Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XIV

Após operação, órgão espera que haja maior uniformidade nos preços de mercado

16 de dezembro de 2011 | 13h 59
Renata Veríssimo, da Agência Estado

BRASÍLIA - A Receita Federal divulgou nesta sexta-feira, 16, o resultado da operação "Panos Quentes 3", iniciada em agosto, para combater as importações irregulares de peças de vestuário.

Segundo a secretária-adjunta da Receita, Zayda Manatta, 521 declarações de importações foram colocadas no canal vermelho pelo qual os fiscais do Fisco analisam toda a documentação e a carga. Segundo ela essas declarações representavam US$ 26 milhões em importações, das quais 44% apresentaram irregularidades, seja por fraude de origem ou na declaração do valor do produto, ou na declaração falsa do tipo de produto. Além disso, outras 133 declarações de importação foram colocadas no chamado canal cinza, onde a fiscalização ainda é mais rigorosa porque abrange também a análise da capacidade financeira das empresas.

Segundo Zayda, do total de US$ 3,254 milhões importados pelo canal cinza, 70% ficaram retidos. "Os números mostram o nosso acerto no fortalecimento da fiscalização", afirmou a secretária. Para a secretária, com a operação panos quentes a tendência é que haja maior uniformidade nos preços de mercado.

Ela disse que em 2007, quando foi realizada a primeira operação, as importações de vestuário chegavam ao Brasil com o preço de US$ 7 o quilo. Hoje estão em US$ 17. "Estamos encerrando a operação com sucesso, mas não significa que a Receita vai eliminar esta forma de controle", afirmou a secretária. A Operação Panos Quentes é acionada sempre que a Receita encontra indícios de irregularidades na entrada de produtos têxteis no Brasil.

A secretária disse que a Receita tem trabalhado em parceria com setores com maior risco em relação aos importados e com mão-de-obra intensiva. Além de calçados, que passarão a ser alvo da fiscalização, a partir de segunda-feira, a secretária disse que outros setores estão na mira da Receita, como brinquedos e pneus.

Exibições: 538

Responder esta

Respostas a este tópico

Gostaria que a ABVTEX desse uma justificativa clara de qual motivo fez com que o aperto na fiscalização elevasse o valor do quilo importado de US$ 7 para US$ 17 (aumento de 142%).

Destruam a indústria nacional e o valor vai para US$ 50 o quilo, com a diferença de que a grana vai para a Ásia e brasileiro que vá plantar mandioca (com todo o respeito aos plantadores de mandioca).

Quem quiser entender alguns dos motivos da crise na Europa tem também uma matéria interessante do Celso Ming (Erro de diagnóstico? - http://blogs.estadao.com.br/celso-ming/2011/12/16/erro-de-diagnostico/), ou seja, muitos países não produzem quase nada mais e importam quase tudo. Resultado: a conta não fecha, o endividamento vai lá pras alturas e alguém tem que pagar.

E estão pagando amargamente com redução de salários, de benefícios, de empregos, de qualidade de vida, e etc. Ou seja, a vida deles virou um verdadeiro caos que levará muitos anos para amenizarem. 

É isso que o Brasil quer???

Felizmente, estamos vendo uma luz no fim do túnel, e que nossas empresas para 2012 possam voltar a respirar profundamente para obter o fôlego necessário para continuar trilhando o tão esperado crescimento. Já era difícil competir com as arbitrariedades do mercado interno, com nossas leis trabalhistas e exigências de enquadramentos como a ABVTEX, por exemplo, que dirá com estes golpes baixos de fraudes e outros monstros mais que assombram o nosso dia a dia.

Valeu pela bela notícia!

Eu nao disse que com a mesma LI (Licenca de Inportacao) entrava multiplas veses os panos "qientes"...

Dei a PF a Regua e Compasso; o prumo, a trolha - so faltou dar a eles a luz, coisa que so no local certo, pode ser dado ao profano, sdM

BARON.....infelizmente isto ainda é muito pouco, apesar de assustar"" ( a principio ) um pouco os importadores e tradings que operam desta forma. temos que lembrar ainda que

a) o preço minimo aduaneiro, foi a base desta investigação....e este preço minimo é bem inferior a realidade praticada!!!! em torno de 50%...rs..rs....

B) foi feito uma fiscalização que nao chega a 2% do textil que entra no Brasil!!!!!!!!! e isto é animador para que  o governo + RF tome atitute mais severa!!!!

c) infelizmente nao há punição eficiente para este pessoal!!!! podem liberar os cnt, pois existem recursos legais para isto!!!!!! e depois na justiça que realmente é totalmente CEGA, .....são processos que levam 3,4, 5 anos e nao são resolvidos!!!!!! e qdo finalizam,  acabam apenas em multas ou algo assim, cabendo ainda recursos e mais recursos!!!!! ou seja : em 10 anos este assunto nao está resolvido!!!! quem fez isto , normalmente já conhece os tramites legais e o  amparo que a nossa cosntituição lhes dá!!!! infelizmente é assim!!! e nao cabe cadeia para ninguem!!!!!

d) a RF e o governo nao tem pessoal disponivel para realizar um pente fino em tudo que se importa.

e) a maior parte dos importados, vem com classificação ( NCM ) errada....e a multa é pequena, sobrando ainda uma boa margem de lucro para os importadores!!!!!

f) temos tb que provar eventuais dumping.....e aí já é outra historia!!! te garanto que muito complicada, pricipalmente pelo fato do governo ter a certeza de que estes impostos são recolhidos antes da liberação da mercadoria ( apesar de eu ter um cliente que conseguiu ""liberar"" sem pagar a origem...rs.rs...é a famosa propina, e os cnt  ainda constam no terminal alfandegário!!!!!!!acredite se quiser..r.s.rs...esta é outra prática muito comum, como tb cnt que vão para perdimento ( e com cartas marcadas"" ) e que posteriormente são leiloados a preços vil, muito abaixo da realidade e este $$ vai para Rf e governo!!!!

BARON, de qualquer forma , foi feito algo!!!!!!apesar de demorado!!!!  lamentavelmente  nao muda o cenario!!!!

eu ainda  sou a favor de uma parada geral neste Brasil, como ja disse anteriormente. Nao vejo uma solução mais plausivel!!!!

esta sua postagem, valeu e muito!!!!!

abç/adalberto

 

San...veja :

 

Tenho um processo em andamento na PF  de Santos, que foi aberto por um ex cliente que importou, não pagou, e conseguiu liberar os CNT – óbvio que após pagamento de propina.

 

Nesta oportunidade conheci 2 delegados da PF que estão atuando no caso....que Tb tem este ferramental.....mas..........nada se faz!!!!!! temos leis que protegem bandidos !!!!diferente das suas nos USA.

 

da mesma forma o prefeito de Americana Tb as tem !!!!!

 Alias, nem os responsáveis que lhe deram toda a luz necessária,  tomam atitudes!!!!são simplesmente OMISSOS!!!!!!! É lamentável, pois há participação  em todas as esferas de nossa sociedade, entretanto estão simplesmente assistindo de camarote!!!  Será que temos aqui mais alguém que Tb tem estas ferramentas??? Poderíamos alavancar uma situação  diferente...o que achas???

Tfa/adalberto

Sam de Mattos disse:

Eu nao disse que com a mesma LI (Licenca de Inportacao) entrava multiplas veses os panos "qientes"...

Dei a PF a Regua e Compasso; o prumo, a trolha - so faltou dar a eles a luz, coisa que so no local certo, pode ser dado ao profano, sdM

Responder à discussão

RSS

© 2021   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço