Pretano. Eles querem, por OS ESTUDANTES VERSUS POVO LOCAL. Que fizemos: Uma campanha para a gurizada transferir o TITULO DE ELEITOR para Ouro Preto e votar. São mais de 6,000 estudantes na Pequena Vila Rica. Resultado: a ação coletiva causou impacto.

Pó,  nos somos uns 100,000 entre trabalhadores da indústria, nossos amigos, sindicatos e familiares. Se 1/10 de nos escrevesse um e-mail a dona Dilma, acusando, falando, pedindo, implorando e brigando, a coisa seria diferente.

Mas em nosso grupo parece não haver engajamento, parece que somos torpes e acomodados.

Reclamação sem ACAO é BULSHIT. Papo Furado. AҪO sem ORGANIZAҪAO, tem o efeito enfraquecido.

AI esta a solução: Ação ORGANIZADA. Vamos começar?

Comentário de Romildo de Paula Leite em 9 dezembro 2011 às 14:03

parabens sam de matos vc esta coberto de razao, temos que ir para as ruas, praças e gritar o que acontece com as nossas undustrias. abraços romildo.

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço