Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Empresários Têxteis do Sul do País Visitam Paraguai - Lei de Maquila

Este texto está disseminado na internet, inclusive no site da ABIT.

Um grupo formado por 40 empresários de Santa Catarina esteve entre os dias 26 e 28 de março no Paraguai. A missão é liderada pelo presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem, Malharia e Tinturaria de Brusque e região (Sifitec), Marcus Schlösser, pelo presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Brusque e região (Sindvest), Ivo Celestino Lombardi e, pelo empresário Mauricio César Pereira, da Intersindical da Itajaí e, vice-presidente regional da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC).  A intenção é conhecer as oportunidades de parceria que o país vizinho pode oferecer às indústrias brasileiras. Os empreendedores foram recebidos por autoridades locais e conheceram companhias paraguaias a fim de firmar parcerias estratégicas.


Para ter uma idéia do que isto significa precisamos conhecer a Lei de Maquila que vigora no país vizinho e oferece incentivos muito tentadores.

Clique no link abaixo:

Lei Maquila.pdf

E A NOSSA INDÚSTRIA TÊXTIL, E NOSSOS EMPREGOS?


Exibições: 2633

Anexos

Responder esta

Respostas a este tópico

Que nome se dá a isso praticado no Paraguai?

Protecionismo, Salvaguarda, ou qualquer outro termo que aqui no Brasil torna proibitivo qualquer movimento em defesa de nossa indústria têxtil.

Ou simplesmente não há vontade política no governo para manter nossa indústria?

Abraços,

Erivaldo

Compra o pano na China bota uma etiqueta Made in Paraguay, e manda para o Brasil sem imposto

 Outro grupo  também visitou recentemente  o  Paraguai.  Vejam, " Conflitos agrários com 'brasiguaios' levam senadores ao Paraguai "   em  a href="http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5648472-EI306,00-Conflitos+agrarios+com+brasiguaios+levam+senadores+ao+Paraguai.html">http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5648472-EI306,00-... >.

 

Partes  da matéria

 

" Uma comissão do Senado Federal planeja visitar parlamentares paraguaios para discutir conflitos envolvendo produtores brasileiros no Paraguai, os "brasiguaios", e grupos de sem-terra no país vizinho. A ideia é, até o fim de março, ir à capital Assunção pedir maior empenho para resolver os conflitos agrários na região de fronteira. Nas últimas semanas, sem-terra paraguaios, conhecidos como carperos, intensificaram invasões a propriedades de colonos brasileiros que há décadas vivem no Paraguai, despertando apreensão entre os produtores"

 

"

De acordo com Souza, os parlamentares também devem pedir a intermediação dos colegas paraguaios para uma maior "segurança jurídica" aos cerca de 350 mil brasileiros que, segundo ele, atualmente respondem por aproximadamente 20% do PIB paraguaio, especialmente devido ao plantio de soja.

Há cerca de 20 dias, o governo comandado pelo presidente Fernando Lugo retirou aproximadamente 6 mil carperos que estavam acampados em terras dos brasiguaios em Nacundae, no Alto Paraná. A maioria ocupava uma área dentro da propriedade de Tranquilo Fávero, conhecido como o "Rei da Soja" do país. Os sem-terra foram levados provisoriamente para uma área próxima, que estaria dentro do perímetro do Parque de Nacundae.

"Precisamos muito dessa segurança jurídica e do respeito à propriedade privada, que é inviolável e estabelecida pela lei nacional. Só queremos que ela seja cumprida", afirma a advogada Marilene Sguarizi, representante dos "brasiguaios".

Escalada para pedir ajuda ao governo brasileiro a fim de intervir em favor dos colonos na questão, Marilene esteve há poucos dias em Brasília, onde conversou com diversas autoridades. Ela obteve a promessa do Itamaraty de um acompanhamento bem de perto da questão. Cautelosa, porém, a diplomata ressalta se tratar de um "assunto interno" do Paraguai."

 

Boa sorte ao catarinas

Caro Edson,

O problema é que o Brasil quer ser grande para o mundo, antes disso ele precisa ser grande para os brasileiros, não podemos ficar réfens de determinações de OMC's ou seja lá de quem for e caminharmos cada vez mais parao buraco, o Paraguay quer incentivar sua indústria e dar emprego, ótimo, parabéns para eles, a garantia ou risco da continuidade do negócio fica por conta dos investidores, pelo menos eles fazem algo, E NÓS?

Abraços,

Erivaldo

EDISON BITTENCOURT disse:

 Outro grupo  também visitou recentemente  o  Paraguai.  Vejam, " Conflitos agrários com 'brasiguaios' levam senadores ao Paraguai "   em  a href="http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5648472-EI306,00-Conflitos+agrarios+com+brasiguaios+levam+senadores+ao+Paraguai.html">http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5648472-EI306,00-... >.

 

Partes  da matéria

 

" Uma comissão do Senado Federal planeja visitar parlamentares paraguaios para discutir conflitos envolvendo produtores brasileiros no Paraguai, os "brasiguaios", e grupos de sem-terra no país vizinho. A ideia é, até o fim de março, ir à capital Assunção pedir maior empenho para resolver os conflitos agrários na região de fronteira. Nas últimas semanas, sem-terra paraguaios, conhecidos como carperos, intensificaram invasões a propriedades de colonos brasileiros que há décadas vivem no Paraguai, despertando apreensão entre os produtores"

 

"

De acordo com Souza, os parlamentares também devem pedir a intermediação dos colegas paraguaios para uma maior "segurança jurídica" aos cerca de 350 mil brasileiros que, segundo ele, atualmente respondem por aproximadamente 20% do PIB paraguaio, especialmente devido ao plantio de soja.

Há cerca de 20 dias, o governo comandado pelo presidente Fernando Lugo retirou aproximadamente 6 mil carperos que estavam acampados em terras dos brasiguaios em Nacundae, no Alto Paraná. A maioria ocupava uma área dentro da propriedade de Tranquilo Fávero, conhecido como o "Rei da Soja" do país. Os sem-terra foram levados provisoriamente para uma área próxima, que estaria dentro do perímetro do Parque de Nacundae.

"Precisamos muito dessa segurança jurídica e do respeito à propriedade privada, que é inviolável e estabelecida pela lei nacional. Só queremos que ela seja cumprida", afirma a advogada Marilene Sguarizi, representante dos "brasiguaios".

Escalada para pedir ajuda ao governo brasileiro a fim de intervir em favor dos colonos na questão, Marilene esteve há poucos dias em Brasília, onde conversou com diversas autoridades. Ela obteve a promessa do Itamaraty de um acompanhamento bem de perto da questão. Cautelosa, porém, a diplomata ressalta se tratar de um "assunto interno" do Paraguai."

 

Boa sorte ao catarinas

O FILME ANTIGO DAS MAQUILADORAS:

Aqui se fala e se explica muito bem a leis que regem as Maquiladoras, suas vantagens (imediatistas) e lucros (temporários) maiores. Muitos estão considerando esse tópico. Eu já o considerei, vivi essa época aqui nos EUA e já vi seus resultados.

Desde o final dos anos sessenta a indústria textil Americana começou a usar as maquiladoras no México. Confesso que nem sabia direito, no inicio, e significado dessa palavra no contesto industrial. Eu a  associava com a maquilagem do rosto feminino.  

Ao entrar na Indústria Textil vi o apogeu das Maquiladoras Mexicanas, o seu rápido enriquecimento dos oportunistas, a sua subsequente morte no México, deixando a Indústria Textil debilitada naquele pais e morrendo nos EUA.

Depois as maquiladoras se foram da a America Central. Mas à medida que a miséria por lá não foi o suficiente para gerar lucros aceitáveis, esta se deslocou para alguns países do Caribe e agora a miséria aceitável para os maquiladores se resume a uns poucos países, sendo o Haiti ainda um possível nação Maquiladora, por ter um nível de desemprego, miséria e pobreza ideal. Ah, tenho que fazer um comentário rápido: A ver um artigo aqui no blog, quando o Industrial Gomes da Silva disse que considerava a implantação de algumas de duas indústrias têxteis do Haiti, “para ajudar aquele povo tão sofrido e alegre”, tive de rir. Se um predador capitalista honesto, a bandeira esta deflagrada e sabemos com quem estamos lidando. Mas quando vejo esses rebuscamentos gramaticais, cinismo e essa perversão semântica, necessito de um vomitório.

A Maquilagem castra, atrofia a nação mais industrializada e predadora, exploradora do trabalhador e mata a incipiência da indústria do país-caçado, causando, de contrapartida, efeitos e consequencias análogas ao país-predador. 

Nesse artigo voces tem num papel, num documento escrito e revisado por homens de marketing, advogados e semanticistas decantando em prova as grandes possibilidades da Maquilagem. Mas só vejo a maquilagem boa para a China, que no momento esta com uma super produção e necessita, POR QUALQUER METODO, fazer o “dump”, jogar o seu excesso de produção no mercado dos outros para manter o seu vertiginoso crescimento e alimentar ¼ da população do planeta em sua casa. E triste ver uma pais supostamente socialista exercendo no momento o Capitalismo mais selvagem do planeta.

Ando dedicando mais atenção as coisas que amo mais, visto que cheguei a conclusão de que é impossível absorver e estudar tudo o que me interessa. Essa impossibilidade é resultante dos meus múltiplos interesse pela vida, arte, ciência, política, literatura, economia etc. Daí eu não me aprofundei nos detalhes dos pro e contra da maquilagem. Mas, saindo da explicação pessoal e do meu parco conhecimento técnico da Maquilagem, gostaria de dividir com voces, de modo empírico, a minha visão sobre a maquilagem, do ponto de vista empírico de quem observou o seu crescimento, apogeu e declínio, bem como as suas re-imigrações em busca de novos campos férteis de miséria.

Digo sinceramente que a vendo no sul do Brasil e Paraguai, observo temeroso e triste com essa nova "bossa" em nossa área. Antevejo um resultado imediatista lucrativo para uns poucos, mas dentre pouco tempo resultara em um mal resultado ao Brasil e ao Paraguai. Esperam, observam e verão.

Para mim isso é filme antigo, conheço bem os protagonistas o enredo e o seu final.

É um método semelhante ao dinheiro fácil de Banqueiros e vendedores de papeis, debêntures e criadores e de criadores e vendedores de corporações no Brasil, que operam quase que livres de regras internacionais que regem esse tema, baixo a um governo inocente, conivente e ignorante e um sitema político corrupto. São negócios que só geram riquezas pessoais e com uma relação custo/beneficio social muito baixo.

Assim como esses especuladores, a maquiagem e um método capitalista predatório, feio, triste e no final contraproducente para ambos os países: o predador e predatório: Voces verão, uma situação "perde-perde"- Para os dois lados.

Excelentes comentários. Esta  maquiladoras acabaram no México? Li que paises  do Caribe tem exportação significativa d e têxteis.  É verdadeira essa  informação?  Grato

    Esses empresários( ou donos de fábricas) de Santa Catarina que foram ao Paraguai atras das" maquiladoras ", para formarem parcerias "estratégicas ", são os que mais esperneiam,gritam atrás de salvaguardas e protecionismo. Agora estão querendo cometer ações covardes contra a Indútria Têxtil Brasileira.

De tanto esperar por efetivas ações governamentais, que nunca são mais do que promessas vazias e medidas medíocres e ineficazes, chega uma hora que todos começam a buscar soluções mirabolantes.

É muito triste tudo isso, mas é apenas reflexo da ineficiência de sucessivos governos que nunca atacaram pra valer os problemas conjunturais brasileiros que nos impede de um crescimento realmente sustentável e sem tamanhos sobressaltos.

Como explicar um PIB inexistente em 2009, um fantástico 7,5% em 2010 e um medíocre 2,7% em 2011??? Crise, incentivos e inflação??? NÃO!!! O Brasil insiste em não fazer a lição de casa.

Até quando teremos a maior taxa de juros do planeta???

Até quando teremos uma carga tributária monstruosa para uma contrapartida em serviços públicos tão frágeis e que custam os olhos da cara para o contribuinte nacional???

Eis aí boa parte dos problemas inflacionários, que culminam com juros altos e por conseguinte com valorização cambial e real forte ocasionado por capital especulativo em busca de ganhos fáceis e impossíveis nos países de 1º mundo.

Sem mexer na parte crucial de todo esse sistema nefasto seguiremos nossa interminável saga de terceiro mundistas.

Pobre país rico de gente miserável.

temos tb opçoes mais simples, como PANAMÀ...abre-se uma empresa ao custo de 1.000 usd....e apenas se comercializa, ...e Panama ja foi conhecido como o lixo textil!!! ( tudo da china,,,,) mas quem quer realmente produzir e ter uma empresa que nao seja virtual como no Panama, tem que ir mesmo para o paraguai....

alias ...ja tem empresas importando do Uruguai guarniçoes de cama, mesa e banho...da mesma forma esta em  projeto  recente a instalaçao de uma fiação de algodão ( inicialmente para 900 ton/mes de fios finos( de Ne 24, 30 e 36 penteados  e parte da produção será destinada a fabricação de fios compactados Ne 30, 36, 40, 50 e 60!!!!!  é uma paqrceria de um brasileiro juntamente com um pessoal da Italia.....a principio sweria no Brasil mas devido a custos optaram no Uruguai que oferece mais regalias que o Paraguai

equipe economica + 225 deputados + 35 senadores - que assinam a Frente Parlamentar Textil Jose de Alencar-  e governo....QUE VAO PENTEAR MACACOS , CORJA DE CORRUPTOS  INCOMPETENTES!!!


PESSOAL...ESTÁ EM NOSSAS MÃOS TOMAR ATITUDES!!!!E ""FORÇAR"" A QUALQUER CUSTO MUDANÇA DE RUMO DESSDE DESGOVERNO!!!!

A China criou além de um novo padrão de produção, um novo padrão de gastos governamentais.

Como ela força aos empresários se adaptarem para uma nova realidade mais pobre, também força aos nossos poliíticos a mesma atitude. Os padrões estão mudando, os EUA cairam, a europa vai no mesmo caminho e nos também.

Os ratos são os primeiros a abandonarem o navio que afunda e os orgulhosos os últimos, onde cada um está nesta fila? Ou alguém acha que os empresários grandes estão preocupados com os pequenos?

Ou alguém quer se candidatar a ser Davi? 

As maquiladoras praticamente acabaram a Industria Textil Mexicana. Puebla, o maior polo textil mdo Mexico, esta praticamente acabado. Apos isso, as Maquilladoras (com dois Ls lah) tambem foram a merda. Olho, um futuro candidato ao Senado, que sera eleito no vacuo do pai, pensa no mais perverso debacle: Haiti. SdM

EDISON BITTENCOURT disse:

Excelentes comentários. Esta  maquiladoras acabaram no México? Li que paises  do Caribe tem exportação significativa d e têxteis.  É verdadeira essa  informação?  Grato


Que se f... TODOS eles. Parece tambem que a ABIT prega essa opcao como "Salvacao" do empreendorismo textil Brasileiro. Se tal for o caso que se f... ela tambem. SdM


romildo de paula leite disse:

    Esses empresários( ou donos de fábricas) de Santa Catarina que foram ao Paraguai atras das" maquiladoras ", para formarem parcerias "estratégicas ", são os que mais esperneiam,gritam atrás de salvaguardas e protecionismo. Agora estão querendo cometer ações covardes contra a Indútria Têxtil Brasileira.

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço