Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Se a Vida é um Jogo.....Quais são as Regras?

Fonte:|ogerente.com.br|

Evaldo Costa

 

Você crê no poder dos sonhos? Acredita que há um modelo ideal para uma vida feliz? Quer saber como alcançar a felicidade? Deseja tornar a viagem pela vida mais agradável?

Todos desejamos repostas para às questões acima, mas nem todos queremos dar a necessária cota de sacrifício para obtê-las na dose e no tempo certo. São muitas as lições a serem aprendidas se, realmente, desejamos encontrar o nosso verdadeiro propósito na vida.

É fato que a vida tem sido, muitas vezes, comparada a um jogo, em que as regras não são esclarecidas. Nós, simplesmente, começamos o “jogar” descobrindo o nosso caminho através das sinalizações ao longo da “estrada”, na esperança de jogar direito. Podemos dizer que nós não sabemos exatamente o objetivo de jogar, nem o que significa realmente ganhar.

Cada pessoa no planeta tem seu próprio caminho, o seu conjunto de lições para aprender são individuais, únicos e intransferíveis. Precisamos fazer o “dever de casa” com disciplina se desejamos assimilar as lições com desenvoltura e evoluir para as próximas etapas.

Como então evoluir encontrando a felicidade? Não há resposta em formato de receita de bolo, mas algumas dicas, como as seguintes descritas, podem nos levar ao encontro da felicidade:

1 - A primeira lição a ser assimilada é não acreditar em solução rápida – Problemas emocionais, espirituais, intelectuais e de saúde são consolidados gradativamente;

2 - Não espere que o tempo resolva todos os seus problemas – o tempo ajuda em muitos sentidos, mas os seus desafios é responsabilidade sua e, portanto, devem ser superados por você;

3 - Viva a vida com sapiência – Não há jeitinhos para superar as lições da vida, portanto, aprendê-las é sempre a melhor solução para os que desejam evolução e uma vida melhor;

4 - Não ache que vai fazer sucesso sem trabalhar – Você se lembra da frase que diz: “somente no dicionário a palavra sucesso aparece antes de trabalho”. Pois é isso mesmo, para vencer você terá que dar a sua cota de suor. Portanto, “trabalhe como se tudo dependesse de você e reze como se tudo dependesse de Deus”.

5 - Finalmente, tenha muita fé, amor e esperança, pois dificilmente alguém conhecerá a felicidade sem essas três palavras que funcionam como se fossem o tripé da vida.

Exibições: 151

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIII

Comentário de Paulo Teixeira Dias em 30 janeiro 2011 às 21:28
Parabéns , Evaldo....  vc foi muito feliz nesta mensagem...que o Senhor te abençoe sempre!
Comentário de Gild Helena Mercadante em 28 janeiro 2011 às 20:33
BELO TEXTO,É UMA MENSAGEM LINDA...
FÉ,ESPERANÇA E AMOR ,SEMPRE!!!
 
Que a felicidade não dependa nunca do tempo,nem na paisagem,nem na sorte e nem no dinheiro.
Que ela possa vir com toda simplicidade, de dentro para fora,de cada um para todos.
Que as pessoas saibam falar,calar e acima de tudo ouvir.
Que tenham amor,ou então sintam faltam de não tê-lo.
Que tenham ideal e medo de perdê-lo.
Que amem ao próximo e respeitem a sua dor,para  que TENHAMOS certeza  de que
QUE VIVER VALE A PENA 
 
Fique na Paz e com carinhos de Jesus.Gild
Comentário de Sam de Mattos em 28 janeiro 2011 às 12:42

ENTRE O TIC E O TAC - Ah, Erivaldo: Sim, escreveu muitas regras uteis e SINALIZACAO eficaz para a estrada da vida, Sínteses da Bíblia, Corão, Guita e outros livros bons, encapsuladas em poucos itens. VIDA: Pondero sobre ela desde guri: Porque estou aqui? Qual o proposito de minha vida (Além de escrever e vender ferro-velho?). De onde vim? Para onde vou?  é  este caminha de perguntas existencialistas... Não creio em TEMPO como uma entidade física. Creio Sim em Cinética (movimento), e Matéria / Energia. Tempo em minhas observações caipiras é um mero referencial. Como uma barra de platina em Paris, guardada a quatro graus centigrados que nos convencionamos como uma referencia a distancia, chamada o "metro". O tempo é o intervalo entre dois acontecimentos,  é  o espaço entre o Tic e o Tac do relógio,  é  o segundo. Como o metro, é um figmento de nossa imaginação, outra ferramenta para medir o que de fato existe. Algo para ser equacionado com ajuda da geometria e calculo.

E o que seria a vida? Talvez a "o estofado" entre o Tic e o Tac que nos da cognição deles. Talvez a vida seja uma combinação entre matéria/energia/e movimento, que evolveu para nos dar uma breve e limitada experiência com o universo, como o TODO.

No Livro Bom, no Novo Testamento, creio que São Paulo diz que aqui vemos as coisas de modo enigmático, limitado, destorcido, como se fossem as nossas visões fossem reflexões em um espelho de latão polido, limitado em imagens fidedignas. Mas ha uma promessa: Um dia veremos o TODO face a face e com discernimento - que as nossas atuais combinações de neurônios não permitem ter, com a nossa "moringa" limitada. Ah, Erivaldo, amigo de décadas, filosofo e lutador... Sonhador também. Obrigado pela sinalização que nos facilitara percorrer a Estrada a Vida. Mas Erivaldo, por mais que  olho os sinais, não vejo bem e não entendo a Estrada. Para onde vai? De onde veio? Ontem eu era um guri na Praia do Canto, hoje a menos 4 Graus Centigrados, me doeram alguns ossos. Apesar de não saber muito, prefiro crer no São Paulo, em sua promessa de vermos as coisas face-a-face. Quem sabe se por uma  cag....da, por uma imensa Sorte, Não Poderei ver a velha Elizabeth Kale, O Velho Silvino de Mattos, Os tios Enrique e Corintho e o Avo Benito Castaño. Ah que bônus seria rever meu velho, o Samuel Jose de Mattos, o meu melhor amigo, já não mais aqui.

E se o universo for um imenso sonho, teoria viável na física abstrata como nós ficaríamos? Seria tudo isto uma MATRIX, e nós talvez sejam parte de um programa de computação adiante uns mil anos? A vida. Este grande mistério entre o Tic e o Tac dos meus relógios. Aqui no escritório tem dois de paredes. Um que quartzo, bem militar, de horas quase perfeitas. Também tenho um velho de pendulo, de dar corda, peça manhosa, intrigante, que se adianta de corda cheia e se atrasa de corda vazia. Ah, mas ele e lindo: Berra um Tic Tac alto e escandaloso que me mostra a vida escorrendo rápida como numa ampulheta, um relógio de areia. Também ele mostra o seu pendulo dourado em seu semi-eterno (trinta dias) movimento pendular, Aqui são dez e dez da manhã nele. No de quartzo, dez e oito. Preciso adiantar o amigo velho dois minutos e lhe dar mais corda. Neste momento esse e o objetivo de minha vida... Depois corro para o trabalho, de pé no chão: Rene Descartes disse: Eu penso, logo existo. Rs Rs Rs – Neste momento digo eu, “vendo ferro velho: Logo existo”.

Aqui figo eu queridos. Para todos uma  boa viagem. SdM

 

Comentário de VLADEMIR DE JESUS FERNANDES em 28 janeiro 2011 às 10:24
Muito bonito, gostei...
Comentário de HANS JURGEN BRAEMER em 28 janeiro 2011 às 9:14
EVALDO MEUS PARABÉNS ! BELÍSSIMO TEXTO/MENSAGEM.

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço