Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Reynaldo-BH: A absurda aula de Direito Penal ministrada pelo ministro reprovado em dois concursos para a magistratura

REYNALDO ROCHA

Dias Toffoli pede que os seus pares reflitam sobre a imensa asneira que, quase de modo histérico, formulou em defesa dos condenados do mensalão!

Este absurdo aconteceu nesta quarta-feira. O despautério foi transmitido ao vivo.

Dias Toffoli resolveu dar uma lição de Direito Penal a mestres. Talvez seja recalque por ter sido duas vezes reprovado em concurso para a magistratura.

Citou o governo de Luiz Inácio Lula da Silva com insuspeito orgulho. Levantou questões em que cita, com alguma ironia, autor que se opunha a Marx. E ressaltou: “Não era de esquerda!’ Quem politiza o quê?”

E inverteu a lógica dos próprios argumentos.

Cita a banqueira (“uma bailarina”) condenada, defendendo-a com a seguinte argumentação: “Que tipo de violência ─ real ─ ela pode cometer?” Entendendo-se “real” como crimes de sangue, presumo.

O que defende Tofoli? Não condenar à cadeia criminosa que não tenham matado, chegando a citar exemplos de crimes de homicídios com apenações menores.

E argumenta com uma suposta “posição de vanguarda”.

Qual vanguarda, reprovado candidato a juiz que virou ministro?

Desde BECCARIA, o seu título definitivo ─ “Dos delitos e das penas” ─ é considerado avanço filosófico e humanístico incomparável.

Até então as penas eram baseadas em uma retribuição, ou vingança, a um mal praticado.

Assim, o que valia era a intensidade da pena frente à agressão.

Não se tratava da recuperação ou reabilitação do ser humano.

E muito menos do EXEMPLO que nasce da condenação, para que OUTROS não sejam incentivados a delinquir.

A simples reparação financeira é suficiente para impedir a ação delituosa?

Seria este o risco que Dias Toffoli apregoa?

Roubemos; se pegos, devolvamos.

E se formos espertos, apliquemos o produto do roubo auferindo ─ na pior das hipóteses, a da condenação ─ os juros do tempo em que o dinheiro público serviu de repasto a um grupo ou indivíduo.

Ou seja, a posição “vanguardista” de Toffoli é anterior a 1764!

Crime de sangue? Paga-se com cadeia. Crimes não violentos (fisicamente), paga-se como a devolução do roubo. Seria o caso de perguntar; em crimes de lesão corporal, defenderá Toffoli umas boas chibatadas como reprimenda?

Nada quanto ao exemplo social, ao caráter múltiplo da pena.

Toffoli cumpriu a imposição partidária de tentar, mais uma vez, defender seus patrões. Com argumentos sem nenhuma consistência. E fez um discurso que nem mesmo os partidários do PT (ou ao menos, os dirigentes) tiveram coragem de fazer.

Não surpreende. Na essência.

Surpreende na coragem. De se expor na inteireza da pequenez.

E na certeza de que o “fantasma” do STF aceita ser um arremedo de ministro por muitos anos.

Faz todo o sentido a defesa histérica (e histórica pelos piores motivos) de Dias Tofoli UM DIA após a declaração estapafúrdia do ministro da Justiça, que isenta o principal responsável pela degradação do sistema prisional brasileiro: ele próprio.

Tentaram tudo. Postergar. Defender o indefensável. Buscar a prescrição. Interromper o julgamento. Absolver. Com a condenação dos quadrilheiros, agora atacam-se as condições carcerárias no Brasil. Tudo de forma orquestrada.

Que seja somente um réquiem.

Fonte:http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/secao/feira-livre/

Exibições: 504

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Comentário de Romildo de Paula Leite em 30 novembro 2012 às 22:40

Tentaram tudo. Postergar. Defender o indefensável. Buscar a prescrição. Interromper o julgamento. Absolver. Com a condenação dos quadrilheiros, agora atacam-se as condições carcerárias no Brasil. Tudo de forma orquestrada.

Que seja somente um réquiem.

Comentário de Sam de Mattos em 16 novembro 2012 às 20:33

Grande furo Romildo: Boca no trombone, se se vc encontra o email do STF para alguns de nos mandar emails sobre a materia!

Comentário de Romildo de Paula Leite em 16 novembro 2012 às 20:06

     Está em andamento no Congresso a  "maracutaia" para que os políticos que foram condenados no julgamento do mensalão, não percam os mandatos.

Comentário de Textile Industry em 16 novembro 2012 às 16:42

Bento,

O Maluf agora é PT ele Lulou, é tudo camarada

Comentário de Sam de Mattos em 16 novembro 2012 às 12:51

 

Luiz Bento: O Salim Maluf está velho é poderoso e acho ate improdutivo pô-lo atrás das grades. Mas vamos  ponderar um pouco sobre "atrás das grades”, justiça, reabilitação e outras idiossincrasias do Brasil.

Primeiro “o por na cadeia não” é para reabilitar ninguém. Reabilitação vem de uma experiência profunda, seja um acidente, uma perda de ente querido, um encontro religioso, espiritual, leitura ou sorte. Cadeia "per se" não reabilita e creio ser bullshit essa estória de reabilitação ou “Gradeterapia”.

Segundo, trabalho Também ajuda a reabilitar. Acho que trabalho no campo, com “gangs na bola de ferro”, é até mais humana e redentora do que por seres humanos em condições de tormento que um Ministro chegou a confessar que preferia A MORTE a estar num presidio Brasileiro. Cara macho: Praticamente acabou com a hipocrisia dos Curas sobre a pena de morte: Na visão deles tormento até a morte, a :morte lenta, cruel e indignificada é mais aceitável. Creio que deveremos ponderar muito sobre esse tema.

Terceiro, a experiência dita, que a percepção de punição é diferente para diferente indivíduos. Para a maioria dos contraventores bem sucedidos, o seus poderes e consciências estão em seus bolsos. E esse é o ponto crucial onde atacar: Bolsos.

No dia que o Brasil deixar de ser um piegas Bananão e começar atacar o amago da questão, o BOLSO, a conta no estrangeiro, as propriedades desses contraventores bem sucedidos, teremos 1/2 caminho andado.

Quarto a outra metade do caminho se constitui de educação, ética, consciência e alguns desses valores cívicos devem VOLTAR a ser ensinados nas escolas, ate com mais enfases do que o Orgulho Negro, Dia do Cafuzo, Do Índio, do Pardo, Do Oriental, Do Armênio, do Judeu e do Branco...

Rsrsrs: Do “oriental” adiante não existem esses dias... Sabe por quê? Porque não ha muita discriminação com os Judeus, Armênios, Libaneses e Europeus. Dai essa atitude RACISTA de louvar voce, ó Brasileiro Pardo, Índio e Negro. Dai a criação da legalidade dessa faixa divisora entre as Raças, que é mais um Indicativo que voces são “pobres coitados”. Ah, fosse eu Negro ou Índio mandaria o governo enfiar esse feriado numa cavidade da anatomia humana sujo nome geralmente é impublicável...

Ah uma carrada de coisas disfuncionais nesse país. Esse artiguinho de merda não trocara nada – de imediato.

Mas que sabe se alguém que possa discernir sobre alguns desses pontos, em posição chave, não decide a começar a modificar um pouquinho aqui e uma coisinha ali?

Comentário de Sam de Mattos em 15 novembro 2012 às 23:51

Esta clarissimo, mas o poder so da para semi-punir os Caixas. Tocar na chaga do problema nao ha cacife de/com forca implementativa....

Comentário de EDISON BITTENCOURT em 15 novembro 2012 às 19:38

Pra cadeia  vão os  otários. Será que eles , Dirceu, Genoino, Valério, acreditavam que os  "corruptores" daqui de  dentro e  de  fora iriam salvá-los?  São  criminosos  e otários. Merecem. E  se  abrirem o bico  já  era. Nota: Maluf é amador em vista  do mundo de  hoje.

Comentário de Sam de Mattos em 15 novembro 2012 às 16:23

 

Certíssimo, como sempre, Luiz. Quem foram os corruptores nos sabemos mas tenho medo de se desestabilize a Republica se formos diretamente a eles. Eles ainda são mais forte do que pensamos. Esta grana que apareceu no Julgamento são esmolas em pires de cego se comparar a grana solta pelo Eike Batista, Delta e Afins e Banqueiros... Essa gente fez muito dinheiro e o quinhão dos bandidos foi imenso. Como disse o Elizeu, a grana esta fora do Brasil. Até eu, um mero pé rapado, sei que parte da grana de um Capitão de nossa Indústria esta nos Bancos da Grande Bahamas... 75% da fortuna pessoal do Eike esta aqui, nos USA, bem guardadinha do fisco e da Ex-Carnavalhesca adepta de Mangueiras de Fogo. Pó, se não conseguimos controlar uso de celulares por bandidos em nossas Penitenciarias, como vamos prender essa gente? Perdemos amigo. Perdemos. A bandidagem ganhou agora entregue a carteira e o relógio. Celular também.

Comentário de Sam de Mattos em 15 novembro 2012 às 12:33

Esse Camaleao nao tem condicoes de estar no STF. Ratazana velha, conhecida; quando as aguas serenarem ou ele estara fora do STF ou estara o Joaquim "Brabo -sa".

Sera para nos os egajados decidirmos, pois a maioria ca..a & a..da.

Comentário de Eliseu Moraes Magalhães em 15 novembro 2012 às 11:58

Sabe... tenho mais de 40 anos envolvidos com a indústria, notadamente têxtil. Mas estou, de fato, impressionado com o "julgamento do mensalão pelo STF". Só fato do julgamento acontecer é uma novidade e os resultados com as condenações sejam divulgadas por toda a mídia é quase inacreditável!

Uma coisa fica bem clara: Os criminosos que roubam nossa Pátria Amada agora estão listados e apresentados a todos nós. E parte da gangue está se apresentando dentro do próprio STF!!! Viver num estado de direito pleno onde que nos defende, ou deveria, faz parte da quadrilha que está sob julgamento... Parece que os "escartamento" precisa de regulagem.

Eliseu M. Magalhães

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço