Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

Empresas lucrativas – Um modelo de gestão

A pergunta que mais  fazemos  quando   nos deparamos com uma empresa lucrativa é: qual o segredo dessa empresa ?

 

Por que esse empreendimento tem  sucesso,   mesmo enfrentando forte concorrência ? Sabemos que é difícil encontrar uma empresa que seja uma ilha, que esteja sozinha no mercado .

 

O que faz com que os negócios andem bem, que coloquem seus produtos no mercado e, contas feitas, obtenham lucro?

 

Uma empresa não é lucrativa  porque produz bem, a baixos custos, ou porque tem uma boa equipe de vendas , ou porque tem boas relações com o banco A  ou B , ou....ou...

 

A empresa lucrativa é lucrativa simplesmente porque substituiu o “ou”  pelo “e”. Produz bem a baixos custos e tem uma boa equipe de vendas e tem boas relações bancárias e tem uma equipe coesa e tem  foco  e tem uma mensagem aceita por todos e tem uma missão e tem uma visão.

 

Ainda hoje encontramos empresas que querem ser lucrativas via redução de gastos ,  controlando copinhos de café e caneta  , negligenciando um bom sistema de gestão de chão de fábrica , as técnicas de planejamento e controle de produção , a contabilidade de custos ,  as relações com o mercado  ,  as técnicas de controladoria e gestão financeira.

 

Quanto mais consciente estiverem os colaboradores e gestores da empresa da necessidade de inter-relações das áreas, maiores serão as chances de lucratividade desse empreendimento. As inter-relações e a sintonia destas despendem da divulgação da visão, motivo pelo qual foi criada a empresa, divulgação da missão, o que se espera de cada um para se atingir o futuro proposto.  Delegação  gerada pela adição de competências.

 

Visão e missão são fatores importantíssimos para se criar um empreendimento de sucesso, mas a delegação via adição de competências, motor gerador de resultados, é a palavra chave.

 

Adicionar competências deixa claro o entendimento de que a maior parte das criações humanas é “obra não de gênios isolados, mas de grupos e comunidades”, como diz Domenico de Masi em seu livro Criatividade e grupos criativos.

 

De nada adianta ser mais um no mercado, a cada dia mais e mais empresas concorrentes surgem. A empresa precisa se organizar para, com lucratividade,   poder se reinventar , caso contrário , tomando emprestado uma frase de Antonio Caraco de seu livro Breviário del  Caos , “ nosso destino é continuar a  nos multiplicar , unicamente para morrermos em grande número “.

 

Quem estuda o mercado já percebeu que de tempos em tempos crises afetam determinados segmentos, e com isto muitas empresas não sobrevivem.

 

As empresas que resistirão  serão  exatamente as que evoluírem , se organizarem, se  tornarem lucrativas , se reinventarem,  de modo a saírem fortalecidas , pois terão um espaço maior no mercado, deixados pelas empresas que desaparecerão.

 

Uma empresa não é centenária por acaso. Uma empresa centenária passou pelas mãos de três ou quatro gerações,  e de uma coisa pode-se ter absoluta certeza : A visão , a missão , foram divulgadas de tal modo que a adição de competências tornou-se um grande atributo .

 

Colocar a empresa nas mãos de um gestor ou de gestores é uma coisa, colocar em suas mãos a visão e a missão que estabeleceu e criou o empreendimento é uma questão de sabedoria. A sabedoria que permite acreditar nas pessoas, escolher os colaboradores , deixá-los trabalhar, evitar atrapalhá-los, reconhecer que muitas pessoas desempenham tarefas melhor que nós , estabelecendo um modelo de gestão.

 

A perpetuação de resultados positivos é conseqüência da Delegação para adição de competências, que é um modelo de gestão, pois como diz Domenico de Masi: “grande parte das invenções humanas mais surpreendentes, do alfabeto ao Estado, dos veleiros às piadas, das festas ao arado, da tesoura à Magna carta, não possui um alguém que as imaginou, pois elas são frutos de progressivos ajustes e colaborações coletivas, seja nas suas criações, nas suas realizações, nos seus aperfeiçoamentos, na sua difusão, assim como na sua aplicação”.

 

 

Ivan Postigo

Economista, Bacharel em contabilidade, pós-graduado em controladoria pela USP

Autor do livro: Por que não? Técnicas para estruturação de carreira...

Free e-book: Prospecção de clientes e de oportunidades de negócios

Postigo Consultoria de Gestão Empresarial

Fones (11) 4526 1197 / (11) 9645 4652

www.postigoconsultoria.com.br

ivan@postigoconsultoria.com.br

 

"Quando a sorte me procura ela sempre me encontra trabalhando“

 

 

Exibições: 222

Comentar

Você precisa ser um membro de Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII para adicionar comentários!

Entrar em Industria Textil e do Vestuário - Textile Industry - Ano XII

© 2020   Criado por Textile Industry.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço