Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

CAPITÃO DA MARINHA BRASILEIRA
Considero a Dona Dilma Rouseff , embasado na CONSTITUIÇÃO, ser a minha Comandante em Chefe. Enquanto ela respeitar e se pautar dentro da CONSTITUICAO DO BRASIL, ela terá o meu apoio irrestrito. Foi eleita pelo voto popular.
Também a considero uma mulher HONESTA e que esta se indispondo com as Forças Ocultas do Nepotismo e “Caciquismo” e devemos que apoiá-la. Mas ENTENDO a postura do Capitão-de-Fragata quanto a CORRUPCAO que assola o Brasil. TEMOS QUE ACABAR COM ELA. Essa e a nossa "Revolução." 
Também não creio que nossas forcas armadas sejam assunto de POLITICOS. São somente subordinadas a Comandante em Chefe - e PONTO.
Fuzileiro Naval, NÃO É MATA-MOSQUITO. As Forças Especiais do Exército, não e BATALHÃO DE CHOQUE da PM. Recruta de exército não e policial. O Batalhão da Selva, não é constituído de funcionários da FUNAI e nem juízes de confusões do MST. Marinheiro da Marinha de Guerra não podem ser estivadores. ISSO NÃO É CORRETO.
As Forças Armadas estão esfaceladas. Nem munição tem. Nossos navios estão sem Diesel e nossos aviões sem querosene.
Vestem as nossas tropas com fardamento de pano batido na CHINA, (vendido por firmas ligadas ao ex Vice-Presidente) – exceto a Venerável Corporação dos Fuzileiros Navais que se negam a isso – calados, sem escândalos.
Quanto aos tristes fatos de 1964, foi outra era, outros tempos, onde o melhor que podemos fazer no presente e passar uma borracha no Passado Recente. Ainda não houve tempo bastante passado, para se fazer uma historia balanceada, desprovida de nossos ódios antigos, paixões e sofrimentos. No momento devemos a considerá-la “merda a secar”. Se mexida, futricada, federa e atrairá moscas. 
Deixando-a ao sol um pouco mais, teremos estrume - e dele sairá fertilizante social, algo proveitoso. 


Assunto: Devolução da "Revista NOMAR" à Marinha. “A chapa começou a esquentar”...

Enviado pelo correio Registrado No. RQ045988235BR em 15/12/2011 às 17:04horas.

De: Dario Giordano – Capitão-de-Fragata (Rfo) – 15/12/2011
Ao: Exmo. Sr. Contra-Almirante Paulo Mauricio Farias Alves
Diretor do CCSM – Centro de Comunicações Social da Marinha
Brasília DF - Esplanada dos Ministérios BL N Anexo A 3ºandar
CEP 70.055-900 Tel.(061)3249-1040





Ref: Revista NOMAR Nº 831 – Julho de 2011 Recebida somente em Dezembro de 2011

ASSUNTO: DEVOLUÇÃO DA REVISTA NOMAR

Digníssimo Almirante,

Com todo respeito que V. Exa. é digno, permita-me devolver a Revista NOMAR Nº. 831/julho 2011, recebida somente há poucos dias, distribuída pelo Centro de Comunicações da Marinha, do qual V. Exa. é o Diretor.

O motivo da devolução é pessoal. Considero que a foto da capa fere a minha dignidade de oficial superior da Marinha de Guerra. A foto mostra a
confraternização do Comandante da Marinha com a presidenta Dilma Rousseff e a Ministra da Secretaria dos Direitos Humanos Maria do Rosário. A
Confraternização do Comandante da Marinha é pessoal. É um cargo político, escolhido pela presidenta, e só fica no cargo quem estiver de acordo com o
sistema.

Entretanto, a foto dessa confraternização na capa de uma revista da Marinha faz da Marinha cúmplice de todos os desmandos políticos e sociais que estão
levando o Brasil a uma rebelião popular que já vem acontecendo. Chegará a hora em que as Forças Armadas serão acionadas para conter o povo e terão a
mais infame tarefa que um militar pode ter: Atirar contra seu próprio povo para defender instituições atoladas em corrupção.

Não se trata de serem Ex-Guerrilheiras, Comunistas nem se odeiam ou não os militares. Essa Guerra já terminou há muito tempo e só é lembrada para
desviar a atenção dos problemas atuais e da incompetência para resolvê-los.

A Sra. Dilma Rousseff é a Presidenta de um país que abriga os políticos mais corruptos do mundo. Os Ministros da Presidência e seus assessores são
envolvidos em escândalos e a postura desta Sra. é de defendê-los até serem alijados graças à mídia e ao clamor popular.

A Sra. Maria do Rosário é a Ministra da Secretaria dos Direitos Humanos. No seu discurso de posse já demonstrava falta de visão para a função. Enfatizou
em apurar violações de direitos humanos pelo regime militar. Esqueceu-se da memória histórica que exige um compromisso com a verdade. Esqueceu-se das violações praticadas por guerrilheiros e dos problemas diários atuais que vivemos. Ignorou os. setores que mais necessitam de sua assistência : a saúde, a segurança..; e a educação. Na Saúde vemos brasileiros sendo “assassinados”, dentro de hospitais reduzidos a sucatas, dormindo no chão, sem assistência médica hospitalar, ou, morrendo de desnutrição. Na Segurança Pública os Direitos Humanos só atuam para defender bandidos. Na educação as salas de aula estão reduzidas a sucata e os professores com salários miseráveis. A qualidade da educação é péssima. O direito à vida e à educação são ignorados.

Até hoje, empenha-se em caçar ossos de 64 e não faz mais nada. Essa Secretaria deveria ser fechada por ser de inutilidade pública.

As Forças Armadas têm uma postura ética e disciplinar exemplar.

Cumprem a Constituição e as leis. Exatamente como os políticos gostam para continuarem a praticar seus desmandos, pois é a Constituição e as Leis que
bandidos se utilizam para ficarem impunes.

As Forças Armadas na seqüencia de humilhações econômico-social têm funções reduzidas a de uma Força Auxiliar de baixo escalão – Combate mosquitos
dengosos, faxinas em favelas e são substitutos da PM em dias de Folga declaradas por eles mesmo.

Acaba de acontecer: Em Rondônia, soldados do exército patrulhando as ruas, em substituição à PM em greve foram insultados pelos militares da PM.

Não dá para entender: Militar não pode fazer greve. Militar não insulta outro militar sem ser severamente punido. Militar das Forças Armadas que conheci não ficava na rua recebendo insultos. E, o texto não diz onde os soldados do exército colocaram os fuzis como recomendado pela PM.

Voltando à Presidenta e à Ministra: O Cabo Anselmo já bastante conhecido de todos nos dá mais um motivo significativo pelo qual temos de ficar alerta: O
Cabo Anselmo, ex-guerrilheiro, foi entrevistado pela TV CULTURA, programa RODA VIVA. Como ex-imediato do navio onde servíamos, perguntei: DG: “Não é uma acusação, apenas uma pergunta:

Meu nome estava em uma lista com nomes de oficiais que deveriam ser executados ou assassinados logo que iniciasse a revolução. O que sabe a respeito do assunto?.”

Resposta: “Bom Comandante Giordano, eu não conheço essa lista, não tinha essa informação. Mas, inferindo naquilo que vivi no meio da esquerda, o senhor ira ser assassinado simplesmente porque era um oficial da marinha. Era um inimigo do povo. Muito agradecido pela pergunta – meus respeitos”
Essa parte da entrevista pode ser vista neste endereço: .
a href="http://videos.sapo.pt/KnVF9BUDrBnD3NOnmRGQ" target="_blank" rel="nofollow nofollow">http://videos.sapo.pt/KnVF9BUDrBnD3NOnmRGQ>
http://videos.sapo.pt/KnVF9BUDrBnD3NOnmRGQ

Em resumo: Seriamos assassinados. Este é o bando aos quais devemos bater continência e dizer sim senhora e ainda serem dignos de aparecerem na capa de uma revista da Marinha?

A guerra de 64 acabou, mas o Brasil tem um velho inimigo: O POLÍTICO CORRUPTO, que pratica toda a sorte de patifarias políticas neste país. Eficam Impunes.

Se queremos democracia pergunte ao jurista IVES GANDRA MARTINS. A elegibilidade para cargos eletivos, Capitulo 4, Art. 14,Parag 3º. da Constituição, é um insulto à inteligência humana.

Brasil, país maravilhoso, cercado de corruptos por todos os lados.

Dario Giordano – Capitão-de-Fragata (Rfo.) -15/12/2011

Rua 201 N0. 40 Ap. 184 – Balneário Camboriú, SC – CEP 88.330-690
videos.sapo.pt
Pergunta formulada pelo Capitão-de-Fragata Dario Giordano ao Cabo Anselmo no Programa Roda Viva da TV Record

Exibições: 127

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço