Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Indústria têxtil ganha fôlego em 2017, afirmam especialistas

Em 2016, o confeccionista brasileiro mais se pareceu com um canoísta, que precisou suar bastante a camisa para remar até aqui. Dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) apontaram que, nesse ano, houve uma queda de 6,5% na produção têxtil e de 8,7% na de confecção, quando comparado a 2015. No varejo, os números são ainda mais pessimistas. Conforme a Confederação Nacional do Comércio de Bens (CNC), aproximadamente 100 mil lojas de confecção encerrarão a atividade em todo o País até o fim de dezembro.

Mas nem tudo está perdido. Segundo a empresa de Inteligência de Mercado (IEMI), existe a previsão de um crescimento residual de 0,9% na produção brasileira de peças de vestuário para 2017, algo em torno de seis bilhões de peças de roupas. Marcelo Prado, diretor da empresa, afirmou, durante lançamento da coleção de verão de uma grande industrial têxtil, que essa expansão refletirá nos primeiros sinais da retomada da economia brasileira. Entretanto, a expectativa da IEMI é de que o Brasil retome o crescimento no nível de 2010 (quando a economia cresceu 7,5%) só daqui a quatro anos.

 

Perspectiva de aumento nas vendas também é uma aposta do diretor-superintendente da Abit, Fernando Valente Pimentel: "Estamos realisticamente otimistas com uma recuperação de vendas para 2017". Para o executivo, essa afirmação deve-se ao empurrão que as festas de fim de ano devem dar às confecções.

Pimentel acredita que a economia brasileira sofre as consequências da crise política que assola o País e imerge os brasileiros em águas turvas. Mas como reverter esse quadro de instabilidade econômica? Para o especialista na indústria têxtil, a rota da prosperidade para o setor demanda tempo e sabedoria por parte dos gestores, que deverão ser tecnicamente competentes, determinados e se dedicarem à condução do negócio das empresas.

 

Se os rumos da política permitirem, devemos ter um 2017 um pouco melhor para o ramo das confecções, mas ainda de concreta instabilidade na economia. Retornar a águas tranquilas, depois de navegar em mares turbulentos, é tarefa para comandantes que tenham expertise e paciência. Se depender da tripulação, enfrentar essa "onda", que não é nem de longe uma "marolinha", é um desafio totalmente possível.

 

Zuleir Spíndola é consultor comercial com 18 anos de experiência no mercado de confecção. Possui MBA Marketing e Inteligência Competitiva, é dono da TYR, empresa de consultoria em gestão comercial.

 

Fonte: https://noticias.terra.com.br/dino/industria-textil-ganha-folego-em...

Exibições: 875

Responder esta

Respostas a este tópico

as expectativas para retomada da economia, baseada em entidades sérias e competentes dizia que o Brasil levaria até 2020/2021 para começar a ""recuperar"" a economia, independente de planos ambiciosos necessários e como sempre o povo paga!! Brasil levaria até 2020/2021 para começar a recuperar e ter possível estabilidade linear em produção.
- as quedas de venda de Natal recuaram uma média de 1,8% !!!
- as nossas dívidas para 2017 foram aprovadas com montante negativo de quase 200 bil
- isto significa o que o Brasil ,nao crescerá!!!!!
Dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) apontaram que, nesse ano, houve uma queda de 6,5% na produção têxtil e de 8,7% na de confecção, quando comparado a 2015. No varejo, os números são ainda mais pessimistas. Conforme a Confederação Nacional do Comércio de Bens (CNC), aproximadamente 100 mil lojas de confecção encerrarão a atividade em todo o País até o fim de dezembro.

FERNANDO PIMENTEL: QUAIS OS ELEMENTOS QUE TE LEVAM A UMA EXPECTATIVA DE RECUPERAÇAO???CACETE...VC JÁ FALA ISTO HÁ ALGUNS ANOS!!!

Mas nem tudo está perdido. Segundo a empresa de Inteligência de Mercado (IEMI), existe a previsão de um crescimento residual de 0,9% na produção brasileira de peças de vestuário para 2017, algo em torno de seis bilhões de peças de roupas. Marcelo Prado, diretor da empresa, afirmou, durante lançamento da coleção de verão de uma grande industrial têxtil, que essa expansão refletirá nos primeiros sinais da retomada da economia brasileira. Entretanto, a expectativa da IEMI é de que o Brasil retome o crescimento no nível de 2010 (quando a economia cresceu 7,5%) só daqui a quatro anos( PURA REALIDADE , INFELIZMENTE!!! E DEPENDE DA ANDAR DA CARRUAGEM!!!)!!!!e dos importados?????!!!!
## GOSTARIA DE SABER QUAL É ESTÁ PREVISÃO, QUAL O A ORIGEM E EMBASAMENTO!!!!???

## VEJA A INCOERENCIA!! Perspectiva de aumento nas vendas também é uma aposta do diretor-superintendente da Abit, Fernando Valente Pimentel: "Estamos realisticamente otimistas com uma recuperação de vendas para 2017". Para o executivo, essa afirmação deve-se ao empurrão que as festas de fim de ano devem dar às confecções. ( - 1,8% EM MÉDIA!!!)
DEVEM TER BEBIDO MUITO!!! E O FOGO NÃO PASSOU AINDA!!!!.
PIMENTEL VC AINDA NOS DENOMINA COMO EMPRESÁRIOS BURROS:
Pimentel acredita que a economia brasileira sofre as consequências da crise política que assola o País e imerge os brasileiros em águas turvas. Mas como reverter esse quadro de instabilidade econômica? Para o especialista na indústria têxtil, a rota da prosperidade para o setor demanda tempo e sabedoria por parte dos gestores, que deverão ser tecnicamente competentes, determinados e se dedicarem à condução do negócio das empresas
### PARA O ESPECIALISTA NA INDUSTRIA TEXTIL!!!! ISTO É PIADA!!
### Pimentel...vc como alguns colegas deste blog , sempre nos taxam de incompetentes!!! De Falta de criatividade...de procuramos mercados e produtos diferenciados!!! Não se esqueça, que até agora, são estes idiotas ““ metidos a empresários “”, que foi a maior fonte de receita para o estado e União!!! E o maior gerador de emprego deste Brasil!!!
VEM pela frente um monte de escândalos, o que torna o Brasil cada vez mais ingovernável!!! Estamos chegando próximos da Venezuela!!! E vcs “”sonhando””” !!!! SONHO COM UM Regime Militar!!!
- o plano do BNDES para injetar $$$ na encomia é uma fiasco!!Renegociar e esticar a juros subsidiados...alguem vai ter que pagar por isto!!! nós o povo!!!como sempre...e nem todos conseguem...uma boa parte é ""pagar propina"" para alguns que ""acertam"" a documentação necessária!!!em torno de 10% !!!!! e para tirar um BNDES tb se paga este valor!!!!! Não qdo se faz diretamente com gerentes de bancos!!
- se banco negociar minhas dívidas, para pagamento em 250 meses, com juros subsidiados, e conceder empréstimos, monto fábrica de ultima geração!! somente não sei quem vai comprar!!!, com um mercado retraído e com Ásia invadindo novamente!!
- infelizmente vejo apenas utopia, para tapar buracos por alguns meses, como foi o aumento do dolar no 1/2 do ano!!! e depois quebramos a cara novamente!!
- não existe planejamento real, objetivo, para se colocar em prática!!!pois temos um congresso que não vale uma pitada de sal!!!.
- os estímulos para exportação no agro-negócio são diferentes de empresas de demais setores...
- trabalha-se em globalização, sempre com 2 pesos e 2 medidas ( produçao/salario/encargos..etc..etc,..(custo Brasil altíssimo!! ISTO NÃO É GLOBALIZAÇAO!!! E SIM PUTARIA!!!
- inicialmente acreditei no governo Temer...apesar de saber que é um personagem ""muito enrolado""..... e até hoje nada tivemos de concreto......portanto nada espero de positivo e rápido e a economia a banca rota!!! Que merda!!!
- nao temos candidatos para as próximas eleições ( Alckmin está tb enrolado...)
Que futuro tem o Brasil?????
Vcs como ABIT, fiesp, e muitas outras entidades de classe não tem força e união necessária para uma inversão desta situação. Enquanto formos dependentes de produtos que podem ser fabricados no Brasil, não interessando o custo, deveria ser uma exigência e ser bloqueado para importar!!!
Adalberto 19 99764 7960
Prezado amigo Adalberto,

depois que passei a não levar mais em conta as perspectivas econômicas desses expertises, inclusive não assisto mais aos jornais televisivos (somente leio aquilo que eu quero - e essas previsões são as que menos tenho lido - pra minha sorte e pra minha saúde), e procurando tatear em busca daquilo que eu quero, tive mais tempo para implantar algum projeto e, consequentemente, mais tempo para desenvolvê-lo (e alguma coisa já começou a dar resultados, mesmo que pequenos). E, depois dos escândalos políticos que vem sendo, gradativamente, descobertos é que vejo que a minha decisão foi correta.
Em suma, depois de passar vários anos esperando desses "espertalhões" e não colher nenhum fruto (eles colhem todos os dias, chova ou faça sol), vi que não deveria acreditar em nenhum deles mais e, melhor do que isso, não seguir mais seus comentários, o que diminui o ibope em relação às suas falas. Penso que se todos seguirmos o mesmo raciocínio e abandoná-los de uma vez por todas, desaparecerão do cenário político e econômico e, muito mais do que isso, não "encherão mais o nosso saco" com baboseiras.

E tenho dito (rsrsrs...).

Abraços a todos e um feliz 2017 com muita saúde e paz!

Edson Machado
"Especialistas" já viraram uma modalidade de humor. Uma espécie de joke.
Quando os quotam ou os deixam falar, assoma em meu rosto um sorriso incrédulo e jocoso.
A meu ver , 2017 vai ser um 2016 piorado.
Acredito que reformas importantes possam ser aprovadas e, que se crie ambiente para melhoras futuras.
No momento , somente um "Plano Marshall", para salvar a indústria brasileira.
Como, de onde? Sabe-se lá.
Centenas de milhares de empresários e empreendedores, estão encalacrados, endividados, fora de combate.
Justamente os "aquecedores" em potencial de nossa economia.
Feliz 2017 para todos.
Que oportunidades surjam para nós.
Como dizem, à cada porta fechada, Deus nos abre uma outra.
Saibamos enxergá-la.

Responder à discussão

RSS

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço