Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Não construa sua carreira pensando em dinheiro

Fonte:|administradores.com.br|

É muito importante nós entendermos que não trabalhamos para a empresa, mas sim, na empresa. Trabalhamos para ganhar experiência, para evoluir como profissional, para fazer cada vez mais e melhor.

Por Marcelo Gonçalves
Não tenho duvida de que muitos de nós já ouvimos dois tipos de conselho no que se refere às nossas escolhas profissionais. O primeiro diz que temos de fazer aquilo que "dá dinheiro"; o segundo, de que o certo mesmo é fazermos aquilo de que gostamos. Diante dessas duas orientações, aparentemente antagônicas, ficamos num dilema: o que devo, afinal, fazer? Ser pobre e feliz, ou rico e amargurado?

O fato, porém, é que as opções não são mutuamente excludentes. Se uma pessoa pensar somente em dinheiro, e em nome da ambição abraçar uma carreira que nada tenha a ver com sua personalidade, é muito provável que ela sequer consiga trilhar o caminho do sucesso. Ao contrário: ela viverá angustiada, e facilmente dará ouvidos aos amigos que lhe dirão que aquele trabalho é pura perda tempo, que ela está desperdiçando seu talento em um lugar que não reconhecer seu valor, que está sendo explorada pela empresa etc.

E, ao dar atenção a essas vozes de desalento e pessimismo, o profissional de fato começa a se sentir injustiçado, prejudicado. Sua reação, então, é colocar o "pé no freio" para não produzir tanto, para gerar menos resultados para a empresa - e nem se dará conta de que, na prática, está bloqueando seu próprio desenvolvimento profissional.

Por isso, é muito importante nós entendermos que não trabalhamos para a empresa, mas sim, na empresa. Trabalhamos para ganhar experiência, para evoluir como profissional, para fazer cada vez mais e melhor.

Além disso, uma remuneração mais alta está necessariamente vinculada à conquista de resultados melhores. Na frase "se eu ganhasse o que você ganha, trabalharia tanto quanto você", temos, implícito, um problema de lógica. Afinal, o que surge primeiro é o bom desempenho, que leva aos ganhos mais elevados, e não o contrário.

É comum os anos se passarem, e o profissional que, no passado, orgulhava-se em "não trabalhar além dos limites", mostrar-se frustrado e insatisfeito, autodefinindo-se como alguém "sem sorte", que não conseguiu se firmar no mercado, progredir, brilhar, ter sucesso.

Sempre que ouço esse tipo de coisa, fico um pouco incomodado. Afinal, um profissional de sucesso certamente sacrificou muitas horas de lazer para poder sobressair e empenhou-se de corpo e alma no exercício da carreira. Reduzir seu brilho a mera questão de sorte é, no mínimo, uma injustiça!

O segredo para conquistar o sucesso não é sorte. Esse segredo reside em colocar toda energia no cumprimento de seus afazeres, e em saber atuar junto com a equipe. Compartilhar com as pessoas os desafios, as experiências e os bons resultados faz toda diferença.

Ao dedicarmos nosso tempo a pessoas que precisam do nosso suporte, também estaremos sujeitos às críticas. Ouviremos que X ou Z "não fariam isso por dinheiro nenhum do mundo", e que você erra por deixar os outros se aproveitarem da sua boa vontade. Bobagem. Se você está ganhando experiência, inclusive em relacionamento interpessoal, tanto melhor!

Por tudo isso, trabalhe como se o dinheiro que recebe hoje não fosse importante. Estude como se dependesse do conhecimento para sobreviver, cultive a empatia com as pessoas e ajude cada um à sua volta a se desenvolver. Com essas atitudes, você logo vai notar que a onda virtuosa criada à sua volta terá reflexos diretos sobre a sua vida - e sobre o seu sucesso, é claro!


* Marcelo Gonçalves é sócio-diretor da BDO, responsável pelo escritório de São José dos Campos.

Exibições: 64

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Comentário de Sam de Mattos em 30 março 2010 às 18:33
Queridos companheiros: Olhem bem o verbo usado no titulo deste blog. Não CONSTRUA sua carreira pensando em dinheiro. Muitos de nos um pouco mais cínicos ou precipitados, poderemos ao ler rapidamente o artigo do Marcelo, atropelado o verbo "construir". Qualquer edificação social (casamento, carreira, família, agremiação) fundamentada no dinheiro, esta fadada a ruir - mas cedo ou mais tarde. Façamos nossas carreiras focados em nosso bem-estar, em nossas realizações pessoais e estimulados em criar, participar e nos tornarmos indispensáveis em nosso de trabalho; só então, a partir dai, sendo capazes, vira o dinheiro, de um modo ou de outro. Vamos ate sermos um pouco pessimistas: Suponhamos que em nosso determinado local de trabalho, definitivamente somos “bons de serviço”, competentes e empreendedores, mas o patrão é "mão de vaca" e o gerente e "picuinha", inseguro e perseguidor. Mesmo assim a nossa luz brilhara alem de nosso local de trabalho, outros lideres de indústria reconhecerão o nosso trabalho e haverá sempre uma proposta melhor que resultara na evolução de salários - dentro do ramo de atividades que nos gostamos. Vim de uma família de avos que imigraram para o Brasil, e emigrei para os EUA ha 40 anos e aprendi dos avos - e aqui, na carne - que o imigrante tem SEMPRE QUE SER MELHOR PARA SER IGUAL. Se adotarmos sempre esta filosofia de "colonos" em nosso trabalho e mesmo na vida, sempre sairemos na frente. Novamente concorro com o Marcelo: Construa sua carreira em méritos, e o mais prudente. A grana chegara com os méritos.

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço