Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Valorize o Produto Brasileiro - Marketing de Guerrilha

Precisamos criar uma campanha de defesa e sensibilização.

Sugiro uma nos estilo Marketing de guerrilha.

Vamos fazer uma vaquinha (talvez seja necessário uma vacona). Minha contribuição está garantida.

Sugestões serão muito bem vindas.

Vamos lá. Chuva de idéias, ou como dizemos no interior: Toró de parpites.

Erivaldo, Sam, Ivan, Edson, Adalberto, Gilberto, só para citar alguns, mais estão todos convidados. Botem a massa cinzenta pra funcionar mais ainda.

Quanto mais barato, mais fácil. Mas tem que gerar mídia. Temos que acender o holofote.

Vou pensar em outras possibilidades, mas aqui vai minha 1ª sugestão:

Importar um contêiner (ou uma quantidade expressiva) de guarda-chuva chinês (não vai atrapalhar nem um fabricante nacional, porque acho que não restou nenhum) para distribuí-los em pontos estratégicos nas principais cidades, que gere mídia espontânea (convidaremos todas as possíveis: TV, revistas, jornais, rádios, e etc. Tenho certeza que muitas vão adorar participar).

Desenvolver e colocar uma etiqueta/tag em cada um ou até silk no próprio tecido do guarda-chuvas (alguns dizeres sugeridos):

“VALORIZE O PRODUTO CHINÊS E CONTRIBUA PARA DESTRUIR EMPREGOS NO BRASIL.

ESSA É UMA CAMPANHA FEITA POR CIDADÃOS BRASILEIROS APAIXONADOS PELA INDÚSTRIA NACIONAL, QUE AMAM O BRASIL E QUE, AO SE CANSAREM DE ESPERAR QUE NOSSOS POLÍTICOS TOMASSEM ALGUMA ATITUDE, RESOLVERAM FAZER ALGO POR CONTA PRÓPRIA.

CUIDADOS DE USO:

USE-O APENAS DURANTE UM DIA ENSOLARADO ASSIM VOCÊ APAGA O BRILHO DO SOL SEU E O DE MUITA GENTE. 

NUNCA USE-O EM DIA DE CHUVA, POIS A FALTA DE QUALIDADE NÃO PERMITE.

USO ESPECIAL:

POLÍTICOS PODEM UTILIZÁ-LO PARA ESCONDER O ROSTO E FUGIR DE COBRANÇAS DOS ELEITORES QUE NELES ACREDITARAM."

Temos que definitivamente "sair da zona de conforto" (como diriam alguns). 

Acredito que surgirão idéias interessantes. Acredito que podemos fazer algo.

Então mãos à obra.

REDES SOCIAIS PLUGADAS EM TEXTILE INDUSTRY

Link para Textile Industry no Facebook

Link para SALVEM NOSSA INDÚSTRIA TÊXTIL E DO VESTUÁRIO - No Facebook

Link para Textile Industry no Twitter

Exibições: 1189

Responder esta

Respostas a este tópico

Quero SER O PRIMEIRO A RESPONDER:
ESTOU NELA!

Sam

O NELSON PEREIRA JR e bom em campanha VIRAL. Nelson de a porra do palpite como faremos isso. SdM

Sam, Billy the Kid teria inveja da sua rapidez! ahahah

 

 

Mais do que uma campanha, isso tem que ser um movimento:

1) precisa de um nome

2) precisa de uma badeira

3) precisa de um slogan

e com campanhas, torná-lo viral....

Para que nao se perca quando a campanha ( primeira) perder força porque perde!

O movimento tem que entrar nas empresas e nos lares, para isso nao faltam midias.

Se todos, que se dizem interessados, enviarem mensagens para todas as pessoas que conhecem, a fogueira estará acesa.

Ou se preferirem a agua, estará formado o Tsunami!

Ivan,

É exatamente isso.

A primeira ação é para gerar mídia. 

Mídia gerada, passamos para a segunda fase que é o marketing viral. Todo mundo distribuindo / postando vídeos nas redes sociais (Facebook, orkut, youtube e por aí vai.).

Acredito que é possível.

Edson, Ivan, amigos: Repassem!

PORQUE NAO NOS INDIGNAMOS? Serão os indignados loucos? Somos sociopatas? O que errado ha em nos? Sera que o Brasil já se tornou irreabilitável? Por que entregamos e ao leu jogamos os nossos destinos e o dos filhos e netos tão displicentemente? Sou eu o errado?

Agora vejo com uma clareza doentiamente real a covardia e a omissao humana. Agora entendo a subida de Hitler ao poder. Vejo claro como a sociedade Alemã, a mais avançada da época, se recusou a cheirar a fumaça negra, gordurosa, nauseabunda vomitada das chaminés de Auschwitz, Belsen e Sobibor. Eles não queriam saber das atrocidades. A realidade era muita e era hedionda. E como os Alemães do regime Nazista, nós também não sabemos de nada. Nao queremos sair de nossas pequenas ilhas de estabilidada e conforto. Nem queremos saber de nada. A verdade nos incomoda.

Queremos clicar um quadradinho onde a direita está escrito “eu curto a vida”- e acreditar no “curtir” instantâneo. Queremos afogar a nossa pobreza interior com as riquezas virtuais da City Ville. Conheço ate pessoas que pagam, para construir as suas cidades na Matrix de Pixels Eletrônicos, mais depressa.

Indolência de pensar esta causando uma involução na raça humana. Acreditamos em slogans. A verdade passou a ser a mentira reiterada com mais fervor um numero maior de vezes. Não mais pensamos: Cortamos e colamos. 

Temos a respostas para tudo, vinda a nos via o “Grande Oraculo do Google”. Pois não mais somos homens. Somos assombrações e Zumbis, eunucos e vadios, seres gaudérios e sem alma, sem sentimento, seres que se incomodam com a verdade, que vendem a alma e a dignidades por comodidades.

Mas não toleramos que ninguém nos diga isso: Tornamo-nos Narcisos, seres que odeiam o que não é espelho.

Sam de Mattos

 Faço campanha em prol de artigos nacionais, não compra produtos fabricados na China. Ajudaria saber para quais confecçionistas nossos tecidos e malhas são vendidos, ou então quais confecções trabalham exclusivamente com tecidos nacionais, daí nós do segmento textil temos a obrigação de adquirir produtos

dessas  confecções.

Estou dentro.

Qual o real custo de um produto chinês???

Some se a ele o custo social, ambiental e moral.

Tambem, DENTRO!



Beltrame Antonio Benedito disse:

 Faço campanha em prol de artigos nacionais, não compra produtos fabricados na China. Ajudaria saber para quais confecçionistas nossos tecidos e malhas são vendidos, ou então quais confecções trabalham exclusivamente com tecidos nacionais, daí nós do segmento textil temos a obrigação de adquirir produtos

dessas  confecções.

1) precisa de um nome. Algo como  CAMPANHA "FEITO NO BRAZIL"; "FABRICADO NO BRASIL"

2) precisa de uma badeira: A BANDEIRA NACIONAL, ESTILIZADA e no lugar do "ORDEM E PROGRESSO" um "COMPRO DO BRASIL"

3) precisa de um slogan: Eh CHEGADA A HORA: NAO COMPRO DE FORA!

e com campanhas, torná-lo viral....


Ivan Postigo disse:

Mais do que uma campanha, isso tem que ser um movimento:

1) precisa de um nome

2) precisa de uma badeira

3) precisa de um slogan

e com campanhas, torná-lo viral....

Para que nao se perca quando a campanha ( primeira) perder força porque perde!

O movimento tem que entrar nas empresas e nos lares, para isso nao faltam midias.

Se todos, que se dizem interessados, enviarem mensagens para todas as pessoas que conhecem, a fogueira estará acesa.

Ou se preferirem a agua, estará formado o Tsunami!



Sam de Mattos disse:

1) precisa de um nome. Algo como  CAMPANHA "FEITO NO BRAZIL"; "FABRICADO NO BRASIL"

2) precisa de uma badeira: A BANDEIRA NACIONAL, ESTILIZADA e no lugar do "ORDEM E PROGRESSO" um "COMPRO DO BRASIL"

3) precisa de um slogan: Eh CHEGADA A HORA: NAO COMPRO DE FORA!

e com campanhas, torná-lo viral....

CHEGOU A HORA: NAO COMPRO DE FORA
Ivan Postigo disse:

Mais do que uma campanha, isso tem que ser um movimento:

1) precisa de um nome

2) precisa de uma badeira

3) precisa de um slogan

e com campanhas, torná-lo viral....

Para que nao se perca quando a campanha ( primeira) perder força porque perde!

O movimento tem que entrar nas empresas e nos lares, para isso nao faltam midias.

Se todos, que se dizem interessados, enviarem mensagens para todas as pessoas que conhecem, a fogueira estará acesa.

Ou se preferirem a agua, estará formado o Tsunami!

fantastica ideia!

Ja coneca a pensar abrir uma conta para donativos em um banco!

Passe os Logos e nomes, estabeleca um comite, e vamos adiante. Mando cem Grigos Pesos!

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço