Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Análise Crítica – Pessimismo na Indústria Têxtil

Venho acompanhando as informações publicadas neste fórum têxtil, que por sinal é excelente no sentido do alcance que tem dentro do setor têxtil, mas o que vem de deixando intrigado é o tom pessimista da maioria das informações postadas neste conceituado fórum. É claro que o país está enfrentando uma grave crise econômica e institucional e que não se deve “tapar o sol com a peneira”, mas algumas informações veiculadas, muitas inflando alguns dados, como o número de empresas que encerraram suas atividades ou o número de postos de trabalho fechados durante um determinado período, não trazem nenhum benefício prático ao setor. Qual é a vantagem de se destacar marcas negativas? Sensibilizar o governo para que adote medidas para estimular a produção de nossa indústria têxtil? Poderia até ser e é louvável a atitude, porém o que ocorre na prática é o contrário. Este tipo de notícia tem servido apenas para consolidar a crise no setor, inclusive sendo utilizado por instituições financeiras como justificativa para restringir o crédito às empresas do setor, sob a justificativa de que em vista de tamanha crise, as indústrias têxteis não teriam capacidade financeira para quitar suas obrigações. Ou seja, por maior boa vontade que se tenha no momento de publicar a informação e, vou além, por mais verídica que ela seja, isto só serve para alimentar um ciclo negativo de crise à desconfiança à mais crise.

Eu, como profissional vendedor de máquinas para a indústria têxtil e que vi de perto uma das maiores empresas deste segmento ruir, sei exatamente o significado que tem para o mercado as informações negativas e não quero que isto aconteça também com os meus clientes, dos quais dependo para obter sucesso profissional, portanto peço um maior cuidado e critério no momento de publicar informações negativas ao setor. Vamos nos focar em temas que possam levar ao crescimento e reestruturação do setor! Eu sei que é difícil, pois a própria natureza do ser humano tende a ter mais interesse por notícias ruins (aquele jornal vespertino de grande audiência que o diga), mas se nós, profissionais da indústria têxtil, queremos mesmo ver nossa indústria retomar o crescimento e consequentemente recuperar postos de trabalho, passa também por nós cuidarmos que não tenhamos a situação ainda mais agravada por conta de informações que talvez nem precisassem ser divulgadas.

Sucesso a todos!

Caio Ramos

.

.

.

.

.

Para participar de nossa Rede Têxtil e do Vestuário - CLIQUE AQUI

Exibições: 4527

Responder esta

Respostas a este tópico

intrigante o sei intrigamento: Entao sera o nosso pessimismo a causa da crise.
Nao amigo, Vc esta pondo o carro adiante dos bois.
Foram os demando de um bando de larapios, que destruiram a oitava maior economia do mundo e ESSES DESMANDO nos poe "putos-da-vida", irritados e sem SACO para balelas e masturbacoes mentais de microcefalos.

Caro Caio

Entendo seu ponto de vista e concordo que as notícias apenas alimentam o pessimismo. Elas são todas, no entano, reflexo da situação econômica do país. Com dados inflados ou não, ninguém em sã consciência pode dizer que as coisas vão bem.

Uma sugestão saudável para todos é dispendermos o mesmo esforço que demonstramos nesse tópico para discutir, nas notícias desanimadoras, caminhos para enfrentar a situação. Confesso que não vi no fórum nos últimos meses uma postagem tão comentada. Sinto apenas por alguns comentários que, ao invés de tentarem nos alertar do que vem pela frente, se limitaram a trazer a discussão para um estéril terreno de agressões pessoais.

Convido você, a mim e a todos os demais leitores do blog a fazer esse exercício de comentar nas notícias que atitudes podemos ter para enfrentar esse cenário desfavorável.

Obrigado por acender a discussão no fórum.

Prezados, particularmente essas informações são extremamente úteis e me ajudaram muito, pois me obrigaram e obrigam a fazer estudos mais aprofundados e antever/simular situações com esses históricos e dados, bons e ruins, portanto de uma forma bem honesta e simples, posso afirmar que é muito relevante e positiva as informações contidas nesse fórum..... Pior, as informações se concretizam quase sempre... Melhor, conseguimos sobreviver, porém devo admitir que não sei até quando, pois não há nada de bom acontecendo (macro), não sou empresário, porém considero quem é um herói... Um abraço a todos.

Para reflexão: "O Burro nem com o Sábio aprende, enquanto o Sábio até com o Burro aprende."

Julio Caetano

Só uma correção amigo Eliseu. Não fui eu (Edson Machado) quem disse que existe mais de 5.000 empresas têxteis ativas em São Paulo, mas sim o colega Afonso Celso de Oliveira. Até porque, há 2 anos que me mudei para Fortaleza/CE à fim de reinventar e manter-me no setor têxtil, pois tenho esperanças de um dia melhor para o setor. Até porque, como você mesmo disse, a crise não é privilégio do setor têxtil brasileiro, mas da economia brasileira em um todo, e disso não precisamos tecer comentários além do que já foi exposto aqui, não é mesmo?

Ademais, um grande e forte abraço!

Edson Machado


Eliseu Moraes Magalhães disse:

Colega Caio e todos os demais:

O rabo não pode balançar o cachorro. Se estão falando algo é por que algo existe.

O colega Edson disse que tem mais de 5.000 industrias têxteis ativas só na grande São Paulo. Por que não escreveu 6.000 ou 8.000? Os números frios não são fatos!

A verdade é que nunca enfrentamos uma crise como a atual por que atinge não só a "nossa" Indústria Têxtil que é a primeira a entrar na crise e a última a sair, como todos os demais ramos industriais. Isso é fato!

Sou responsável por uma indústria que começou produzindo acessórios têxteis injetados em plásticos. Hoje 15% do faturamento é ainda da indústria o restante é da indústria alimentícia.

Meu tio Serafim trabalhou 30 anos numa grande indústria do Rio de Janeiro, que ficava em Del Castilho. Não era a Nova América, mas a Remignton. Esta indústria chegou a ter mais de 3.000 empregos diretos e mais de 10.000 indiretos (números...rs). Hoje esta indústria não existe mais. Por que? Por que ninguém compra máquina de escrever.

Quem quiser ficar atado a "nossa" indústria têxtil, que fique. Será lembrado como um herói. Mas eu desaconselhei meus filhos a seguirem outra carreira. Hoje meu futuro está garantido. Meus filhos!

Caro Caio,
recebi uma mensagem estes dias pelo Whats App do qual um americano que se casou com uma brasileira e passou a morar em nosso amado país falava a maior falha dos brasileiros, que para os brasileiros é mais fácil criticar tudo ao seu redor do que arregaçar as mangas e tomar atitude. Neste momento em que o Brasil esta passando esta bem nítido que em todos os setores é necessário inovar para continuar sobrevivendo e crescer neste mercado. Um exemplo que meu amigo Cristiano Buerger (CEO da Tecnoblu) citou no final do ano de 2015, que tem fila para se comprar o novo Jeep e ja o carro popular esta aguardando compradores. O Brasil tem muitos consumidores internos que a cada dia esta mais exigente, o que agradava hoje ja não se agrada mais, estas pessoas estão se conscientizando com o consumo querem gastar mais por um produto que seja mais durável e inovador que realize seu desejo. Para isso as empresas do setor textil e outros setores precisam se unir para buscar soluções. Crise o Brasil já passou por várias, mas esta fará a diferença, as indústrias precisam se mexer e buscar alternativas, se ficarem esperando somente apoio do governo fica difícil. Quanto as matérias postadas no portal Textile Industry como disse o Romildo são matérias de outros portais que são replicadas aqui, gosto deste portal porque tem muitos conteúdos interessantes de acordo com o que esta acontecendo no mercado. Sei que a midia positiva ou pessimista influencia o mercado mas precisamos mostrar dados positivos colhidos através de pesquisas para nos favorecer. No meu setor do denim segundo a pesquisa do IEMI, este é o setor que se encontra melhor no setor textil. Estive na feira ColombiaTex em Medellin no último mês onde me surpreendi com o número de empresas brasileiras que participavam da feira, do meu setor do Denim tinham muitas empresas que estavam otimistas com a exportação, a feira realmente nos surpreendeu, muita gente e negócios sendo gerados. Se o negócio é exportar para começar a equilibrar a economia do nosso setor precisamos agir e exportar mais. Precisamos acreditar mais em nosso Brasil, produzir mais internamente e valorizarmos mais nosso produto. Com este pensamento nós do Guia jeasnWear com o apoio de varias instituições e parceiros estaremos promovendo o evento "DENIM MEETING" no dia 26 de abril de 2016 em SP, com o objetivo de unir o setor têxtil do Denim criando uma ponte entre tecelagem, lavanderias, marcas e confecções que venha gerar oportunidade única para esse mercado compartilhar suas necessidades e juntos buscarem soluções para o cenário têxtil atual, afim de que lutemos juntos para alcançarem o primeiro lugar. Acreditamos que precisamos nos unir para nos fortalecermos ainda mais independente do setor. Não queremos só ver noticias tristes mas sim buscar alguma forma para ajudar o setor. Com Deus na frente e fazendo nossa parte creio que coisas boas iremos colher.
Amém.
Concordo com Suas colocações amiga Marlene, bem como a do Seu amigo americano. O fato de ter permanecido no setor têxtil, e sem vontade de migrar para outro setor, me fez entender que em tempos de adversidades eu tenho que trabalhar muito mais, de enxergar as oportunidades diárias, de aprender com os outros aquilo que não sei (porque nunca se sabe tudo mesmo), enfim, de fazer de alguma maneira para que os resultados apareçam. É isso é o tenho procurado fazer....
Corroborando às Suas palavras, o amigo Romildo acabou de postar uma nota sobre o aquecimento da ITV portuguesa (o que me deixa muito contente pois acompanhei o sofrimento dos nossos amigos portugueses do segmento têxtil e, quando lemos artigos desse tipo penso que, assim como eles, um dia esse nosso sofrimento também ficará para trás) onde é informado a que se deve esse resultado favorável (transcrito abaixo):
"Isso decorreu em resultado de um processo de reestruturação focado na inovação tecnológica, ‘design’ e logística avançada, por sua vez alavancados em “elevada intensidade de serviço e num forte investimento na internacionalização”.

Com Deus na frente,

Abraços!

Edson Machado

Caros colegas, fico satisfeito em ver tanta gente debatendo o tema, expondo suas opiniões, mesmo que contrárias à minha. Na verdade, algumas das opiniões postadas até me convencem a mudar de opinião. Sou inteligente e humilde o suficiente para admitir que, ao redigir meu texto, talvez tenha sido inocente, ou juvenil, como classificou o colega Sam de Mattos, ou quem sabe eu tenha sido motivado pelo fator emocional, ávido por receber notícias positivas, como a que o colega Ferreira postou há pouco sobre o ICMS, afinal sou um ser humano passível de erros e nem de longe o dono da verdade. É claro que quando você começa a ser desrespeitado por expressar sua opinião, não se sente confortável, porém só de poder constatar que existe gente como o colega Rafael Machado pensando como eu, no sentido de procurar o caminho do diálogo para debater ideias para enfrentar a crise, já me deixa muito satisfeito. Obrigado a todos e espero que continuem trocando ideias construtivas. Eu, por minha vez, vou procurar continuar colaborando com o este fórum, porém em temas que eu tenha um pouco mais de domínio, como comércio exterior ou máquinas têxteis, já que as aulas de Economia nunca me agradaram na faculdade.

Caio,

Citei na minha inserção no início que seria um tema de forte relevância e, assim o foi!

Parabéns pela suas palavras de reconhecimento e humildade e, acredito, ganhamos todos com estes dois dias de opiniões diversas e essencialmente contraditórias (as respeitosas é claro!)

Fico feliz de poder fazer parte deste cenário têxtil mesmo com todas as adversidades e, meus filhos que hoje trabalham comigo - e também são técnicos têxteis como o pai - estão aprendendo da melhor forma possível, que é com a adversidade! Sairemos mais fortes!

Parabéns a todos por suas intervenções (as respeitosas é claro!) e vamos em frente, mesmo que não venha alguém atrás!

Como diz o nosso velho e ótimo compositor Renato Teixeria: Temos que "Compreender a marcha e ir tocando em frente".....

Que venham mais debates....

Boa  noite e abraços amigos desse tão dileto blog!

Edson Machado

 

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço