Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Mais de cem membros do Congresso dos EUA pediram ontem que o governo do presidente Barack Obama classifique a China como país que manipula o câmbio. A iniciativa mostra a pressão que existe para que o governo assuma uma posição de maior confrontação em relação a Pequim.

Numa carta a Timothy Geithner, o secretário do Tesouro, e a Gary Locke, o secretário do Comércio, 130 congressistas pedem que o governo designe a China como manipuladora, quando divulgar seu relatório periódico sobre manipulação de câmbio, no mês que vem.

Os congressistas pedem também a imposição de taxas retaliatórias contra os produtos chineses. Eu não havia visto antes esse grau de entusiasmo dos membros do Congresso, disse Tim Ryan, democrata de Ohio que é um dos congressistas que estão organizando a iniciativa bipartidária. Há muita gente aderindo e a hora é essa.

A carta aumenta a pressão sobre o governo Obama, que vem tentando gerenciar com cuidado suas relações com a China, um dos maiores compradores de títulos do governo americano. Há temores de que um confronto assim possa enervar investidores e minar a recuperação econômica.

O governo Obama tem se mostrado relutante em classificar a China como manipuladora do câmbio e figuras importantes como o próprio Geithner vêm tentando trabalhar com Pequim.

Os EUA vêm procurando apoio da China numa série de questões, desde mudanças climáticas a sanções ao Irã. Mas, com o desemprego nos EUA próximo de 10%, o governo também identifica a suposta supervalorização do iuan como uma prioridade. As demandas da base do Partido Democrata por uma linha mais dura na questão se intensificaram.

É uma questão política importante para os democratas, claro, mas muitos republicanos e pequenos empresários poderiam se beneficiar disso, disse Ryan. Ele elogiou o presidente Barack Obama por ter adotado a atitude mais agressiva no sentido de assegurar nossos acordos comerciais do que qualquer outro presidente em 30 anos.

A carta acrescenta que, depois da classificação formal, os EUA deveriam iniciar negociações com a China a respeito de seu regime cambial e sinalizar o desejo de entrar com uma reclamação formal na Organização Mundial do Comércio (OMC).

Isso é muito arriscado. Tanto do lado americano quanto do chinês, os governos querem manter a relação num patamar igualitário, mas, com as pressões domésticas em alta, há o risco de as coisas saírem de controle, disse Eswar Prasad, especialista da Universidade Cornell e do Brookings Institution.

Em uma carta do mês passado, 15 senadores americanos criticaram Locke por ter fracassado na tentativa de investigar adequadamente as acusações de que a China deliberadamente mantém sua moeda subvalorizada, para manter vantagens comerciais. O Departamento do Tesouro não quis comentar.

Fonte: Valor Econômico

Exibições: 139

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XV

Comentário de Sam de Mattos em 25 março 2010 às 12:35
Bento, meu querido:
Nunca pensei que voce fosse comuninista de "carteirinha assinada". E se fosse? Em nada me afetaria o respeito que tenho a voce, o meu pensamento, a sua idealogia e (sem puxa-saquismos) as suas valentes colocacoes, em sua grande maioria concorrendo com o meu modo presente de pensar. Atualmento me sinto um pouco impotente com o dilema da vida e ate um pouco embuido de religiosidade: Estou ate pensando, a guisa de exemplos de certos "bispos" e tantos profetas tropicais, a comecar a minha propria filosofia ou digamos, a minha propria congregacao. Seria uma linha irreverente de pensar, seria o EXCREMENTUALISMO. Sim, como o grande poeta Flobert, que tinha um faniquito de atirar fezes nas paredes (rsrsrs), o Excrementualismo atiraria a sua "essencia" em certos politicos, certas ideias, certos icones nacionais e internacionais. Ah, Bento, ultimamente, ando cansado do racionalismo, de apontar dedos a chagas que permanecem abertas e sem devidas cauterizacoes e humildemente penso nesta nova seita, no EXCREMENTUALISMO, como uma possibilidade metafisica, anarquica e quase quantica para lidar com os absurdos do cotidiano. Sam

PS: Po, sam velho de guerra - O Kafka, Camus e outros bateriam almas...
Comentário de Edson Machado da Silva em 24 março 2010 às 9:43
Bom dia Marcio, tudo bem?

É com grande prazer e alegria que recebo Suas informações à respeito do grande tigre asiático que é a China, pois nós, que cá estamos do outro lado do mundo, recebemos as informações, as processamos e, aquilo que achamos interessantes, repassamos. E esse tema, a China e Sua evolução industrial, é o tema que mais tem se discutido na atualidade, visto ser um grande gigante adormecido e que já há alguns anos tem se despontado no cenário econômico, buscando seu espaço. E só mesmo quem faz parte dessa maravilha, que é a industrialização, e está constantemente ligado a determinada região, pode falar melhor dela.
Com base em Suas informações fico contente em saber da preocupação chinesa com relação ao meio ambiente, visto ser prejudicial tanto para eles, quanto para o resto do mundo se não tivésse esta preocupação.

Em tempo, devo Lhe informar que não acredito em sistemas de governo ou ideologia (comunismo, parlamentarismo, presidencialismo,.....e todos os tipos de "...ismo". rsrs), acredito sim em pessoas e vontades que visam a melhora de todo o sistema sócio-econômico mundial, ou seja, pessoas que governem para outrem e não para si.

Um grande e forte abraço, e ótimos negócios com os indonésios.

Edson Machado
Cada um luta com as armas que tem, e isso é óbvio, não estamos questionando isso
Comentário de Marcio Prado de Cantanhede em 24 março 2010 às 5:34
Olá Luiz Bento, Edson ,Sam e todos os amigos deste blog.
Permitam-me participar deste interessante bate-papo e troca de idéias.
Trabalho na Clariant há 28 anos e há aprox 4 anos fui transferido para a Espanha, onde temos nosso centro tecnológico dos corantes sulfurosos. Uma de minhas funçoes é de dar suporte tecnico e de promover nossos produtos em alguns países da Ásia. A China é um desses países que visito, e é por isso que gostaria de colocar algumas opinioes: Antes de mais nada quero dizer que sou radicalmente contra o comunismo! rsrsrs. Bom, falando dos comentários de voces, minha opiniao é que "nem 8 nem 80" quando se fala de China. Devemos nos lembrar que se o crescimento economico daquele país for menor do 7- 8%, começarao a "pipocar" problemas sociais sem precedentes, e essa é uma das "justificativas" para que continuem com a política de cambio atual. De uma maneira ou de outra , eles estao cuidando de sua gente. A título de comentário, a classe média da China cresceu praticamente 1,5 "Brasis" em apenas 5 anos ( 300 milhoes de pessoas ingressaram na faixa de classe media). Visito aquele país 2 vezes ao ano e posso dizer que grande parte de nós ocidentais estamos enganados quanto ao que estao fazendo em termos de política ambiental. Aqui na Europa, inventam de tudo para segurar e restringir a importaçao dos produtos químicos principalmente daquele país ( ex: Reach) pensando que se ganhará alguns anos. Mero engano! Os chineses estao avançando numa velocidade espetacular quanto a isso. é evidente que requer tempo, mas nao se iludam. A diferença de cultura profissional é enorme se comparado com o ocidente. Sinto dizer, mas será difícil segurar os chineses. É evidente que essa política de desvalorizaçao de sua moeda nao é eterna e pagarao um preço por isso, mas estejam certos de que terao "grana" para paga-la pois estao se preparando. Bom, vou ficando por aqui porque tenho que visitar um cliente indonésio agora e esses tambem nao sao fáceis! rsrsrs .Abraços
Comentário de Edson Machado da Silva em 19 março 2010 às 17:00
Amigos, amigos, opinões à parte.

Amigos Luiz Bento e Sam, desejo à Vocês um ótimo final de semana, extendido à toda a família.

Agradeço por participar deste post.

Quem sabe semana que vem tem mais. Mas não é para levar tão à sério, hein...... rsrs...

Abraços.


Edson Machado
Comentário de Sam de Mattos em 19 março 2010 às 16:32
Ah, deixe-me terminar a semana numa "lite": Realmente o capitalismo esta entranhado em tudo. Ainda debato comigo mesmo qual e o "modus operandi" mais eficientes para uma invasao de fronteiras: Canhoes e tanques ou Ray Bans, Chicletes e Coca-Colas.
Mas de qualquer modo esta (brincadeira) foi anunciada no mes passado e ouvida num radio de ondas curtas (Audilise o anuncio com os RRRRS fortes e em Espanhol):
"RADIO LIBERTADORA DE CUBA! - HAVANA.
Una voz de aliento para todas las Americas oprimidas por el imperialismo Norte Americano. Este programa es una promocionnnnnnnnn deeee COCA-COLA!
he he he
"
Comentário de Sam de Mattos em 19 março 2010 às 16:20
Um BFS a todos!
Bem, em realidade politicamente nao sei o que sou, prefiro navegar pela vida humildemente, em minha pequena nau, sob a minha bandeirinha, meu proprio estandarte e navegando com a bussula meu discernimento. Dai, amores a Chineses ou Americanos, Shiitas ou Semitas sao coisas pessoais - e respeitadas. Somente reitero: E temeroso catucar cachorro grande com vara curta. Agora o ha um ponto ainda nao determinado: O tamanho do cachorro e o comprimento da vara... Isto e tudo um assunto subjetivo. Se determinados estadistas acham que os EUA andam mortos e que o volume de retaliacoes na "guerra do algodao" e uma "varinha" curta, assunto morto. Nao ha comentarios de minha parte e ouvi um outro ponto de vista atentamente. Idem, idem sobre os dirigentes da Bolivia, Venezuela, Cuba , Iran etc. Se sao julgados como grandes estadistas e suas respectivas associacoes com o Brasil favorecam seje de beneficio patrio, tambem respeito esta opiniao - e morrerei pelo direito para que esta opiniao possa ser divulgada. Somente fiz um comentario matreirinho e bem mineiro: Nao se deve catucar cachorro grande de vara curta!
Sam de Mattos
Comentário de Sam de Mattos em 18 março 2010 às 18:06
Lendo o belo artigo do companheiro Edson, pondero: Se os EUA teem coragem para peitar a macro-China, poderia tambem peitar o Brasil. Sim, o caso-Algodao e uma pedra no pe do relacionamento comercial entre o Brasil-Estados Unidos; POREM o nosso governo retaliou a mosca chata com um tiro de canhao costeiro. Retaliacao completamente desproporcional que esta sendo aumentada , e aumentada e os Americanos so estao quietos. Ando calado, mineirinho e matreiro: O meu temor e que estamos catucando um bicho grande de vara curta. Temo que uma cacetada de um possivel troco e como podera afetar muito a nossa economia. Se o tamanho da retaliacao for proporcional a nossa acao, poderemos presenciar mais uma vez a velha estoria de "quem aguenta mais chora menos." Enquanto patriotas com mentalidade de fartura de cestas basicas se ufanam do pendao auriverde e do machismo de nossos politico e diplomatas fustigando o inepto gringo derrubado, a economia em geral do pais - e nos da industria textil - podemos tomar um grande torpedo, e bem machucados choraremos atras da cabana do Pai Tomas. Mas ha palavras de consolo: Voariam em nossa defesa as potencias e estadistas internacionais:
O Iran, Bolivia, Venezuela, Argentina - mui amiga - e por ai vai...
Sam de Mattos
Comentário de Edson Machado da Silva em 18 março 2010 às 15:09
A China e o meio ambiente (Tragédia ou Comédia).pdf

Prezado amigo Luiz Bento,

baseando-se no anexo não posso ter o mesmo ponto de vista quando o amigo faz elogios a China em detrimento dos EUA, pois também não creio que a China baseia-se no capitalismo para ultrapassar seus territórios além-fronteira e sim num objetivo desmedido e desenfreado de colocar os seus produtos em qualquer lugar, de qualquer maneira (vendendo gato e faturando lebre) e à qualquer custo (não importa em qual moeda se negocia). Creio até que, falando novamente com base ao anexo (que já está velho, pois trata-se de uma matéria de 2006), a China é muito mais nociva do que todo e qualquer país que está enriquecendo urânio para a fabricação de bomba atômica, pois se em 2006 já eram dizimados 400.000 pessoas/ano devido a sua irresponsabilidade quanto ao meio-ambiente, imagina quantos morrem hoje. E de lá para cá as autoridades chinesas não tomaram nenhuma medida quanto à essa situação (meio-ambiente).
Quanto aos EUA, mesmo que sempre retaliam os produtos brasileiros, acho que muitos países deveriam seguir o seu modelo de proteção, tanto às empresas como aos seus produtos. Penso que os EUA é um modelo à ser seguido e não à ser combatido.

Saudações e um forte abraço.

© 2022   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço