Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Produção industrial cai em 12 de 14 regiões em abril

Produção industrial cai em 12 de 14 regiões em abril, aponta IBGE

Publicidade

DE SÃO PAULO

A produção industrial recuou em 12 dos 14 regiões pesquisadas na passagem de março para abril pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), na série ajustada sazonalmente.

As perdas mais acentuadas foram registradas em Goiás (-7,6%) e no Paraná (-7,0%). Amazonas (-5,8%), Ceará (-4,7%), Rio de Janeiro (-2,9%) e Rio Grande do Sul (-2,4%) também apontaram recuos bem acima da média nacional (-0,2%).

Inflação perde força em maio e desacelera para 4,99% em 12 meses, d...

Os demais resultados negativos foram verificados na região Nordeste (-0,7%), Pernambuco (-0,6%), São Paulo (-0,4%), Bahia (-0,3%), Espírito Santo (-0,2%) e Minas Gerais (-0,1%). Por outro lado, Pará (4,3%) e Santa Catarina (0,3%) registraram os dois resultados positivos em abril.

Na comparação com o mesmo mês de 2011, São Paulo, que detém mais de 50% da produção nacional, registrou recuo de 3,8% em abril. Nesta relação, dez dos 14 locais mostraram queda na produção. As perdas mais intensas foram verificadas no Amazonas (-11,8%) e no Rio de Janeiro (-9,4%), provocadas, em grande parte, pelo comportamento negativo no segmento de bens de consumo duráveis.

Houve uma acentuação preocupante da queda da produção na comparação do último quadrimestre de 2011 (quando o recuo foi de 1,8%) para o primeiro deste ano (-2,8%), ambas as comparações ante igual período do ano anterior.

Esse movimento foi observado em sete dos 14 locais pesquisados, com as maiores reduções de ritmo ficando com Amazonas (de 7,8% para -4,5%), Rio de Janeiro (de -1,8% para -7,5%), Paraná (de 11,6% para 6,2%), Espírito Santo (de 2,0% para -2,9%) e Pará (de 3,5% para -0,1%).

Os maiores ganhos entre os dois períodos foram registrados na Bahia (de -3,5% para 5,6%), Goiás (de 10,0% para 17,9%) e região Nordeste (de -2,4% para 3,2%).

Exibições: 56

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço