Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Acredito que noventa e nove por cento dos materiais que encontramos a respeito de concorrência dirá que ela é salutar.

 

Há fortes argumentos para sua defesa, que vão desde o aprimoramento dos produtos com melhoria de qualidade até a redução de preço, permitindo maior acesso aos consumidores.

 

Artigos, teses, defesas de pontos de vista, não mudam muito de um para outro.

 

O que há de novo?

 

A globalização e os produtos descartáveis!

 

Nesse aspecto não podemos, nem devemos pensar em reserva de mercado como forma de proteção, pois onde a experiência existiu dois problemas se instalaram: Altos preços e brutal atraso tecnológico.

 

O mercado se move por ondas. Há momentos em que as ofertas de produtos são menores e em outros maiores.

 

As razões são inúmeras, o fato é que surgindo oportunidades teremos empresários, empreendedores e especuladores agindo para tirar proveito.

 

Esses movimentos, com o tempo, leva à ofertas que excedem substancialmente a procura, e como forma de desova de estoques os preços são reduzidos.

 

Os especuladores e alguns empreendedores, ao sentirem que o retorno não será tão vantajoso, se retiram, mas ainda assim a oferta continua substancial para o volume de estoque sem giro.

 

Com os revendedores estocadas e seletivos a forma de manter a roda girando é via preço, reduzindo-o cada vez mais.

 

Há um limite para isso e empresas continuam a sair do segmento.

 

Para as que não têm opção ou querem ficar, a análise das margens de contribuição mostra que estão atuando na faixa de prejuízo, então o caminho é reduzir os custos ainda mais. Trabalho que certamente muitas já vinham fazendo.

 

Nesse sentido, começa ação de simplificação do produto e redução desesperada de custos. Esse é um tópico sobre o qual pouco se escreve.

 

O que é qualidade?

 

Algo subjetivo, pois qualidade é o que qualidade faz. É o benefício percebido pelo cliente.

 

Fabricantes acrescentam a seus produtos predicados que os clientes desconhecem, por isso não valorizam.

 

E por que fazem isso?

 

Porque conhecem as vantagens dessas medidas e os fabricam com as melhorias características para que tenham a qualidade física assegurada.

 

Ao migrarem para materiais mais baratos e procedimentos menos onerosos fragilizam os produtos e os tornam descartáveis.

 

Onde está o rigor do consumidor exigindo qualidade?

 

Esse rigor vai diminuindo com a queda de preço.

 

Chegamos a um ponto, em muitos segmentos, que o produto é tão barato que o consumidor acha que não compensa reclamar, é melhor jogar fora.

 

Muitas pessoas diriam: “O consumidor que teve essa experiência jamais voltará a comprar algo semelhante!”

 

Os consumidores são atraídos pelos preços baixos, talvez não comprem mais um guarda-chuva ruim, se essa foi a experiência, mas o farão com uma roupa, um sapato, um aparelho eletrônico, mas a questão é mais delicada.

 

Quando o processo de degradação do produto atinge o segmento arrasta boa parte dos fabricantes, por que esses sabem que os preços nunca mais serão os mesmos.

 

Esse é um processo sem reversão?

 

Não, desde que os avanços tecnológicos permitam a oferta dos produtos com melhorias dentro do novo patamar de preços.

 

E o tema marcas onde entra? Não garantem os preços?

 

Neste mundo sem fronteiras, onde a preferência por estas são voláteis, os fabricantes no mundo todo estão em busca de lugares onde possam compensar suas perdas de margens por queda de preços.

 

Nesses momentos, o esforço da marca é para manter o produto fora das zonas das commodities, caso contrário o impacto nas margens será maior.

 

Comer é bom, em demasia por pode causar uma congestão.

 

Andar é bom, exageradamente provoca danos à saúde.

 

Como tudo na vida, concorrência é boa sem exageros ou ficaremos expostos aos seus males.

 

 

Ivan Postigo

Diretor de Gestão Empresarial

Autor do livro: Por que não? Técnicas para estruturação de carreira...

Free e-book: Prospecção de clientes e de oportunidades de negócios

Postigo Consultoria Comunicação e Gestão

Fones (11) 4526 1197 / (11) 9645 4652

www.postigoconsultoria.com.br

ivan@postigoconsultoria.com.br

Twitter: @ivanpostigo

 

              Vista a camisa verde amarela de sua empresa

            Trabalhe com dedicação para a construção do futuro

            É lá que você viverá todos os dias de sua vida

 

Exibições: 70

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço