Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Juntos Venceremos! - Victor Antonio Misquey - Presidente do Sindiroupas do Rio de Janeiro

Prezados companheiros,

Em reunião no dia 06 de agosto de 2011 na FIRJAN com o Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Fernando Pimentel, expus a ele a situação aflitiva que estão passando os empresários de confecções do Brasil.
Como todos sabem, a China tem sido predador do setor. Não temos condições de concorrer com seus produtos, já que eles além de preços extremamente baixos, usam subfaturamento.
Coloquei para o Ministro que uma das soluções seria trabalharmos com o preço mínimo dos importados, mas ele colocou que o ideal seria o preço de referência.
Depois de muita conversa, por sugestão dele, foi sugerido a criação de uma comissão de empresários para irmos até Brasília tratarmos desse assunto.
Posso adiantar que o Rio de Janeiro já se apresenta com as maiores empresas do setor, tais como: Demillus, Duloren, APA,
Crony Confecções de Roupas, Pantalone (MG).
É muito importante que nós formemos um grupo forte de empresários do setor para chergarmos até o Ministro. Para isso peço a colaboração desta entidade que entre em contato com os presidentes do sindicato do setor e grandes empresários para formarmos um grupo forte.
Estamos preparando uma pauta de trabalho a qual divulgaremos futuramente. É bom que se diga que as reivindicações serão também sobre todos os impostos, juros e financiamentos as pequenas, médias e grandes empresas.

Contato:

victormisquey@ig.com.br
(21)9942-5268
 
SindiRoupas:
Av. Treze de Maio, 13S/1707 - Centro, Rio de Janeiro
Tel: (21) 2240-7737
Fax: (21) 2240-0293

Exibições: 632

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Comentário de Luiz Roberto Saraiva em 11 setembro 2011 às 14:29
Sr Misquey, bom dia.

A grande verdade é que não apenas os produtos chineses que estão entrando no país e com preços com valores melhores praticados e sim a alta produção dos chineses.Quando nós não acordamos para isso e procurarmos desenvolver produtos diferenciados os asiáticos nunca serão nosso calcanhar de aquilies.Isso sim que vejo como a solução,porque os nssos inimigos apenas tem produção em grande escala e trabalho escravos,então conseguem fazer produtos que nós algumas vezes desenvolvemos com melhor design.Eles por produzirem MUITO seus preços são melhores e objetivando uma melhor RENTABILIDADE.

E indo muito mais além, empresas sendo mau geridas e não sua grande maioria FAMILIARES,que quase sempre tende ao fracasso, o que mostram várias pesquisas.Pais,avôs que deixam suas corporações para filhos e netos sem a menor experiêcia para tocar estes negócios de MODA.

E para piorar ainda mais a situação, estes empresários não procuram adotar uma política de melhor remuneração para profissão de COSTUREIRA tão bonita,mas tão em falta nos dias de hoje.As suas avós,mães não querem mais que suas filhas e suas netas sejam costureiras, porque o piso da categoria está muito próximo do salário mínimo vigente no pais e por esta razão partem para outros segmentos da economia, como DOMÉSTICAS,TELEMARKETING que já perceberam que têm um jornada muito menor de carga de trabalho e um ganho SUPERIOR de COSTUREIRA.Então muito do que está acontecendo aqui no Rio, para quem ou já teve fábrica, não perceberam esta situção á tempo fazendo com que vire um dos maiores problemas vivenciados nos últimos tempos.

Bem longe do problema anunciado pelo Sr,quando afirma do roduto asiático estar entrando no país com preços mais convidativos."A culpa é nossa,então nos unir agora é pura hiocresia"
Comentário de Edson Baron em 4 setembro 2011 às 0:05

Caro Victor

Acho que já há um consenso e a ABIT está tomando a frente do processo (veja o link: http://www.abit.org.br/site/navegacao.asp?id_menu=20&IDIOMA=PT) , tendo a companhia de vários parlamentares, dos sindicatos patronais e de trabalhadores, até para que haja unidade efetiva de ação através da Frente Parlamentar Mista para o Desenvolvimento da Indústria Têxtil e de Confecção, nomeada de “José Alencar”.

Algumas "sub-frentes"  (vamos dizer assim) estão ocorrendo nos estados e será de suma importância a parceria da FIRJAN e do SindiRoupas nesse processo.

 

Abraço e bom final de semana.

Comentário de Julio Caetano H. B. C. em 3 setembro 2011 às 20:31
PREZADO Victor, entendo que a ABIT está atuando fortemente e que se o SINDIROUPAS do Rio de Janeiro somar esforços, será de grande valia para toda a cadeia têxtil e confecção do Brasil.
Comentário de Sam de Mattos em 3 setembro 2011 às 18:03
Conte comigo. Salvo engano, eh ainda o Eliezer Batista (ex dir, Vale, Ex, ministro d Minas e energia) o diretor da Firjan? Se for muita coisa poderia ser direcionada a ele. Conte comigo. Estou nessa. Sam
Comentário de Textile Industry em 3 setembro 2011 às 17:26

Caro Victor,

Além do que está pondo em prática, o Estado de São Paulo também relançou uma Frente Mista para defender os interesses da cadeia Têxtil, além da Frente José Alencar, como está o entendimento entre as lideranças destas frentes?

Conte conosco para dar enfase na divulgação de seus pleitos.

Abraços,

Erivaldo

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço